Termas da Felgueira com crescimentos de 7% (área termal) e 14% (bem estar) no número de clientes

– Borges da Silva e Sofia Relvas almoçaram no Grande Hotel da Felgueira com o Diretor Geral das Termas e do Hotel, Adriano Ramos
“A Câmara de Nelas e o seu Presidente está inteirada de tudo o que diz respeito a esta unidade hoteleira (Grande Hotel), bem como às outras existentes no Concelho de Nelas, bem como está permanentemente ao corrente da frequência da instancia termal, sendo que
essas unidades, juntamente com a restante hotelaria e restauração das Caldas
da Felgueira representam mais de centena e meia de empregos e muita economia
e dinamizar as nossas comunidades.
Temos a informação que nesta época termal foi invertida a tendência de perda de aquistas e clientes hoteleiros na Felgueira, sendo que  neste ano de 2014 no período de funcionamento das termas entre 1 de Março e 15 de Novembro, ocorreu um acréscimo de 7% de
utentes na área termal da saúde e de 14% na área do bem estar, crescendo
pela primeira vez ao fim de vários anos o volume de negócios destas
unidades, conforme contas que até final do corrente  mês serão apresentadas
de forma detalhada pelas empresas”, adiantou ao nosso jornal o presidente da Câmara de Nelas.

27 comentários a "Termas da Felgueira com crescimentos de 7% (área termal) e 14% (bem estar) no número de clientes"

  1. Porque o se nao aceitou o comentario sobre o contracanto!?

    Disse algo mal ou tratei mal alguem?
    Obrigado

  2. Para aceitar esse comentário tem que provar o que diz ou então assumir publicamente identificando-se !!

  3. Onde pára o nosso vice presidente, está a fazer algum pacto com o candidato anunciado!

  4. E o Alexandre, onde anda? Estão a fazer-te a cama … O único PS

  5. Isto dá que pensar…porque razão está o presidente da câmara de Nelas a almoçar neste hotel? e estar a ser fotografado pela comunicação social? Omite a presença da senhora ao lado que pelas as suas atitudes como vereadora, não merece qualquer referência, abaixo os socialistas emprestados como aqui neste espaço foi referido, o único socialista verdadeiro é o fillho do Dr Américo.

  6. Por se falar em Socialismo!
    Que dirá agora o acerrimo defensor de Socrates e do Presidente da Câmara de Nelas, neste site on line, com a detenção daquele!
    Não é nada só foi o primeiro ministro do nosso País.

  7. Fico à espera do que tem para dizer o sr. indefectível do "Eng" Sócrates",comentador assíduo deste espaço, sobre a sua detenção. Vamos assistir outra vez à desculpa da cabala?

    • E vou responder sem problemas:

      -Não se deve condenar ninguem sem julgamentos realizados. Até lá todas as pessoas são inocentes
      -Se cometeu erros deve pagar por eles, como qualquer outro cidadão
      -Que não faltem as forças à justiça

      Mas depois disto deve-se tambem dizer:
      -A justiça deve funcionar sem olhar a momentos adequados. (Cala-te boca)
      -A justiça deve funcionar para todos mesmo aqueles que estejam no poder (Cala-te boca)

      E pronto, para já resta aguardar, e esperar que a justiça cumpra o seu papel
      e já agora leve tudo a eito, desde submarinos a casas junto ao mar, a empresas de formação, etc,

      Esperamos todos que não se caia em Portugal na tentação de "cair" sobre quem sai dos governos "poupando" os que lá estão.

      Que todos sejam sujeitos à mesma justiça

    • A Justiça a que temos direito
      89
      Clara Ferreira Alves |
      15:04 Sábado, 22 de novembro de 2014
      A Justiça é antes de mais um código e um processo na sua fase de aplicação. Ou seja, obediência cega, essa sim cega, a um conjunto de regras que protegem os cidadãos da arbitrariedade. Do abuso de poder. Do uso excessivo da força. Essas regras têm, no seu nó central, uma ética. Toda e qualquer violação dessa ética é uma violação da Justiça. E uma negação dos princípios do Direito e da ordem jurídica que nos defendem.
      Num caso de tanta gravidade como este, o da suspeita de crimes graves e detenção de um ex-primeiro-ministro do Partido Socialista, verifico imediatamente que o processo foi grosseiramente violado. Praticou-se, já, o linchamento público. Como?
      1) Detendo o suspeito numa operação de coboiada cinemática, parecida com as de Carlos Cruz e Duarte Lima, a uma hora noturna e tardia, num aeroporto, quando não havia suspeita de fuga, pelo contrário. O suspeito chegava a Portugal. Porque não convocá-lo durante o dia para interrogatório ou levá-lo de casa para detenção?
      2) Convidou-se uma cadeia de televisão a filmar o acontecimento. Inacreditável.
      3) Deram-se elementos que, a serem verdadeiros, deviam constar em segredo de Justiça. Deram-se a dois jornais sensacionalistas, o "Correio de Manhã" e o "Sol", que nada fizeram para apurar o que quer que seja. Nem tal trabalho judicial lhes competia. Ou seja, a Justiça cometeu o crime de violação do segredo de Justiça ou pior, de manipulação do caso, que posso legitimamente suspeitar ser manipulação política dadas as simpatias dos ditos jornais pelo regime no poder. Suspeito, apenas. Tenho esse direito.
      4) Leio, pela mão da jornalista Felícia Cabrita, no site do "Sol", pouco passava da hora da detenção, que Sócrates (entre outros crimes graves) acumulou 20 milhões de euros ilícitos enquanto era primeiro-ministro. Alta corrupção no cargo. Milhões colocados numa conta secreta na Suíça. Uma acusação brutal que é dada como certa. Descrita como transitada em julgado. Base factual? Fontes? Cuidado no balanço das fontes, argumentos e contra-argumentos? Enunciado mínimo dos cuidados deontológicos de checking e fact-checking? Nada. Apenas "o Sol apurou junto de investigadores". O "Sol" não tem editores. Tem denúncias. Violações de segredo de Justiça. Certezas. E comenta a notícia chamando "trituradora" de dinheiro aos bolsos de Sócrates. Inacreditável.

    • 5) Verificamos apenas, num estilo canhestro a que a biógrafa de Passos Coelho nos habituou (caso Casa Pia, entre outros) que a notícia sai como confirmada e sustentada. Se o Watergate tivesse sido assim conduzido, Nixon teria ido preso antes de se saber se era culpado ou inocente. No jornalismo, como na justiça, há um processo e uma ética. Não neste jornalismo.
      6) Neste momento, não sei nem posso saber se Sócrates é inocente ou culpado. Até prova em contrário é inocente. In dubio pro reo. A base de todo o Direito Penal.
      7) Espero pelo processo e exijo, como cidadã, que seja cumprido à risca. Não foi, até agora. Nem neste caso nem noutros. Isto assusta-me. Como me assustou no caso Casa Pia. Esta Justiça de terceiro mundo aterroriza-me. Isto não acontece num país civilizado com jornais civilizados. Isto levanta-me suspeitas legítimas sobre o processo e a Justiça, e neste caso, dada a gravidade e ataque ao regime que ele representa, a Justiça ou age perfeitamente ou não é Justiça.
      8) Verifico a coincidência temporal com o Congresso do PS. Verifico apenas. Não suspeito. Aponto. E recordo que há pouco tempo um rumor semelhante, detenção no aeroporto à chegada de Paris, correu numa festa de embaixada onde eu estava presente. Uma história igual. Por alturas da suspeita de envolvimento de José Sócrates no caso Monte Branco. Aponto a coincidência. Há um comunicado da Procuradoria a negar a ligação deste caso ao caso Monte Branco. A Justiça desmente as suas violações do segredo de Justiça. Aponto.
      9) E não, repito, não gosto de José Sócrates. Nem desgosto. Sou indiferente à personagem e, penso, a personagem não tem por mim a menor simpatia depois da entrevista que lhe fiz no Expresso há um ano. Não nos cumprimentamos. Não sou amiga nem admiradora. É bizarro ter de fazer este ponto deslocado e sentimental mas sei donde e como partem as acusações de "socratismo" em Portugal.
      10) As minhas dúvidas são as de uma cidadã que leu com atenção os livros de Direito. E que, por isso mesmo, acha que a única coisa que a Justiça tem a fazer é dar uma conferência de imprensa onde todos, jornalistas, possamos estar presentes e fazer as perguntas em vez de deixar escorregar acusações não provadas para o "Correio da Manhã" e o "Sol". E quejandos. Não confio nestes tabloides para me informarem. Exijo uma conferência de imprensa. Tenho esse direito. Vivo num Estado de Direito.
      11) Há em Portugal bom jornalismo. Compete-lhe impedir que, mais uma vez, as nossas liberdades sejam atropeladas pelo mau jornalismo e a manipulação política.
      12) Vou seguir este processo com atenção. Muita. Ou ele é perfeito, repito, ou é a Justiça que se afundará definitivamente no justicialismo. Na vingança. No abuso de poder. Na proteção própria. O teste é maior para a Justiça porque é o teste do regime democrático. E este é mais importante que os crimes atribuídos a quem quer que seja. Não quero que um dia, como no poema falsamente atribuído a Brecht, venham por mim e não haja ninguém para falar por mim. A minha liberdade, a liberdade dos portugueses, é mais importante que o descrédito da Justiça. A Justiça reforma-se. A liberdade perde-se. E com ela a democracia.

  8. Apenas um esclarecimento : a foto não foi por nós tirada – foi-nos enviada diretamente pelo Presidente da Câmara.

    • Será que o Senhor Presidente da Câmara tem um fotógrafo privativo para o acompanhar nas múltiplas visitas?

  9. Com a devida vénia ao José da Portadaloja

    portadaloja12@gmail.com

    sábado, 22 de Novembro de 2014
    José Sócrates detido no aeroporto de Lisboa
    O cântaro tantas vezes vai à fonte que um dia deixa lá a asa…e José Sócrates passou ali mesmo, numa imagem da SIC, num carrinho discreto a sair do aeroporto por uma rua vazia da cidade de Lisboa em direcção a uma morada na condição de detido para interrogatório por um juiz.

    Amanhã será um dia longo…e os "pistoleiros do costume" apanharam o fugitivo de Paris.

    Espera-se que o PS e forças adjacentes não faça o mesmo que fez no processo Casa Pia, politizando o assunto, mas vai tentar…aliás já começou, com Marinho e Pinto a questionar na CMTV a oportunidade da detenção. MeP só com a certeza de o mesmo ficar em prisão preventiva é que justificaria tal detenção.
    Para MeP José Sócrates não é um cidadão como os outros. Parece que tem uma Constituição só para ele, como teve no Face Oculta…
    Publicada por josé à(s) 22.11.14 21 comentários:
    sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

  10. Sinto-me envergonhado com a desmesurada publicidade do Presidente da Câmara municipal de Nelas, até um almoço num hotel, serve para publicitar.
    Falta-nos saber o porquê destes jantar, depois da anunciada e ventual ação de despejo deste hotel, por eventual falta de pagamento de rendas ao Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Turistico II, com sede na Rua da Ivone Silva, Lote 6. 3.º Direito, na cidade de Lisboa, assunto que estará a ser investigado.

  11. Aceita-se que se defendam até à ultima as empresas.
    Mas tudo isto, é minimamente estranho.
    Minimamente estranho pela forma como o Presidente da Câmara trata umas empresas e pra não adjetivar, outras.
    É tudo muito estranho!!!!!!!!!!!!!!

  12. Senhor Jornalista!
    Para advertir alguns puritanos que pairam por aí, com o labéu de gente cumpridora, publique o seguinte:
    "Código das Sociedades Comerciais, artigo 270.º C, epígrafe: " Efeitos da Unipessoalidade" 1 -" Uma pessoa singular só pode ser sócia de uma única sociedade unipesoal por quotas"

    • João Gouveia Rego | 22 Novembro, 2014 às 17:13 |

      Isto está a ficar uma salsada!
      Se conhece algum caso é sua obrigação denuncia-la e olhe que essa obrigação não decorre de nenhuma inscrição em nenhum codigo(acho eu,mas advirto que não sou jurista).

  13. Tem a verba que lá deixou o anterior executivo e que este tem depositada no BCP millennium

  14. senhor rego tenha juizo e rebobine o filme, depois dará conta!

    • João Gouveia Rego | 22 Novembro, 2014 às 19:36 |

      Eu além de juizo aconselho-o a aprender a ler certições comerciais.
      Se conhece irregularidades denuncie,identifique-se,coragem,não custa nada!

  15. Decorre do Código das Sociedades comerciais, punível pelo código penal, porquanto quando se assina o contrato de constituição o contrato tem que expressar." o sócio declara que é esta a única sociedade unipesssoal de que é titular". Chama-se a isso falsas declarações.
    Mais, o CSC prevê que qualquer interessado possa participar a ilicitude.

  16. João Gouveia Rego | 22 Novembro, 2014 às 21:35 |

    Então do que está o prezado jurista á espera?
    Parece-me até que o codigo deontologico da ordem prevê sanções para quem tenha conhecimento de ilicitos criminais não os participe(acho eu,mas advirto que não sou jurista).

  17. Não sou jurista mas vi alguns contratos

  18. O senhor rego no conelho de nelas é tudo do melhor!

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies