“Porque a propaganda sai cara só me resta votar contra a aprovação da Conta de Gerência de 2014”

O Vereador do CDS/PP, Manuel Marques, fez chegar à nossa redação a Declaração de Voto que sustenta o seu voto contra a aprovação da Conta de Gerência de 2014, sublinhando que “o Executivo apenas gastou em obras 364 mil euros, desprezando por completo as Freguesias” : 

Declaração de voto:
Depois de cada dia que passava ser enviado um Mapa de Demonstração de Resultados, todos com números totalmente diferentes, surge só na hora da reunião o quarto Mapa de Demonstração de Resultados, em total discordância com o primeiro, em que aquele apresentava um resultado líquido do exercício do ano de 2014, um valor negativo de 223.466.61€, e o último com um resultado positivo de 111.331,22€.
Bem sabemos que os Serviços da Autarquia estão isentos de todas estas trapalhadas, até porque é primeira vez na nossa história de vida de autarca, e já lá vão uns anitos, que isto acontece e também é a primeira vez na história que a nossa Autarquia contratou Revisores Oficiais de Contas, para acompanhar e auditar a Contabilidade Municipal.
Vamos então aos números apresentados:
Nas Contas de Gerência de 2013, foram considerados 3.224.916.63€ de amortizações do exercício, enquanto que, este executivo, apenas 2.671.519,21€, logo aqui encontramos uma diferença de 553.397,42€.
Nas provisões de 2013, o valor considerado foi de 895.625,04€, e em 2014, o valor apresentado foi de 49.592,25€, o que traduz uma diferença de 846.032,79€.
Continuando análise do Mapa de Demonstração de Resultados, também verificamos que, na conta de fornecimentos externos, na qual entra a fatura da electricidade e dos combustíveis, electricidade de iluminação pública, que o anterior executivo teve a coragem política de desligar algumas luminárias, os números de 2013, são 2.591.825,01€ e em 2014, os números são 2.181863,40€, havendo também neste caso uma diferença de 409.961,61€
Nas taxas e impostos o anterior executivo arrecadou em 2013, 3.002.592,82€ e este executivo em 2014, arrecadou 3.316.050,23€, arrecadando mais 313.457.41€.
Verificou-se também no Mapa apresentado que na rubrica “ Transferências e subsídios obtidos” em 2013, foram arrecadados 5.257.085,51€ e em 2014, por este executivo o valor arrecadado foi de 5.500.400,08€ o que aqui também há um acréscimo de 243.314,57€.
Acrescentando a tudo isto um crédito deixado pelo anterior executivo, pelo abastecimento de água no valor de sensivelmente 250.000,00€ e um projeto pendente de aprovação, com Recurso Hierárquico no valor de 90.000,00€, referente ao depósito construído entre a Casa dos Cantoneiros e Vilar Seco.
Não se sabendo, porque não nos foram facultados esses elementos, se este executivo recebeu aimportância de 130.021,66€, referentes a obras executadas pelo anterior executivo no Programa QREN.
Resulta dos números apurados, que se este executivo tivesse lançado os mesmos valores de amortizações e provisões lançados em 2013, tivesse gasto com electricidade, combustíveis o mesmo que foi gasto em 2013, tivesse cobrado os mesmos impostos e recebidos os mesmos subsídios, o resultado líquido negativo do exercício seria de 2.522.223,85€, muito superior ao do ano de 2013 que se cifrou em 2.460.467,17€.
Quanto á divida Bancária da Autarquia:
Em 31 de dezembro de 2013, era de 14.142.491,27€
Em 31 de dezembro de 2014, era de 12.964.291,04€
Tendo diminuído1.178.200,23€ explicaremos como foi amortizado este valor!
As despesas com o pessoal em 2013, eram de 3.616.258,43€ e em 2014, foram de 3.083.723,43, tendo as mesmas reduzido substancialmente no valor de 532.835,00€; optando este executivo ao recurso de empresas externas, abdicando quase no seu todo da mão de obra dos seus funcionários.
A Receita cobrada de IMI, em 2013, 1.538.587,77€, receita cobrada em 2014, 1.838.013,79€, cobrando a mais este executivo o valor de 299.426.02€.
Acrescentando a estes valores, como acima já se referiu a transferência a mais de subsídios, 243.314,57€, créditos do anterior executivo, mas saiba-se lá porquê, não contabilizados nas contas de 2013, 250.000,00€ + 90.000,00€ + 130.021,66€, totalizando 470.021,66€.
Assim,os valores recebidos, de IMI 299.426,02€ + 470.021,66€, (créditos deixados pelo anterior executivo e subsídios) totalizando 769.447,68€ e se a este valor adicionarmos o valor da redução das despesas com pessoal no valor de 532.835,00€, encontraremos o valor de 1.302282,68€ – 1.178.200,23€ (amortização da divida), ainda resultou um saldo no valor de 124.082,45€.
Se tudo isto não bastasse para o folclore feito quanto à sua gestão, que fez o Presidente da Câmara Municipal de Nelas, quase pondo-se em bicos de pés para ser ministro das Finanças do próximo Governo, seja qual for a sua cor política, lamentavelmente apenas investiu em obras 363.804,89€, desprezando por completo algumas freguesias, em que o investimento foi (0) zero.
Em contrapartida em Seminários, publicidade, festas e almoços, gastou perto de 260.000,00€, resultado de uma pequena análise.
Resulta também destas contas de Gerência do ano de 2014, que nas escolas foram gastos apenas 13.792,33€, na Ação Social 0.00€, nas ETAR,s e saneamento 47.796,39€ e na Proteção Civil e Luta Contra Incêndios 0,00€
Outro dado relevante é que o prazo médio de pagamento a fornecedores no final de 2014, era de 36 dias e o prazo médio de pagamento a fornecedores no final de 2013, era de 34 dias.
Destas Contas de Gerência do exercício de 2014, apenas é de relevar o exarado no Relatório de Gestão a folhas 09, quando se refere a investimento de obras e se diz: “com uma grande redução relativamente a 2013”, infelizmente é a única coisa louvável deste Relatório de Gestão.
 Posto isto e porque a propaganda sai cara e tem que ser paga, só me resta, votar contra a aprovação das Contas de Gerência do exercício de 2014, por o meu sentido de voto não impedir que as mesmas sejam enviadas e apreciadas pelo Tribunal de Contas.
Vila Ruiva, 13 de Abril de 2014
O Vereador do CDS/PP

18 comentários a "“Porque a propaganda sai cara só me resta votar contra a aprovação da Conta de Gerência de 2014”"

  1. estavas tão bem calado!

  2. Contas de somar é contigo. Pelo menos a ver pela dívida da Câmara.. Foi sempre a somar.

  3. Está de volta o grande estadista. Estamos salvos.

    • Já anunciou a sua candidatura. Vale uma aposta em como não será candidato? O máximo a que pode aspirar é ser vereador numa qualquer coligação

      Evidências

  4. chegaste a essas conclusões sozinho?

  5. Coitado ele já nem inclui …qual concluir. Isto são contas pagas

  6. Camaradas olhem que o homem tem razão !!!

  7. Senhores autores do comentários, já que vossas excelências sabem tanto, façam um estudo e contraditem os números apresentados, agora blá … blá., em nada esclarece os nossos concidadãos.
    Desmintam por favor estes números.

  8. 260 MIL EUROS?

    É OBRA !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    NO QUE É PRECISO NÃO GASTA !!!!!!!!!!!!!!!!1

  9. Apesar dos comentários malévolos do(s) homem(ns) do lápis azul do regime, se houver honestidade intelectual, é um esclarecimento muito útil da situação atual da nossa autarquia. Que se saúda. E devia ser saudado por todos.
    Desta forma é também possível estarmos a par da gestão autárquica.
    No que concerne a outros considerandos, sobre o seu desempenho no passado, é outra conversa. Já foi julgado, e provavelmente continuará a sê-lo.
    Saúda-se o teor do documento para reflexão dos cidadãos deste munícipio.

  10. Senhor vereador desculpe a minha ignorância mas pode explicar-me aos olhos da jurisprudência o último parágrafo do seu texto.

  11. Decorre das instruções do Tribunal de Contas, se as mesma não forem aprovadas em reunião do executivo as mesmas não são consideradas como documento, aqui está a jurisprudencia, meu caro!
    Logo com os votos do regime elas seriam aprovadas.

  12. Obrigado senhor jurista. Desculpe senhor dr advogado. Bem respondido

  13. Deixa-te lá estar sentado numa cadeirinha no teu cantinho na câmara de mangualde que assim as contas AQUI NÃO SOBEM

  14. Grande Marques. Apesar de não ter para consigo simpatia especial, pessoal ou política, relevo a tenacidade e o trabalho desenvolvido.
    É que, na questão da gestão autárquica, é sempre bom termos acesso ao contraditório para melhor nos informarmos: recebemos a versão do executivo e da oposição, e cada um que faça os seus juízos.

  15. Não tenho nenhuma simpatia pelo Vereador Marques, mas foi para fazer o contraditório à actual governação da Câmara que ele foi eleito e é pago e acho que até aqui o tem feito bem!

  16. Pede ao executivo municipal, liderado por Borges da Silva, para bem da verdade, se os números apresentados pelo senhor vereador da oposição são ou não os que constam nos documentos de aprovação de contas de gerência?
    Se são estes os números, não se vislumbra a gestão gloriosa do atual executivo.
    Que se diz ser a melhor desde 2002, mesmo "chumbando" a do Partido Socialista, que esteve no poder até 2005.

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies