Taxa sobre os sacos de plástico vai avançar

Os novos impostos da fiscalidade verde rendem 150 milhões de euros líquidos. Em causa está uma nova taxa sobre os combustíveis, sobre os sacos plásticos e os recursos hídricos. Dinheiro destinado ao alívio do IRS.
A reforma da fiscalidade verde, aprovada esta quinta-feira pelo Governo, vai assentar em três novos impostos: uma taxa sobre os sacos de plástico, um agravamento do imposto sobre os produtos petrolíferos, e uma taxa sobre os recursos hídricos, que ao todo renderão 150 milhões de euros líquidos, soube o Negócios junto de fonte governamental.
Pelo caminho fica a taxa sobre o transporte aéreo, que também constava da proposta dos peritos. O incentivo ao abate automóvel, proposto igualmente pela comissão de reforma, avança parcialmente, apenas para aquisição posterior de veículos amigos do ambiente. 
A configuração final deste pacote legislativo será tornada pública no final da tarde desta quinta-feira, no Ministério das Finanças, em conjunto com a reforma do IRS
A relação entre as duas reformas é orçamental: são os 150 milhões de euros de impostos adicionais na “fiscalidade verde” que vão financiar uma descida do IRS para as famílias com filhos no próximo ano. 
Jornal de Negocios on line

2 comentários a "Taxa sobre os sacos de plástico vai avançar"

  1. Um orçamento de miséria, este é o governo na cor política do inquilino da casa amarela só mentiras, por isso é que o PS com António Costa está a beira de conquistar a maioria absoluta e correr com estes ultra liberais que estão a levar o país ao abismo nunca visto, as últimas sondagens são esclarecedoras.

  2. Qual a cor politica do inquilino da casa amarela?
    A azul e amarela, a laranja e hoje a rosa, isto é quase multicolor!

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies