Sérgio Rodrigues concluiu o seu segundo modelo ferroviário

Madeira, serradura, esferovite, fósforos queimados, areia do rio, cortiça, pó de pedra, palitos espalmados, colas e tintas acrílicas, foram os materiais usados por Sérgio Rodrigues em mais uma etapa da sua “obra” de modelismo ferroviário – o segundo modelo está concluído. Os materiais foram sendo doados ao longo dos três meses de execução, desde empresas (Mota Alumínios, que forneceu o esferovite), a um Café (Café Sobral em Parada), até vizinhos, Junta de Currelos, entre outras ajudas. A execução do próximo modelo, que fará a ligação a este, já arrancou, e o mentor do projeto, que como já adiantámos é deficiente motor, continua com grande entusiasmo e dedicação, mostrando toda a sua arte e paixão pelo mundo dos comboios.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies