Câmara de Nelas envolve-se em projeto regional de cidadania

    O Município de Nelas participou, no passado dia 15, em Mangualde, no Seminário “Empoderar comunidades, desenvolver regiões, Viseu Dão Lafões na Europa”, iniciativa desenvolvida pela Ação Pólis, parceira independente local da 12ª Semana Europeia de Regiões e Cidades – Open Days 2014, e cujo principal objetivo é promover o envolvimento de todos os cidadãos nas políticas locais enquanto condição sine qua non de um desenvolvimento regional sustentável e inclusivo.
    Num painel dedicado ao poder local, o Presidente da Câmara Municipal de Nelas, José Borges da Silva, em conjunto com os autarcas dos Municípios de Mangualde, Carregal do Sal, Castro Daire, Oliveira de Frades, Penalva do Castelo, Tondela e Vila Nova de Paiva assinaram a Declaração pela Mobilização Cidadã, documento simbólico que, em conformidade com a Carta Europeia de Autonomia Local e com a Carta para a Governança Multinível na Europa, representa um compromisso para estimular a comunicação bidirecional entre Poder Local e cidadãos designadamente através do levantamento das preocupações dos munícipes e das regiões face à Política Regional Europeia e respectiva transmissão, em sede própria, das suas actividades, expectativas e ambições neste âmbito, fazendo de Viseu Dão Lafões uma região pioneira pela mobilização cidadã.
     
     O evento contou também com uma apresentação das oportunidades de financiamento no período 2014-2020, a cargo da CCDRC, e com intervenções de académicos da Universidade Nova de Lisboa e Universidade de Coimbra sobre o Comité das Regiões e a política da União Europeia, seguindo-se a apresentação de trabalhos submetidos ao Concurso Jovem “Soluções locais para estratégias regionais” por jovens estudantes da região de Viseu Dão Lafões. O encerramento do evento foi marcado pela actuação do Ensino Articulado de Música – Agrupamento de Escolas de Mangualde em parceria com o Conservatório Regional de Viseu.

6 comentários a "Câmara de Nelas envolve-se em projeto regional de cidadania"

  1. Uma curiosidade tirada do PRIBERAM:

    empoderamento [Neologismos / Estrangeirismos e aportuguesamentos]

    O uso da palavra empoderamento como tradução para empowerment é correto, ou trata-se de neologismo? A palavra apoderamento tem o sentido reflexivo do verbo apoderar-se, que não encontramos no verbo to empower e seu significado. Qual o melhor termo para traduzir a expressão do inglês, para a qual encontrei o sentido de investir de poder ou autoridade legal; suprir com uma habilidade, habilitar?
    Marysol Schuler (Brasil)

    O substantivo apoderamento parece realmente distinto de empoderamento, já que é a acção de se apoderar, de tomar posse.

    Pesquisas feitas em corpora e em motores de busca da Internet em língua portuguesa revelam que o uso de empoderamento, adaptação do inglês empowerment, é já bastante generalizado, razão que pode ter estado na origem da inclusão do termo no Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea (Lisboa: Academia das Ciências/Verbo, 2001), onde é definido como "obtenção, alargamento ou reforço de poder". Este neologismo, cuja formação respeita as regras morfológicas da língua portuguesa, refere-se maioritariamente ao aumento da força política, social ou económica de grupos alvo de discriminação (étnica, religiosa, sexual ou outra). Na esfera individual, refere-se ao desenvolvimento das capacidades de um indivíduo, à sua realização pessoal.

    Quanto ao verbo inglês to empower (cuja adaptação dá origem ao verbo empoderar), para além dos sentidos de "autorizar" e de "proporcionar", ele também significa "promover a afirmação ou a influência", segundo o dicionário inglês Merriam-Webster Online. Novamente, pesquisas em corpora e em motores de busca atestam a utilização de diversas formas do verbo empoderar.

    Cláudia Pinto, 14-Out-2005
    Share on facebookShare on twitterShare on emailShare on printMore Sharing Services
    1

  2. A intervenção do presidente da Câmara de Nelas, não lhe correu nada bem!
    Foram os comentários resultantes depois do evento.

  3. Mais uma ! Segundo para os lados de Mangualde, houve risota e chacota, tudo em surdina, BS está mesmo em maré de azar.

  4. PORTUGAL ESTÁ A SER VENDIDO AOS RETALHOS AOS SENHORES DO DINHEIRO SUJO OU SEJA ÀS MAFIAS CHINESAS E SUL AMERICANAS, NÃO ESQUECENDO O DINHEIRO ROUBADO AO POVO ANGOLANO.

  5. Opá, contem lá. Quer dizer, dizem o que dizem e depois não contam. Contem lá afinal o que se passou…

  6. Pois deviam preocupar-se menos com um discurso do Dr. BS e mais como o conteúdo da iniciativa. pois a união desta região num plano de desenvolvimento e no desafio a Lisboa por concessões económicas especiais é a única coisa que a safará de em 30 anos só ter cabras como habitantes.

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies