Solidariedade e pesar pelos mortos em Paris.Associação de Municípios estuda condições de acolhimento

Alexandre Borges, vice presidente da Câmara, manifestou ontem o seu “pesar e solidariedade pelos mortos” nos atentados de Paris. O autarca classificou-os de “ataques bárbaros contra a nossa civilização”, mostrando “preocupação com as consequências que daí poderão advir”, designadamente a questão dos refugiados : “agora compreendemos também porque tantos fogem dos seus países”. Adelino Amaral, vereador do PS, subscreveu esta posição, afirmando que “a questão dos refugiados é uma situação de catástrofe humanitária que deve ter dois tipos de resposta – países e cidadãos têm que agir de forma concertadas – as  futuras políticas de intervenções m

ilitares terão que ser feitas de forma mais cautelosa, sem ofender a dignidade e modo de vida das pessoas”. Também Rita Neves e o presidente da Câmara, subscreveram a posição de Alexandre Borges, assim com o a vereadora Sofia Relvas (PS), que adiantou estar a Associação Nacional de Municípios Portugueses “a trabalhar o assunto com todos os municípios para aferir as condições que cada um tem para acolher os refugiados, identificando as condições que tem de acolhimento aos diversos níveis (educação, saude, habitação e emprego). “O diagnóstico vai assim ser iniciado para se avaliar com rigor e exatidão estas condições”, revelou.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies