Sérgio Rodrigues é um deficiente motor que encontrou no modelismo ferroviário um fonte de realização

   Diversão, grande habilidade e arte, caraterizam a aventura de Sérgio Rodrigues, nutural de Parada (Carregal do Sal), que aos 32 anos é um deficiente motor com grandes limitações. Mas isso não o impediu de se dedicar de corpo e alma ao modelismo ferroviário. “Uma excelente aventura, que a cada dia mais nos surpreende”, dizem os amigos que a cada avanço do seu trabalho ficam mais “cativados e fascinados”. O uso de materiais reciclados, como areia, cortiça, esferovite, cotonetes e paus de gelados, tornam o seu “hobby” mais rico e marcante. No final do trabalho, Sérgio pretende expô-lo publicamente.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies