Escola de Artes da Lapa do Lobo foi inaugurada num momento único para a freguesia

– Conclusão da Requalificação da Escola Primária, numa parceria, em partes iguais, entre a Câmara Municipal e a Fundação Lapa do Lobo, permitiu celebrar protocolos de colaboração com a Junta da Lapa, o Agrupamento de Escolas de Canas e a Associação Cultural ContraCanto, dirigida pelo encenador António Leal. 

Foi um momento marcante para a história da Lapa do Lobo. Depois de verem a sua Escola Primária encerrada pelo Governo, no início deste ano letivo, os Lapenses veem agora o emblemático edifício ressurgir das cinzas, totalmente remodelado e pronto para ser dinamizado pela Escola de Artes. Visivelmente realizado, o Presidente da Câmara de Nelas, sublinhou no seu discurso que “pretendemos que este seja um projeto regional”. Borges da Silva, agradeceu ao seu colega Rogério Abrantes, edil de Carregal do Sal e aos deputados do PS,Acácio Pinto e José Junqueiro, relevando que “o que a Câmara Municipal está a fazer é o mínimo que uma entidade pública pode fazer, procurando acompanhar o investimento que a Fundação Lapa do Lobo está a fazer em todo o concelho”. O autarca revelou que a recuperação da Escola, numa magnífica obra, foi feito numa parceria “em partes iguais”, com a Fundação Lapa do Lobo.”Desde o início do encerramento incompreensível da escola, pensámos que, perante o desenvolvimento que a Lapa está a registar, tínhamos que reabilitar este espaço”,afirmou, prevendo “no futuro poder aqui existir uma oferta em termos de ensino público”. Lembramos que a ideia de ali ser criada uma Escola Profissional foi defendida por Borges da Silva, aquando do encerramento do estabelecimento de ensino. “Vamos ter agora a oportunidade deste espaço ser palco para iniciativas da Junta, da Fundação Lapa do Lobo, Agrupamento de Escolas e da Associação ContaCanto, que representa uma marca de excelência em termos culturais – a mesma excelência que procuramos a cada dia que passa, para o nosso concelho”, referiu, enaltecendo o trabalho do encenador, António Leal : “vi quatro grande espetáculos que realizou e tenho a certeza que a Contracanto vai ser uma marca no domínio das artes, da representação, da música e assim ajude que o nosso concelho, também por via da cultura, se torne mais atrativo na qualidade de vida”. O protocolo de cooperação firmado, tem a duração de 12 meses, renovável automaticamente. 
Carlos Inácio, presidente da Junta de Freguesia, defendeu que “esta não é a altura de nos lastimarmos por os alunos irem para Canas. O mundo mudou. A Lapa também não foge a este desígnio, mas sim de olhar para o futuro, pois a Requalificação do edifício e sua dinamização será uma excelente forma de atrair jovens e menos jovens para a freguesia”, dado que “a nível da educação e cultura estamos bem servidos, mas onde estão as crianças?”, chamou a atenção, agradecendo mais uma vez o que Carlos Cunha Torres está a fazer pela Freguesia. O autarca da Lapa aproveitou ainda a oportunidade para lançar um apelo a Borges da Silva : “é preciso resolver o problema dos esgotos na freguesia, ampliar o cemitério e pavimentar ruas na nossa freguesia”. Carlos Cunha Torres, presidente da Fundação Lapa do Lobo, elogiou os esforços do Presidente da Câmara em todo este processo : “Borges da Silva fez tudo para evitar o encerramento da escola, mas perdida esta guerra, ainda bem que se encontrou este caminho”. “Se todos lamentámos o fecho da escola primária, acho extraordinário que na Lapa do Lobo esteja a nascer uma escola de artes e que a Câmara Municipal tenha classificado a Lapa do Lobo como Aldeia Cultural”, realçou.”Espero que daqui saiam grandes projetos e grandes espetáculos – vamos aguardar pelas surpresas que nos serão reservadas”, concluiu.
António Cunha, presidente do Agrupamento Escolas Canas, também visivelmente satisfeito com a obra, admitiu nunca ter visto tanta gente na Escola, para assistir ao seu renascimento. “A associação ContraCanto tem feito um bom trabalho”, referiu, para abordar a questão do acolhimento dos alunos da Lapa no Agrupamento de Canas : “não temos um Centro Educativo, esperamos ter no futuro, para oferecer ainda melhores condições aos alunos”.
António Leal, presidente da Contracanto, um dos grandes protagonistas do evento, que terá a cargo a maior responsabilidade de dinamização do espaço, começou por dizer que “imagino que alguns de vocês tenham aprendido o vosso nome nesta casa” e agora “a Contracanto nasce aqui, nesta terra”. “Sinto que a Contracanto vai aqui escrever pela primeira vez o seu nome, como muitos de vocês fizeram e aqui abraçar pessoas, não dividi-las”. Metaforicamente afirmou, emocionado, que “se a Contracanto fosse uma flor, a última pétala seria um bem-me-quer”. “Temos um projeto sério, ambicioso e honesto”, garantiu o encenador, adiantando que “queremos apenas ensinar e partilhar, nada mais, colaborando com todos”. “As centenas de jovens da Contracanto vão encher este espaço com alegria e vamos receber aqui todos sem exceção – os jovens e os menos jovens”.
“Eu não sou da Lapa do Lobo, mas tenho muitos amigos aqui. Há seis anos que o meu coração está aqui – estou feliz e contente, venha o futuro”, rematou.

15 comentários a "Escola de Artes da Lapa do Lobo foi inaugurada num momento único para a freguesia"

  1. A parte do discurso que eu gostei mais foi quando falaram no Professor Antero.

    • Estavas à espera de quê?
      Os dois primeiros da Junta da Lapa não são da Lapa. E ainda essa questão do Sr Prof Antero é ainda mais relevante considerando que ele foi o primeiro presidente da Junta. Enfim espera-se um Lapense presidente da Junta. Volta Salomão ou outro parecido

    • melhor foi ainda quando se lembraram do nome do Professor Abilio Augusto Correia, estes e que pensam que eles é que são gente, não dão nada que seja deles

  2. Que não seja motivo para se deixar de lutar pela Escola Profissional Publica, que o Dr. Borges da Silva diz ter sido prometida pelo Ministério da Educação.
    E que as crianças da Lapa não tenham de ir para a Escola de Vale de Madeiros

  3. é positivo o diretor do agrupamento de Canas falar no centro escolar (disse educativo, enganou-se) , equipamento fisico absolutamente necessário para que haja igualdade de condições para todos os alunos.

  4. Em Setembro os alunos da Lapa vão para a escola …………………… de Vale de Madeiros . vai ser a noticia de abertura na TVI

    • eheheheheh
      os alunos da terra maior vão para a terra menor
      não teria mais lógica ser ao contrário?

    • A escola EB 1 de Vale de Madeiros já está encerrada desde 2011/2012, serve a mesma como um polo da EB 1 da Feira em Canas de Senhorim.

  5. tudo é possivel, fruto do comportamento dos responsáveis de Canas que até ontem, nem podiam ouvir as palavras CENTRO ESCOLAR

  6. Os discursos que eu gostei mais foram os que ouvi cá fora, principalmente o da Sra. Divina, tanto tempo a limpar a escola nem convidada festa foi, é por ser do Proletariado.
    Mal formados.

  7. Possivelmente a Sr.a Divina não é socialista nem amiga do presidente da Câmara

  8. Todo o povo foi convidado, ou não sabe ler ou é simplesmente mal intencionado o comentador anterior. O costume.

    • Mais areia, toca a atirar areia.
      Toda a gente foi convidada, alguns foram foi pessoalmente.
      Estavam com medo de só aparecer o povo, toca a convidar gente importante.

  9. A sra. Divina, pasme-se, foi a única pessoa a visitar a Escola antes da inauguração (com excepção dos trabalhadores, da Câmara, da Junta e da Contracanto) e nesse dia foi convidada PESSOALMENTE, pelo presidente da Contracanto a estar na inauguração, preferiu ficar no banco as ver de longe, opções pessoais…
    Percebem que nenhuma escola fecha se tiver alunos? ou não percebem?
    Parece-me que a culpa do fecho da escola será mais dos ilustres Lapenses, alguns com responsabilidades autárquicas, que matriculam os filhos noutras escolas do que da Junta, da Câmara, do Agrupamento de Escolas, da Contracanto ou mesmo do Governo do País… ou não será?
    Tenho pena, muita pena mesmo, porque gosto da minha terra, que para os outros (os que nos visitam) sejamos uma aldeia cultural e para nós….
    Numa terra em que tem sede uma Associação que leva a palco um teatro musical que atrai quase 3000 pessoas, onde tem sede uma Fundação privada que disponibiliza bens culturais de topo, que muitas cidades queriam ter, tenho pena, muita pena que CULTURA seja apenas…
    "substantivo feminino
    1. Acto, arte, modo de cultivar.
    2. Lavoura.
    3. Conjunto das operações necessárias para que a terra produza.
    4. Vegetal cultivado.
    5. Meio de conservar, aumentar e utilizar certos produtos naturais."
    Tenho pena, muita pena, mas só me apetece dizer
    "DÁ DEUS NOZES A QUEM NÃO TEM DENTES"

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies