TURISMO vive o melhor ano de sempre em Portugal com mais 9% de dormidas

Zach Pretekin, 31 anos, não surfa como Garrett McNamara mas foi uma entrevista do surfista norte–americano a uma publicação americana que o convenceu a vir conhecer as ondas e as praias portuguesas. Mostrou o artigo aos pais, Linny, 64 anos, e Roger, 71, e desafiou-os a conhecer Portugal. A viagem, que coincidiu com o Dia Mundial do Turismo, foi “barata” e paga com milhas de uma companhia aérea, contam ao DN/Dinheiro Vivo: nos oito dias divididos entre Lisboa, o Douro e algumas praias da costa oeste, deverão gastar cerca de dois mil dólares. “Chegámos ontem e estamos a adorar o clima. A cidade é bem mais barata do que esperávamos e menos cara em relação a muitas outras na Europa. Podemos andar calmamente pela cidade”, explicam os norte–americanos residentes no Colorado, que comparam a beleza de Lisboa à de Paris, mas com preços mais baixos. No entanto, a comunicação de Portugal turístico nunca foi feita no sentido de promover um destino barato, assegura Adolfo Mesquita Nunes. “Sempre acreditámos que quanto maior for a procura, mais esta será sustentada em preços elevados. E este ano, cada dormida está a deixar mais dinheiro do que as do ano passado. Temos conseguido aumentar a procura e os preços refletem esse aumento”, disse o secretário de Estado do Turismo ao DN/Dinheiro Vivo.
Nos primeiros sete meses deste ano, a hotelaria portuguesa recebeu +8,8% de hóspedes, que deram origem a quase 27 milhões de dormidas (+7,3%), de acordo com o relatório mensal do Instituto Nacional de Estatística. No turismo interno, os portugueses foram os que mais contribuíram para este aumento (+7,3% no acumulado até julho), embora os estrangeiros tenham mantido a tendência de subida (+7,2%). As receitas turísticas internacionais ultrapassaram os seis mil milhões de euros nos primeiros sete meses deste ano, segundo o Boletim Estatístico do Banco de Portugal. De acordo com o índice Trivago Hotel Prices, não só a ocupação aumentou como o preço dos hotéis: em agosto, os hotéis em Portugal registaram um dos valores mais altos dos últimos anos, um crescimento de 13% face ao mesmo período do ano passado (para 130 euros/noite/por quarto duplo). Segundo o mesmo índice, Lisboa atingiu a 11.ª posição entre os 45 destinos mais populares do mundo na relação qualidade-preço, imediatamente à frente de Madrid, Rio de Janeiro, Berlim e Barcelona.
“O objetivo do Plano Estratégico Nacional do Turismo era um aumento de 6,3% por ano em termos de receitas. Neste momento, cresce 12% ao ano”, detalha Adolfo Mesquita Nunes.

Todos os dias os turistas deixam 28 milhões de euros em Portugal. Tony, Alistair, Drew, Abdul, Michel e Richard têm quota nas contas. Estão sentados num quiosque da Avenida da Liberdade, em Lisboa, a beber cerveja. A cidade serviu de ponto de encontro de amigos, que vivem na Suíça e no Reino Unido, por ser pitoresca, ter boa comida, bom vinho e boa cerveja. Ficam até terça-feira, por isso já não vão a tempo da Golden Week Lisbon. Entre 1 e 10 de outubro, a Avenida da Liberdade promove uma semana de lojas de luxo e de decoração especialmente para chineses que coincide com uma série de feriados nacionais na China.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies