Carta de Povoamento de Oliveira de Currelos nas Jornadas Europeias do Património em Carregal



Foi há 910 anos que tudo começou. A concessão da Carta de Povoamento fazia surgir a villa de Oliveira de Currelos. Foi esse documento que deu vida às comemorações concelhias das Jornadas Europeias do Património, ao ser apresentado o documento original, em sessão realizada no dia 26, no Museu Municipal Manuel Soares de Albergaria.

A publicação ora apresentada, da autoria de Maria Teresa Nobre Veloso, doutorada em Letras, professora associada na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, área científica de História Medieval Portuguesa, e especializada em Relações Diplomáticas de Portugal com a Santa Sé na Idade Média, é uma evocação histórica dessa concessão.
Paula Teles fez a abertura oficial da sessão referindo-se ao documento como um forte contributo para a história e identidade local e depois ao agradecer, em nome da equipa do Museu, a colaboração desta profissional designadamente com o Município e, em particular, com o Museu Municipal.
Seguiu-se a apresentação da Carta de Povoamento pela autora da publicação. Maria Teresa Nobre Veloso fez a descrição histórica da doação de villas desta região (Papízios, Currelos e Oliveira do Conde) e da concessão da villa de Olibaria de Currelos, em 1105. Esclareceu então que o nome de Currelos provém do facto de ali ter sido local de um antigo aglomerado de currais de guarda de animais das raças bovina e cavalar.
Lembrou depois as vicissitudes, terramotos e destruições registadas ao longo dos 910 anos para sublinhar o estado de conservação da Carta, que elogiou efusivamente, e acrescentou que a Câmara Municipal “tem todos os motivos para se sentir extremamente orgulhosa” por ter terras sobejamente disputadas e nobres.
Coube a José Sousa Batista, vice-presidente da Câmara Municipal, encerrar a sessão. Ao fazê-lo referiu-se à Carta que afirmou tratar-se de um documento de extraordinária importância, que reflete as origens do território concelhio. Depois, agradeceu a colaboração e conhecimento deixados por Teresa Nobre Veloso, que enalteceu pela eloquência da intervenção reforçando: “O nosso ego sai enobrecido e fortalecido (…). Creia-nos honrados. Aprende-se muito com quem sabe, com quem nos perpetue estas coisas!”.
No final foi distribuído um exemplar da publicação a todos os presentes, que a autora gentilmente autografou.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies