Manuel Marques apresenta moção em defesa da requalificação da Linha da Beira Alta, temendo ser “esvaziada” devido à possível Linha Aveiro-Salamanca

A iniciativa do vereador do CDS/PP acabou por ser acolhida pelo presidente da Câmara. Moção conjunta foi depois aprovada por unanimidade
O ex vice presidente da Câmara de Nelas, Manuel Marques, trouxe à última reunião de Câmara o tema do hipotético novo corredor ferroviário Aveiro-Viseu-Salamanca, que tem sido objeto de forte pressão por parte dos autarcas de Aveiro e Viseu para que venha a ser uma realidade. Também o Secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, já sinalizou esta “possibilidade”. Marques submeteu então a votação uma moção destinada ao Governo, onde refere as seguintes observações:
“Considerando que:
1 – Foi tornado público, e alguns autarcas já se pronunciaram através da imprensa, de uma hipotética linha de comboio Aveiro/Salamanca, que poderá vir a entroncar com a linha da Beira Alta, na localidade de Vila Franca das Naves;
2 – O presidente da Câmara Municipal de Nelas, sobre tal facto nada referiu, nem sequer tal assunto apresentou ao signatário, enquanto vereador da oposição;
3 – Esta obra não será certamente uma mais valia para o concelho de Nelas;
4 – A construção deste troço ferroviário prejudicará substancialmente o concelho de Nelas, consequentemente as suas gentes e a industrialização.
5 – Seria também a morte da Linha da Beira Alta, com avultados prejuízos de todas as autarquias a sul da cidade de Viseu;
6 – Nada mais foi dito pelo Governo sobre a requalificação da Linha da Beira Alta.
Assim, a Câmara Municipal de Nelas, em sua reunião de 27 de fevereiro de 2015, delibera:
 7 – Questionar o Governo sobre a eventual construção da linha de  comboio Aveiro/Salamanca, com o entroncamento da Linha da Beira Alta na localidade de Vila Franca das Naves, distrito da Guarda;
 8 – Questionar o Governo sobre a requalificação do atual traçado da Linha da Beira Alta.
 9 – Questionar ainda o Governo sobre a implantação da tão falada Plataforma Logística Ferroviária, a construir entre Moimenta do Dão, concelho de Mangualde e o concelho de Nelas”.
O presidente da Câmara, Borges da Silva, desde logo concordou com a moção, vincando que “não tomei posição pública mas é uma questão que me preocupa muito e reafirmo que o que tenho em termos oficiais (IEFVA) diz que o Governo Português indicou como prioritária a requalificação da linha da Beira Alta que existe desde 1880”.
Artur Jorge Ferreira (PSD), revelou ter “manifestado preocupação junto da distrital de Viseu pelo assunto da ferrovia – tenho conhecimento que se mantém a linha da Beira Alta e que irá provavelmente ser concluído o IC12”.
Borges da Silva interrompeu a reunião, pedindo alguns minutos para reunir com os vereadores do PS. Depois de analisada a moção, decidiu remover a parte em que Marques refere “sobre tal facto nada referiu”, substituindo por  “sabendo das diligências que o presidente da Câmara tem feito”. O vereador do CDS/PP veio a terreiro desde logo rejeitar esta inclusão, porque de facto “nada sei sobre elas”.
Alexandre Borges, vice presidente da Câmara, ao ouvido de Borges da Silva (que desde logo colocou a sua mão em cima da mão do seu vice) terá visivelmente aconselhado o presidente a substituir a dita expressão, no sentido de ser aprovada por unanimidade a moção.
Rita Neves (PSD), deu também o seu contributo para a resolução do impasse, afirmando “ser lamentável que um assunto tão importante para o concelho não tenha unanimidade, quando bastava tirar a palavra «sabendo», como sugeriu Manuel Marques e também o vice presidente: teria outro valor se fosse aprovada por unanimidade – haverá má vontade do sr. presidente se não aceitar”, referiu.
Borges da Silva acabou por recuar e anuir a substituir o «sabendo que existem», apenas por «existindo» diligências, fazendo assim com que a Moção fosse aprovada por unanimidade.

6 comentários a "Manuel Marques apresenta moção em defesa da requalificação da Linha da Beira Alta, temendo ser “esvaziada” devido à possível Linha Aveiro-Salamanca"

  1. O MM não sabia das diligencias existentes por parte do BS, porque é impossível o MM saber o que não se sabe se existiu.
    Saberíeis vós da existência das tais diligencias?
    Ou apenas fingíeis saber que elas existiram?

    Aqui fica uma ajuda:

    CONDICIONAL
    eu saberia
    tu saberias
    ele/ela saberia
    nós saberíamos
    vós saberíeis
    eles/elas saberiam

    eu existiria
    tu existirias
    ele/ela existiria
    nós existiríamos
    vós existiríeis
    eles/elas existiriam

  2. que tal emparedarem a estação de nelas como fizeram em canas? prefiro ir subir a Viseu do que a nelas.

  3. BS não tomou posição pública porque não aquece nem arrefece à Borgstena nem ao seu escritório!

  4. Não dá para perceber porque é que as actas das Reuniões da Câmara não são aprovadas no dia da reunião e postas "on-line" de imediato!

    • as reuniões são gravadas e daí até serem um texto, ou um documento com 60 paginas vai uma grande distância

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies