CÂMARA atribui subsídio de 10 mil euros para os projetos do Lar de Carvalhal Redondo

O subsídio foi aprovado por unanimidade na última reunião de Câmara e tem por objetivo apoiar a execução dos projetos das especialidades. Para além deste apoio, a autarquia contribuirá com a elaboração do projeto de arquitetura e, como adiantou o Presidente da Câmara, Borges da Silva, “com eventuais outros apoios a definir oportunamente, de acordo com as nossas disponibilidades financeiras”.

19 comentários a "CÂMARA atribui subsídio de 10 mil euros para os projetos do Lar de Carvalhal Redondo"

  1. A caça ao voto em todo o seu explendor. O gastar do dinheiro público em favor de votos futuros. Justifica-se um lar em Carvalhal? É a pergunta que se deve fazer? Parece que os politicos descobriram uma nova forma de procurar votos. Plantar lares em tudo o que é sítio. Se o senhor Presidente da Câmara não percebe nada de lares vamos ajudá-lo. A primeira sugestão é esta. Quantas pessoas de Carvalhal se encontram nesta data em qualquer lar da região? A segunda é esta. Com tantos lares prometidos seria bom que o senhor presidente procurasse saber como é que todos vão sobreviver no futuro. Não responda é como o sr Promotor principal desse lar que respondeu a essa pergunta:da seguinte forma "logo se verá. Uns abrem e outros fecham".Bom vamos meditar sobre esta lógica da batata dessa resposta. Se uns abrem e os outros fecham é óbvio que haverá excesso de oferta. Tudo estaria bem, seria o mercado a funcionar se os dinheiros gastos fossem do bolso particular. Agora fomentar um cenário desses com dinheiros dos nossos impostos é que será absolutamente escandaloso. Gastar dinheiro dos impostos deve obrigar a mais cuidado.a maior racionalidade. Não se pode andar a brincar com os dinheiros públicos. Depois gostaria de informar o senhor Presidente que em relação a lares vive numa realidade virtual, longe da realidade. As pessoas não têm dinheiro. Muitas pessoas idosas que poderiam estar em lares estão em casa porque as suas reformas infelizmente são a garantia de que os familiares diretos ainda comem quando ficam desempregados. Há uma miséria escondida. Há uma realidade que muita gente desconhece. O senhor Presidente mande fazer um estudo independente, não um estudo feito pelo promotor. E o estudo deve ter apenas uma pergunta feita a todos os cidadãos de Carvalhal. Não uma pergunta abstrata do género. Se houver um lar em Carvalhl admite um dia ir para lá? É óbvio que 100% dirá que sim porque isso é apenas uma projeção futura. A pergunta nunca pode ser essa. A pergunta deve ser: SE HOJE O LAR DE CARVALHAL ESTIVESSE ABERTO O SENHOR OU A SENHORA IA PARA O LAR ESTANDO DISPOSTO(a) A PAGAR PELO MENOS 800 EUROS ( valor recomendado pela SS)? Perante estas respostas tome-se depoi a decisão. Não se gastem os nossos dinheiros em elefantes brancos com todo respeito das populações. Com tantos lares que o senhor Presidente quer plantar (Canas, Carvalhal, Santar, Senhorim, etc) ainda chegará o dia em que aparecerão propostas de lares venderem tambem terrenos à Câmara (como infelizmente fez uma empresa) para honrarem os seu vencimentos. O problema é que o Presidente da Câmara já será outro. Aposta-se singelo contra dobrado.em como isso irá acontecer. Faço ainda uma sugestão final ao senhor Presidente (que de lares percebe pouco ou mesmo nada). Faça um questionário a um conjunto de fornecedores de produtos a lares da região (e eles são faceis de identificar, alguns até são do concelho) sobre as dificuldades ou não dos pagamentos. Os lares não vivem ricos. Há quem pense que sim, mas estão enganados.
    Prossiga-se pois nesta cegueira coletiva de esbanjar à tripa forra como se não houvesse amanhã.

    • Tem toda a razão caro comentador.

      A notícia diz e passamos a citar:
      "O subsídio foi aprovado por unanimidade na última reunião de Câmara e tem por objetivo apoiar a execução dos projetos"

      Ora bem
      Então querem fazer um lar e nem dinheiro têm para o projeto?
      Ou terão o dinheiro e não o querem gastar por medo do projeto não ser aprovado?

      Se não têm dinheiro…quem não tem dinheiro não tem vicios…ou querem brilhar com o dinheiro dos outros? Esperamos que os nossos impostos não sirvam para pagar megalomanias de quem parte, tendo nada e apenas confiando no dinheiro de todos nós

      Se têm dinheiro e não o querem arriscar por não saberem da decisão final então é pior ainda, pois arriscar por arriscar…arrisca-se o dinheiro do povo…que morra o meu pai…que é mais velho

      Seja como for já se está a ver o filme todo. O dinheiro do povo que avance. Isto não deveria acontecer. Paguem para ter. Pagamos todos pesadíssimos IMI para isto? Então os promutores não são capazes de arranjar 10 000 euros???.

  2. Os dois comentadore estão certos nas críticas. O concelho de Nelas é um dos mais pequenos do distrito de Viseu. Já houve um dia em que o quizeram partir em dois. Agora querem um lar em cada terra, e até dois ou três. Seremos o concelho de Portugal, quiçá do mundo, com a melhor relação lares/população (evidentemente exagerada).

    Andará esta Câmara a viver na terra do faz de conta?
    A vereação da Câmara que ajude fazendo uma boa ação, dando do seu bolso os 10000 euros e entrando já como primeiros benfeitores. Era lindo

    Guardem o dinheiro dos impostos que nos custam tanto a pagar.

    PS- o senhor impulsionador desse lar daria um bom exemplo se avançasse com os 10000 euros do seu bolso. Isso é que era mostrar dedicação ao projeto. Quer dizer o impulsionador não quer arriscar o dele preferindo que o risco recaia nos nossos impostos. eheheheheheeheh.
    E a Câmara vai nisto? Quer dizer os nossos impostos servem para isto? Ai ai senhor Presidente, vai ficar pelo caminho, não vai passar o Bojador muito menos o da Boa Esperança. Os votos que quer ganhar não dão para o prejuizo. Quem o avisa seu amigo é. Gerir bem é salvaguardar os dinheiros dos nossos impostos. Caia na realidade deixando a cada um custear a realização dos seu desejos

    • partir ou repartir NÃO, não é verdade caro anónimo, melhor é CONCENTRAR TUDO EM NELAS, pode ser, mas deixam de ter receitas do estado (transferencias) relativas ao resto do concelho.

  3. Chama-se a isto o politicamente correcto. Fazem-se Lares em cada esquina sem as condições ideais para receber os idosos,quando, à semelhança do que se faz com Centros Escolares, deve haver a concentração numa única unidade para que a construção, manutenção e despesas operacionais sejam reduzidas.Em linha com o que diz o anónimo das 11:41, quantos Lares há no concelho, qual a sua capacidade e quais as necessidades do Concelho? Lembro que num raio 4Km de Carvalhal há pelo menos 3 Lares!
    Devia ser obrigatório os autarcas frequentarem um curso de gestão antes de tomarem posse para não havereste esbanjamento de recursos qu são de todos nós.

    • Concordo e concordo com os anteriores

    • Andam todos a brincar aos lares com os dinheiros dos impostos. Não brincam é com o deles.

      Façam-se estudos coerentes. Mais lares quando no Concelho há camas vagas por ocupar. Se houvesse necessidafe de camas para pessoas de Carvalhal certamente as camas vagas que existem estariam ocupadas. São factos.

      Se for verdade que um dos promotores disse que abrem uns e fecham outros então já estamos num patamer de cegueira, desfaçatez, e até de brincadeirinha.

      Um País e um povo que teve uma troica, cá dentro, está em crise financeira, permite-se andar a brincar com os dinheiros públicos?

      Se a troica soubesse disto diria não

      Agora é claro que estes politicos para agradarem permitem tudo e mais alguma coisa e depois quando vierem as dificuldades já lá não estão.

      Estes politicos esbanjadores precisavam era que um grupo de promotores se disponibilizasse para fazer outra Câmara municipal em Nelas feita com dinheiros públicos e inclusivé com esta Câmara actual chefiada pelo sr Presidente gastador a dar 10000 euros para o projecto da nova Câmara

      Como dizia o meu saudoso avô. Vão gozar com ……….

  4. Instalações para durante o dia estaria bem

  5. Há muito que sabia que havia neste concelho uma dúzia de bocais que não gostavam de Carvalhal Redondo. Parabéns a quem tem lutado por este projeto e o subsídio peca por tardio.

    • "….subsídio peca por tardio….".

      tardio????????

      de contentes vos doi um dente

      há lares no concelho em funcionamento que nunca receberam nada!!!!!!!!!!!!!!!!
      Não se queixem porque já têm no bolso 10 000 euros

  6. O dinheiro atribuído pelo município se não se destinar a uma qualquer associação da sede de concelho ou ao feudo instalado, passa logo a ser mal atribuído. Por ventura se for ao futebol de sede do concelho só aparecem comentários abonatórios ou então associações que caiem no concelho de para-quedas mas que tem um Feudal a dar cobertura e toda a gente mirra a boca. Agora uma povoação que tem mais de 2 centenas de pessoas idosas com necessidades especiais é lhe atribuído migalhas e vê-se esta dor de cotovelo instalado nos que por ventura se lambusão em subcidios. Triste gente!!!

    • COM OS NOSSOS IMPOSTOS é fácil fazer um lar. O dificil é mantê-lo.

    • Quem teve no ultimo CLAS sabe muito bem de quem partem estes comentários. Se não têm os lares cheios, baixem os preços e prestem um serviço digno.

  7. Num raio de 4 Kms de Carvalhal há 5 lares. Nem Lisboa tem esse rácio. .

    • Ora aqui está uma das razões (a mais importante) para que o herário público medite bem sobre investimentos com o dinheiro dos contribuintes.Quando não existem estruturas de apoio compreende-se que o Estado faça um esforço para criar às pessoas condições mais favoráveis. Mas quando existem e como bem se diz neste comentário 5 lares que nem lisboa tem em tão pucos espaço, aí o Estado não deve esbanjar recursos numa altura de vacas magras. Mais vale apoiar e redimensionar as estruturas já existentes no terreno. Somos um País pobre.

  8. É um projecto megalómano

    Nos tais 4 Kms que aqui são ditos existem 17 (DEZASSETE ) estruturas de apoio

    5 Lares
    6 Centros de dia
    6 Apoios ao Domicilio

    Financiar com dinheiros públicos megalomanias será um erro

    Os pais tambem dizem não aos pedidos descabidos dos filhos.

    Dizer não tambem é educar

  9. duplicar serviços sem que haja necessidade para tanta oferta é deitar dinheiro fora

  10. Ai tanta dor de cotovelo!!!

  11. S. Bartolomeu | 24 Março, 2015 às 22:42 |

    Houve uns artistas que andaram a prometer um lar em senhorim…e então onde está ele?
    Agora até têm o poder na Câmara façam ver ao tal de Vila Novinha que são capazes… Isto é um desafio mas como são incompetentes não vão fazer nada, vão aparecer na altura da campanha com promessas não é peneirinha de Lisboa?
    Tenho que dar razão ao tal de Vila Nova … não são mesmo capazes de nada.
    Então fica um desafio aos "Senhores da Junta" também não têm capacidade para tal pois não?

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies