Encanto e muita fantasia num repasto memorável …

Ontem, durante a Viagem Medieval da Canas do Senhorim, tivemos a honra de participar na Ceia Medieval “O PRAZER DA MESA NO SÉCULO XV”. Podemos agora avaliar a experiência de assistir, e ao mesmo tempo participar ,num espetáculo que agraciou, com suas mais variadas facetas ,os nossos cinco sentidos. 
Com fineza e principalmente com muita alegria fomos recebidos e devidamente trajados para ingressarmos, como manda o figurino, no grande salão situado nos Claustros, onde teve lugar o evento. A decoração, cuidada com detalhes, remeteu-nos para uma experiência de sonhos e tradições. Os convidados, usando roupas características da época, pareciam já estar adaptados aquela viagem no tempo. Reis, rainhas, princesas, príncipes, padres, copeiros e copeiras além do gentil e cómico bobo da corte, como mestre de cerimónias, numa atmosfera aperfeiçoada pela iluminação à luz velas e candelabros. O Coral Polifónico Canense, Canto e Encanto, deu início à apresentação musical com árias quinhentista. 
Relativamente ao repasto, para entrada foram servidas tripas do reco cheias, coxas d’aves, petingas escabechadas e frutos de oliva, seguidos de um delicioso e quente caldo da panela com carnes, hortaliças e feijão para estimular o apetite.
O primeiro prato a deliciar os nossos paladares foi trutas escabechadas acompanhadas de migas e feijão frade,  regados sempre com um bom tinto do Dão, enquanto os nossos olhos e ouvidos eram agraciados com um formoso e encantador espetáculo de dança do ventre. 
A seguir fomos servidos com um pernil de bácoro, acompanhado de maçã assada e legumes salteados. Para mais e como se não bastasse, o grande banquete seguiu com bifinhos de veado com puré de abóbora e cogumelos. Entre estes, apresentações musicais com tambores, violas e gaitas de foles, que de forma arrebatadora nos levaram a dançar, num envolvente clima de alegria  que nos inseriu numa apresentação repleta de emoções, sorrisos, música, dança, arte e muitos deleites gastronómicos. 
Para finalizar, uma apresentação de malabares e cuspidores de fogo e como não poderia deixar de ser, entregamo-nos depois ao açúcar, com doces e bolos, queijo Serra da Estrela, requeijão e frutos secos e da época. Satisfação e encanto são as palavras que melhor definiram essa nossa experiência. 
Daniela Brandão

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies