Borges da Silva defende a instalação em Nelas de uma “Universidade do Vinho”

   – DIA EUROPEU do ENOTURISMO reuniu em Nelas cerca de 100 pessoas, que visitaram diversas Adegas no concelho e cerca de 20 que efetuaram um Curso de Iniciação à Prova de Vinhos. A RTP esteve presente, numa reportagem para o “Portugal em Direto, que vai passar ainda esta semana.

  Borges da Silva, presidente da Câmara de Nelas, no encerramento do grande dia dedicado ao ENOTURISMO em Nelas, reiterou que “vejo esta região como uma grande região, com uma grande cidade, que é Viseu – não vejo as coisas ao contrário, ou seja, uma cidade com uma grande região”.

  O autarca defendeu ainda a instalação em Nelas de uma “Universidade do Vinho” que “protega a região nas próximas décadas”, ou seja, um “centro de conhecimento, de experimentação, de divulgação e de inovação, com laboratórios evoluídos, podendo abranger também cursos profissionais”, tudo isto, claro, ligado ao Vinho do Dão e pensado e executado com “excelência”. O local será a Quinta da Cale, no Centro de Estudos Vitivínicolas do Dão e o grande projeto será objeto de candidatura ao novo quadro comunitário de apoio, que tem como um dos eixos prioritários o setor vitivinícola.

   Foi na Quinta da Boiça, em Canas de Senhorim, com a presença de vários dirigentes distritais do PS (Acácio Pinto, António Borges, Miguel Ginestal), que se deslocaram a Nelas para participar no plenário da concelhia, que se fechou com chave de ouro esta iniciativa, que contou também com a presença de RTP, que fez uma reportagem no Curso de Iniciação à Prova de Vinhos, ministrado pela enóloga Canense, Patrícia Santos.

  De registar ainda a presença de diversos estrangeiros (Holandeses, Belgas e Suiços), alguns deles interessados em investir na região, que fizeram o roteiro pelas Adegas do concelho.

16 comentários a "Borges da Silva defende a instalação em Nelas de uma “Universidade do Vinho”"

  1. O Marques também lá estava? Gosta de saber o resultado dos rounds nos estaleiros da Câmara

  2. O Round tem a ver com as 35 horas semanais

  3. Existe uma região chamada Dão-Lafões, que abrange Viseu, Nelas e mais 13 Concelhos. Essa região perdeu 15% dos seus habitantes nos últimos 50 anos. Nelas tinha 16,5 mil habitantes (censos 1960) e agora tem 14 mil (censos 2011). O envelhecimento da população indica uma queda muito mais acentuada nos próximos anos. Os Srs. presidentes de Câmara deveriam conceber políticas económicas coordenadas na sua região, com um âmbito temporal bastante mais largo que os seus mandatos. Eu estou firmemente convencido que a região tem todas as condições para se desenvolver economicamente, se o poder local exigir ao Governo previlégios fiscais e legais, que permitam criar vantagens competitivas. Precisamos de uma Zona Económica Especial Dão-Lafões….como na China.

  4. Uma Universidade é pouco Dr. Borges da Silva,porque não um Campus Universitário????

  5. Tudo isto não passa de sonhos megalomanos!

  6. Ganham-se eleições a prometer e não a trabalhar ou cumprir

  7. Propaganda e mais propaganda. Borges da Silva não evita aparecer em tudo o que é evento.

  8. Para mim a vitivinicultura morreu com o encerramento da nossa cooperativa e até hoje ainda não foram apurados os culpados.

    • Não é difícil de apurar: foram os sócios, que não cuidaram de proteger devidamente os seus interesses.

  9. E que vai Borges da Silva dar em troca a Viseu. Já deu o Museu do Vinho vai dar também a feira do vinho? Viseu já a deseja faz muito tempo!!!

  10. Queriam tirar o Politécnico de Viseu e vão dar uma Universidade a Nelas!
    1.o curso a ministrar em Nelas: Prometes e não cumpres.

  11. Ilustre comentador das das 19:51
    Diz que o encerramento da nosa cooperativa que foi os sócios " que não cuidaram de proteger devidamente os seus interesses"
    O sócios, sem conhecer a vida interna da cooperativa foram os que tiveram menos culpa,
    Mas se o senhor for conhecedor de toda a realidade diga-nos a verdade.

  12. A questão é exactamente essa: porque não conheciam os sócios a vida interna da cooperativa? O Sr. em sua casa lamenta-se depois de cair o telhado ou repara-o a tempo de evitar o desastre?

  13. Concordo Consigo caro cometador das 10:00
    Penso que o senhor comentador tambem concordará, os sócios da cooperativa, a maior parte deles, gente humilde do campo, entregou de boa-fé os destinos da cooperativa a outros sócios.
    A falência da coopertaiva ainda irá dar muito que falar.
    Algumas coisas já estão a começar de aparecer.

    • Duvido que o que quer que venha a aparecer devolva aos sócios o que eles perderam…quando muito conterá algumas lições para os próximos cooperantes de próximas cooperativas não caírem nos erros do passado.

    • Não sei o que é gente humilde do campo, mas sei que em Portugal é frequente deixarmos os nossos assuntos nas mãos de outros e lamentarmo-nos mais tarde, quando o desastre está feito. Passamos então ao exercício mais gostosamente praticado: encontrar culpados. Veja na política, é exactamente o mesmo.

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies