Borges da Silva é contrário à redução, pelo menos para já, do horário de trabalho na autarquia para 35 horas semanais

Depois do Vereador Manuel Marques ter avançado ao nosso jornal que pediu um estudo sobre a viabilidade da autarquia poder reduzir o horário de trabalho para as 35 horas semanais, o Presidente da Câmara, mostrou-se contrário a essa opção neste momento, sustentando que “não faz sentido que a entidade que está a pedir sacrifícios financeiros aos munícipes, reduza o horário dos seus funcionários para 35 horas, quando quem está nas fábricas, por exemplo, trabalha 40 horas. “Reafirmo que em 2016, como tudo indica estaremos dentro do limite do endividamento, e assim poderemos ter a liberdade de tomar outras decisões”, fez saber.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies