“Decifra !! A poesia Sem faltas de ar”

Carla Alexandra Pessoa Tavares, nasceu em Viseu, concelho de Nelas, na localidade de Lapa do Lobo, residente em Canas de Senhorim, prepara-se para lançar o seu primeiro livro : “Eu conheço-te?Jamais te conheci! “. 
Sempre teve o gosto pela escrita mas intensificou-se nesta nova aventura a nove de Setembro de 2013. “Refugiei-me numa página da rede social Facebook, para começar a divulgar o que me ia na alma”, conta ao nosso jornal. A página já tem mais de 53 mil seguidores e mais de 200 mil visualizações por semana. Depois de ter ganho o 1º prémio no concurso de micro contos da Fundação Lapa do Lobo em 2014, começou também a divulgar os seus escritos nos Amantes da Poesia e Clube dos Poetas Vivos – grupos no Facebook que muitas editoras seguem na busca de novos talentos. Foi aí que surgiu o interesse de algumas editoras, entre as quais a prestigiada Chiado Editora, com quem assinou o contrato no início de 2015, para editar o seu livro, numa primeira tiragem de 500 exemplares. “Escrevo poesia, prosa e desabafos, sendo que a poesia em rima é livre, mas a minha forma preferida é mesmo a prosa, pois é aí que existe mais liberdade de expressão”, confidencia-nos. “Retrato que ninguém conhece ninguém, ninguém é de ninguém, o amor, o vazio, a saudade e a não reciprocidade do amor e o sofrimento – pode-se dizer que é uma ficção, ou talvez não”, explica-nos, assumindo que “os gostos que no Facebook começaram a aparecer em grande quantidade nos meus escritos, foram uma grande motivação “. São 270 páginas plenas de emoções que retratam “A realidade de um acordar e adormecer entre dias sim e dias não. Sozinha, acarinhada pelos ecos do silêncio, onde os ponteiros do relógio não avançavam, mas a saudade gemia, doou sonhos pela madrugada, porque a noite era fria.”  
Aqui deixamos uma poesia e uma prosa : 
Poesia!
“Não me preocupo com a rima 
Muito menos com metáforas ricas 
Ou a aparência do verso, 
Dela só quero alma 
E colocar sentimento.
Aquele que faz estremecer 
E rasga a veia
De quem está a ler
E arrepia por dentro.
E beijo-te lá
Na essência
De cada recanto teu
Nas reticências de uma escolha
Ou no ponto final de uma decisão

Gosto da química perfeita
Onde te assalto o corpo 
E dou o meu.
Em gritos de revolta
Escondo
Monstros que me afligem
Ou anjos que me acalmam 
O olhar.
Decifra !!
A poesia
Sem faltas de ar,
Junto ao teu ouvido
Murmúrios da minha boca te fazem calar”
Prosa :
Se for para falar de mim…
Os meus lábios são segredos, os meus olhos labirintos, as minhas mãos são tudo o que escrevo, quando resgato da alma tudo o que sinto. Porque tudo o que sinto, toca no fundo, no sugar da força, e deixo transbordar para os dedos em cada palavra que vos escrevo. Quando o amor se me atravessa no peito, nas horas vazias em que o silêncio se declara no meu leito.
Se for para falar de mim… Sou nuvem passageira.
Pássaro que voa sem destino.
A apresentação do livro vai ser feita pelo orador Rui Fonte, responsável pela Biblioteca da Fundação Lapa do Lobo.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies