Portugal é o país do mundo com maior percentagem de área ocupada por vinha

– Nelas é o 17º município (em 308) com maior área relativa e lidera no Dão
  Somos um país com uma ancestral tradição vinhateira, como se pode comprovar pelos dados estatísticos : com 2,59% do território ocupado com vinhedos, estamos na liderança mundial, à frente de Itália (2,55%). 
A análise efetuada pela Revista dos Vinhos, por concelho, permite aferir que são os concelhos situados na região demarcada do Douro os mais vinhateiros : Mesão Frio (36,77%), Peso da Régua (36,46%) e São Marta de Penaguião (34,68%), destacam-se dos demais concelhos do país, que somente tem duas autarquias sem área de vinha registada (Barreiro e Amadora). 
   Na região de Dão, Nelas tem 12,18% (17º a nível nacional) e Penalva do Castelo regista 10% do seu território ocupado por vinha (20º a nível nacional). Nelas faz assim jus ao slogan “Coração do Dão”, que entretanto foi substituído pelo atual executivo camarário por “Nelas Vive”.

6 comentários a "Portugal é o país do mundo com maior percentagem de área ocupada por vinha"

  1. Então não é nelas coração da Bairrada?

  2. Nelas é o Coração do vinho do Ribatejo

  3. Do Ribatejo não senhor comentador, mas sim da BATALHA

  4. O RALLY DO DÃO 2016, JA SABEMOS DE FONTE FIDE DIGNA QUE VAI SER ASPRESENTADO NAS INSTALAÇÕES DA CVRDÃO EM NELAS.
    ISTO, SE ENTRETANTO AS INSTALAÇÕES NÃO FOREM VENDIDAS.

  5. Oportuno e pertinente post do jornalista José Miguel: por relevar a importância do vinho para o nosso país, pelo lugar que ocupa o nosso concelho nesse contexto no panorama nacional, e mais especificamente no contexto da região demarcada em que se insere – o Dão.
    A mudança do slogan do município é, claramente, dos erros maiores que este Executivo cometeu.
    Não se compreende o mudar por mudar e a ânsia de deixar uma nova marca nesta matéria. o "Nelas Vive" é uma abstração, sem força e ausente de mensagem a transmitir. O suposto dinamismo pretendido é dúbio.
    Já o "Nelas, Coração do Dão", para além de estar bem instituído (clara vantagem), "carregava" consigo um produto endógeno de referência e porventura o seu maior ex-libris. Por outro lado, fazia passar a mensagem da centralidade e da importância do concelho no que ao vinho do Dão diz respeito. Ao mudar, deixámos a porta aberta para que outros se possam aproveitar para recuperar a "centralidade" do Dão.
    Com bom senso, ainda é possível remediar a asneira e recolocar a imagem de marca do município no panorama nacional.
    Munícipe Atento.

  6. Não me parece possível, pelo menos enquanto este executivo militar por lá. O snobismo, o Orgulho e a obstinação pela imagem segam-nos. Mas passo avisar; alguém que por mais que o barco se afunda-se vinha a imprensa mostrar-se até a fazer jogim acabou com o nº 44.

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies