Bandeira a meia haste na Casa do Passal em homenagem a MARIA BARROSO

– A Falecida era Presidente do Conselho de Administração da Fundação Aristides de Sousa Mendes
O membro do Conselho de Administração da Fundação, Luís Fidalgo, deixou hoje uma mensagem de homenagem e pesar pela morte de Maria Barroso, na sua página pessoal no Facebook, que aqui reproduzimos : 
A “Casa do Passal” em Cabanas de Viriato – Carregal do Sal, agora toda bonita e imponente, augurando um futuro promissor, deveria ostentar hoje uma bandeira a meia haste, em memória de Maria de Jesus Barroso. Ironicamente, esta grande Senhora, que tantas e tantas vezes esteve à porta da Casa do Passal, que tanto lutou pela reabilitação de Aristides de Sousa Mendes e do restauro do palacete, já não teve oportunidade de o ver após as obras que ali ocorreram recentemente. Passando os olhos pelas notícias e testemunhos sobre a morte de Maria Barroso, percebemos a admiração que granjeou, da esquerda à direita, junto da sociedade portuguesa e internacional. Mas, o que eu gostaria de aqui e agora realçar, foi o papel decisivo de Maria Barroso na “Causa Aristides de Sousa Mendes”. Na verdade, desde a primeira hora, Maria Barroso, lutou pelo reconhecimento público deste nosso herói, retirando-o do esquecimento e do ostracismo a que estava votado. Não regateou esforços para que o nome de Aristides de Sousa Mendes fosse reabilitado e justamente reconhecido como um grande exemplo de humanismo da história contemporânea nacional e universal. Deveram-se à sua iniciativa as duas Homenagens Nacionais prestadas a Aristides de Sousa Mendes. Maria de Jesus Barroso, figura nacional e enquanto mulher de Mário Soares, então Presidente da República, aceitou sem pestanejar presidir à Fundação Aristides de Sousa Mendes e integrar assim os seus órgãos, sabendo que, para alem de alguns elementos da família de Aristides de Sousa Mendes, os restantes eram uns “ilustres desconhecidos”. Recordo sempre com emoção, quando em 1994, foram promovidas homenagens em Bordéus ao Cônsul Aristides de Sousa Mendes, nos diversos eventos que então decorreram naquela cidade francesa, a organização barrou a entrada a familiares e amigos. Foi a pronta intervenção da Dra Maria Barroso que, ao ser chamada à atenção para o que estava a acontecer, de forma indignada e energicamente disse para os presentes “esses senhores e senhoras, são as pessoas mais importantes nestas cerimónias, são familiares e amigos de Aristides de Sousa Mendes”. Daí em diante, em todos os eventos que decorreram,, aquele grupo passou a ter um lugar de destaque e sempre junto de Maria Barroso. Os apelos que fez, as influencias que movimentou, as acções em que participou, muito fizeram para que o nome e o exemplo de Aristides de Sousa Mendes hoje tenha a repercussão que tem e o reconhecimento que lhe é devido. A Dra. Maria Barroso, deslocou-se muitas vezes a Cabanas de Viriato e ao nosso Concelho, sempre com a simpatia e a humildade que a caracterizava e com as palavras certas de incentivo para as metas que a Fundação devia prosseguir, à frente das quais estava a recuperação da Casa do Passal. Não posso esquecer a visita que, em 2004, com o Dr. Fernando Nobre da AMI, fez a Cabanas de Viriato e ao Centro Social Profª Elisa de Barros Silva. Ali almoçou com os Utentes e com todos confraternizou, deixando-lhes sempre uma palavra de ânimo e de sincera admiração pelos percursos de vida de cada um. Foi a Drª Maria Barroso que “salvou” a Fundação Aristides de Sousa Mendes do seu imediato desaparecimento, logo após ter sido instituída. Em reunião por si promovida nas instalações do Colégio Moderno, onde agora está em câmara ardente, estando presentes o então presidente da Câmara de Carregal do Sal, Atilio Nunes, o autor destas singelas linhas, Luís Fidalgo e o agora Vereador da Câmara Municipal, Francisco Campos, a Dra. Maria Barroso demonstrou toda a sua diplomacia e capacidade de diálogo fazendo convergir todas as vontades para o que era essencial. E, o essencial era o trabalho em prol da “Causa Aristides de Sousa Mendes”. Em cada um dos presentes, estou certo, arranjou um admirador. 
A última vez que estive com a Drª Maria de Jesus Barroso, foi no passado mês de Abril na Homenagem que a cidade de Fafe lhe prestou pelo seu exemplo de humanidade e de vida. Como então referiu o simpático anfitrião Presidente da Câmara de Fafe, Maria Barroso “tem lutado pelos direitos e dignidade humana como poucos, foi sempre uma lutadora, por isso merece o nosso reconhecimento”. Maria Barroso, emocionada, disse então “Estou comovida com esta distinção. Não mereço tanto. Fui sempre uma mulher simples e muito atenta às dificuldades, tentando fazer sempre qualquer coisa para ajudar, com aquela força do amor que nos deve ligar a todos.” Premonitoriamente, a homenageada disse também, “obrigado Fafe por esta homenagem. Isto dá-me força para eu partir, deixar este mundo, com consciência que posso ir e encontrar um bom acolhimento quando for para o outro lado”.
Nos momentos que então tive a honra e ensejo de partilhar com a Dra. Maria Barroso, esta mais uma vez perguntou: “e como vão as coisas lá por Cabanas? e a Casa (do Passal)?”. Ficou muito contente por saber que a “Casa” estava bonita e imponente, rematando…. “um dia destes, lá irei vê-la”. Convido-vos hoje a olhar para a “Casa do Passal”,”imaginando” que ela ostenta uma bandeira esvoaçando a meia haste em homenagem à Dra. Maria de Jesus Barroso, uma grande Senhora de Portugal, uma lutadora, uma humanista, uma grande amiga da “Causa Aristides de Sousa Mendes”.
2015-07-08
Luís Fidalgo
(Membro do CA da Fundação Aristides de Sousa Mendes)

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies