“VALE DO LOBO” : imagens que valem mais do que mil palavras ….

PARQUE ECOLÓGICO “Vale do Lobo” na Lapa está concluído, e o nosso jornal visitou-o.

Itens em destaque : 

– Represa para apoio ao combate a incêndios, numa parceria com os bombeiros de canas
– Vários miradouros, incluindo um para aves e outro denominado “4 serras”, onde se vislumbram no horizonte quatro serras da região, incluindo a Estrela
– Lago para os animais beberem
– Moinho requalificado e pronto a funcionar
– Manutenção do equilíbrio natural do local, com poucas intervenções humanas e implantação de árvores locais (sobreiros, carvalhos, pinheiros mansos, carvalho americano, etc), coordenadas por um técnico paisagista
– Todos os percursos estão devidamente sinalizados
– Recuperação de uma palheira (em curso)
– Requalificação de uma casa em pedra para turismo (a promover)

    É uma verdadeira reserva ecológica e que traduz a grande vontade dos seus promotores em preservar um ecosistema ímpar, que vai surpreender os seus visitantes. O nosso repórter, Jorge Pereira, visitou ontem o esplendoroso Parque, tendo como anfitriã, Carmo Batalha Torres, que idealizou o projeto, em conjunto com Carlos Cunha Torres. Ao nosso jornal, a Engenheira Agrónoma, explicou que “ao surgir a oportunidade de aquisição desta propriedade ficou desde logo subjacente a ideia de preservação da natureza no que de mais característico apresenta na nossa região, em termos de fauna, flora e paisagem.Sob a coordenação do arquiteto Pedro Batalha, o atelier PB.ARQ – Arquitectura Paisagista desenvolveu um plano de ocupação para a propriedade que tem vindo a ser executado de forma faseada, também sob a sua coordenação. Tudo começou pela caraterização e levantamento das diversas potencialidades nas diversas vertentes – paisagista, agronómica, patrimonial, biológica, etc. Depois seguiu-se a fase da escolha a partir de um leque de opções possíveis, tendo em vista a criação da sustentabilidade do projeto. Neste âmbito temos vindo a proceder à reflorestação de espécies folhosas características da região como vários tipos de Quercus (Carvalhos) e à introdução de culturas agroflorestais, ao estabelecimento de corredores ecológicos com base nos matos com caraterísticas autóctones que favorecem a fixação da fauna, à recuperação dos valores patrimoniais situados na propriedade, à construção de novos equipamentos, etc. “, adiantando ainda que “como facilmente se conclui este é um projeto que nunca se dará por terminado pois haverá sempre novas coisas para fazer”, isto numa área total de 43 hectares. 

   A mentora do projeto, realça um aspeto prioritário “temos também vindo a implementar uma estratégia de prevenção e defesa contra incêndios, para a definição da qual contámos com a preciosa colaboração dos Bombeiros de Canas de Senhorim. Esta estratégia assenta na criação de inúmeros pontos de água, na distribuição racional do coberto vegetal, incluindo a introdução de espécies florísticas mais resistentes aos incêndios, e na constituição de aceiros e clareiras dentro da propriedade. Inclusivamente, neste último verão o Lago Grande já serviu de ponto de abastecimento de água aos helicópteros de combate aos incêndios na região, o que muito nos orgulha”.

Como objetivo principal, subjacente às várias valências do Parque “temos sem dúvida a preservação da natureza na sua vertente mais lata e simultaneamente a sustentabilidade de uma propriedade privada. Por outro lado, este projeto interliga-se diretamente com o projeto turístico das Casas do Lupo constituindo mais um motivo de atração para os nossos hóspedes”, refere, concluindo que “estamos a trabalhar tendo por base um projeto elaborado especialmente para o efeito e não sem um rumo definido”.

1 comentário a "“VALE DO LOBO” : imagens que valem mais do que mil palavras …."

  1. Excelente !!!!!!!!!!!!!!!

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies