NACO : “PALCO DOIS OU MENOS” inicia-se a 1 de Maio em Oliveirinha

Arranca, no dia 1 de maio, mais uma edição do Palco para Dois ou Menos.
Organizado anualmente pelo NACO – Núcleo de Animação Cultural de Oliveirinha – o festival “promete um mês de Teatro, de Livros e Música”, em espaços diferentes e abrangentes numa aposta clara na dinamização cultural da região.
Por isso, o Festival passa, naquela que é a sua IX edição, não só pelo concelho de Carregal do Sal, mas também por Nelas e Tábua indo ao encontro dos grandes objetivos da entidade promotora – “Sonhar um teatro fora dos centros urbanos, ultrapassar as barreiras da aldeia, sem voltar as costas à comunidade envolvente (..).”
Sob o mote de a Grande Ilusão, “um pouco inspirado pelo belíssimo filme de Jean Renoir de 1937” (…) o festival apresenta, como escreve o diretor artístico, Cristóvão Cunha, “um conjunto de obras que nos fazem pensar o presente ora através do riso, ora através da poesia, ora através do silêncio. Peças que nos ajudam a ver o mundo de forma diferente.”
De 1 a 23 de maio são muitas e diversificadas as propostas culturais.
A primeira, na sala de teatro do NACO, em Oliveirinha, “O medo que o general não tinha”; a segunda, “O Gene do Corvo”, no dia 2, no concelho de Nelas, pelos Palmilha Dentada.
Nos dias 9 e 10, o NACO estreia o seu novo projeto para dois atores – “Viemos todos de outro lado”, uma peça de humor bastante fino de Luís Mourão sobre a emigração e o ser-se português lá fora, com Jorge Frias e Nelson Gil a trabalharem no duro.” Nesse domingo à tarde é apresentado o livro “Artes e ideias de desconcentração” de João Luís Oliva. Rui Macário e Helena Silva acompanham-no nessa tarefa fazendo esta última uma referência à sua tese de mestrado sobre teatro e a comunidade que apresentou na Escola Superior de Música e Artes Espetáculo do Porto, e que tem como núcleo central o NACO.
“Como pedras fora do chão” é apresentado no dia 16 no NACO e a 17, Museu do Falso de Rui Macário, desafia o primeiro museu a invadir um palco e partilhar as suas linguagens. Inédito e estreia absoluta no NACO!
O festival de teatro termina no fim de semana seguinte com aquilo a que o diretor artístico designa de “a primeira, grande e ÚNICA excepção do Festival! Pela primeira vez, vamos ter 3 intérpretes numa peça nos palcos do Centro Cultural de Carregal do Sal e de Tábua, outra das nossas fantásticas parcerias para esta edição.” Édipo, a peça inspirada no clássico de Sófocles, pela Companhia Chapitô. Será nos dias 22 (Tábua) e 23 (Carregal do Sal).
Nesse mesmo dia e pensado para os mais pequenos, o NACO propõe Roger Bento que vai fazer rir o público mais novo com o “Sr. Silva”, à tarde, em Oliveirinha.

De 1 a 23 de maio, e nas palavras de Cristóvão Cunha, “num formato singular ao jeito de uma rede cultural, o palco para dois ou menos acontece em duas localidades ou mais! “

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies