MANUEL MARQUES volta à carga com a polémica em torno das tarifas da água

A moção de repúdio apresentada pelo Presidente da Câmara, distorceu intencionalmente, para não usar um adjetivo mais forte, o conteúdo da ata de reunião de 29 de outubro de 2014.
Bem pode o atual Presidente da Câmara “doirar” a mentira, ou dizê-la muitas vezes, para que ela se torne verdade, disso eu sempre o denunciarei!
Da leitura da moção resulta do seu ponto 2, o seguinte:
“ Como se constata da ata da reunião de 29 de Outubro de 2014, no ponto 1.7 TAXA DE RECURSOS HIDIRICOS-DISCUSSÃO E APROVAÇÃO (fls. 27 a 38 da aludida ata) foi aprovado o seguinte:
-Aprovar a assunção da divida no valor de 103.826,94€ à Agencia Portuguesa do Ambiente – ARH Centro;
– Dar poderes ao Presidente da Câmara para negociar este pagamento faseadamente;
– Fazer um estudo para a atualização dos Regulamentos e dos preços relacionados com esta taxa abastecimento de água e saneamento.
Vamos aos factos sobre este assunto, para a descoberta de toda a verdade:
            Na página 35, da ata de reunião de câmara de 29 de outubro, pode ler-se “ o senhor Presidente da Câmara promova, eventualmente, por esta razão, ou por outras, um ajustamento ao Regulamento do Tarifário da Água e Saneamento.”(negrito e sublinhado meu)
Pode ler-se também na página 36, da mesma ata o seguinte: “ mandata o senhor Presidente da Câmara para apresentar numa próxima reunião de câmara, um ajustamento ao Regulamento de Água e Saneamento, que decorra, eventualmente, deste encargo financeiro edoutras obrigações legais à matéria da água.” (negrito e sublinhado meu)
Pode ainda ler-se: na página 37, no excerto: “ O senhor vereador Manuel Marques… fica consignado também e a única coisa que ele votou contra, objetivamente, foi o presidente repercutir  a divida no pagamento da água.”senhor (negrito sublinhado meu)
Em 31 de outubro de 2014, o Jornal Online noticiou com o título em epígrafe: “Eventual aumento da fatura da água em Nelas vai estar em cima da mesa.”
foi na reunião de Câmara da última Quarta Feira, que o assunto foi abordado pelo presidente da autarquia, Borges da Silva, que irá estudar a hipótese de repercutir no consumidor o encargo da taxa de recursos hídricos.” (Negrito meu)
Numa entrevista publicada no dia 02 de janeiro de 2015, no Jornal Online “instado a pronunciar-se sobre o estudo para uma eventual revisão das tarifas da água em Nelas, o vereador do PS assume não ser favorável a essa decisão.” (negrito meu)
Como diz o nosso Povo, “por que carga de água” omitiu o atual Presidente da Câmara Municipal de Nelas os excertos atrás citados?
Tão só e apenas, na sua moção fala na assunção e pagamento da divida da taxa de Recursos Hídricos e ao de leve também tão só e apenas se refere: “ fazer um estudo para a atualização dos Regulamentos e dos preços relacionados com esta taxa – abastecimento de água.”
O atual Presidente da Câmara, em vez de ter apresentado na reunião de Camara esta moção de repúdio, deveria sim, explicar aos consumidores e à população em geral, como lhe era possível, “ a atualização dos preços da água relacionados com a taxa dos Recursos Hídricos sem aumentar o preço da água, ou até mesmo como diminuiria ele o preço da mesma.
Ele bem pode apelidar-mede: Burro, jerico, jumento, asno, javardo e estúpido, mas não calará a minha voz de oposição e com a qual as populações do nosso concelho, saberão toda a verdade.
Na reunião de Câmara de 29 de outubro de2014, não me restaram quaisquer dúvidas que era intenção do atual Presidente da Câmara, em repercutir esta divida na fatura dos consumidores, só o não fez por eu ter votado contra!
Se dúvidas houvesse naquela reunião, sobre o aumento do preço da água aos consumidores, elas foram dissipadas pelas notícias posteriormente publicadas e pela saída a terreiro e bem, do senhor Vereador do Partido Socialista ao afirmar “ não ser favorável a essa decisão”
Por estas razões, naquela reunião votei contra, e também, por entender que o sistema de águas a partir de meados de 2013, com a auditoria e com a fiscalização do sistema o mesmo começou a considerar-se rentável, não sendo, por isso, necessário repercutir a Taxa de Recursos Hídricos na fatura da água. O que se poupa num mês, com as medidas então adotadas, liquida-se a taxa de um ano.
Votei contra a moção de repúdio, por ela enfermar de inverdades, e através desta moção, pretender o atual Presidente da Câmara, passar um atestado de incompetência a quem estiver de boa-fé ao ler os excertos da ata da reunião de 29 de outubro de 2014.
Vila Ruiva, 15 de janeiro de 2015
O Vereador do CDS/PP

4 comentários a "MANUEL MARQUES volta à carga com a polémica em torno das tarifas da água"

  1. Os 300 mil euros que Mangualde assumiu que devia dá para pagar 3 vezes a Taxa.
    Não atirem mais areia para os olhos dos habitantes do Concelho de Nelas!

  2. Eu diria senhor comentador a taxa é de sensivelmente 20.000,00€ por ano. Por isso, o que a Cãmara de Mangualde assumiu dá para 15 anos de pagamento de taxas de recursos hidricos. Não nos atirem com areia para os olhos.
    Eles queriam era aumentar a água, culpando que foram aqueles malandros do mandato anterior que não pagaram as taxas.
    Mais, só que na data em que surgiu esta taxa apareceu um parecer da ANMP a aconselhar as câmaras municipais a não pagarem ou a recorrerem aos tribunais.
    VERDADE É VERDADE

  3. Tenham lá calma que este senhor engenheiro de obras feitas dr marques, pena que não passe dái, ressabiadisses emfim.

  4. Eu quero ver se o preço da água baixar, abdicas disso!!!

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies