Sofia Relvas deu algumas pistas sobre o plano municipal de mobilidade e transportes

A Vereadora Sofia Relvas, por solicitação do Presidente da Câmara, apresentou na reunião de Câmara da passada Quarta Feira, alguns detalhes da última reunião na CIM VIseu-Dão Lafões, onde foi discutido o plano municipal de mobilidade e transportes, que considerou “absolutamente decisivo para o concelho”. “Na CIM depois da fase de diagnóstico do plano estratégico para este região, com vista às candidaturas ao novo quadro comunitário de apoio, estamos agora a iniciar a fase da concretização do que está exposto – empregabilidade, inclusão social, saúde, cultura e dotar a região de um plano intermunicipal para a mobilidade, transportes e acessibilidade”, revelou.”O que se pretende é fazer um diagnóstico rigoroso às necessidades de mobilidade para quem cá reside e trabalha, numa ótica de um desenvolvimento harmonioso e eficiente”. Sobre os vias estruturantes, IC 37 e IC 12 e Linha Ferroviária da Beira Alta, a autarquia continua a defender que “seja reforçada a importância da Linha da Beira Alta”. “Definimos também como prioritária e urgente a conclusão da variante de Nelas, completando a ligação entre as Zona Industrial de Nelas e a de Canas, acompanhada por uma ciclovia – que tem elevado interesse turístico e de bem estar, assim como pode e deve ser usada como transporte individual das pessoas na sua locomoção diária”, explicou, adiantando ainda que “as Caldas da Felgueira foi também um tema abordado, no sentido de se requalificar uma localidade que tem estado um pouco esquecida”. 
Alexandre Borges, Vice Presidente da Câmara, saudou em primeiro lugar a discussão do plano de mobilidade e transportes, tendo alertado que (por erro assumido entretanto pela sua colega Vereadora), a variante de Nelas deveria ir até à Zona Industrial de Canas.  “A Câmara deve lutar até aos limites das suas competências e forças pela requalificação da Linha da Beira Alta, nomeadamente tudo fazendo para a reabertura de estações, como a de Canas, reposicionado-a para a malha urbana, assim como a reabilitação de alguns apeadeiros, para a tornar numa linha de caráter mais urbano, que se possa usar no dia a dia”, chamou a atenção, indicando também “a reorganização do trânsito e estacionamentos nos principais aglomerados do concelho”, como áreas prioritárias.  
Artur Jorge, Vereador do PSD, deu conta da intenção do seu partido efetuar várias sugestões para os próximo orçamentos, em termos de sinalização e canalizações, por exemplo.
Por seu turno, Adelino Amaral, Vereador socialista, defendeu que “para mim o eixo prioritário para o concelho é o IC37 – se tivermos que optar entre a conclusão do IC12 e a construção do IC37, prefiro o IC37 em conjunto com a requalificação da Linha da Beira Alta”.

Borges da Silva anunciou entretanto a intenção de candidatar ao próximo quadro comunitário “projetos de reabilitação urbana em Nelas, Canas, Caldas da Felgueira e Santar”. “Não há dinheiro para construção de estradas e as nossas prioridades para 2016 em termos orçamentais, são a construção das ETAR´s, o que vai implicar que nos próximos dois anos se gaste mais nisto do que o montante que temos disponível nos orçamentos para investimentos”, adiantou ainda.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies