AZU volta a criticar a autarquia de Nelas por incapacidade de resolução das descargas poluentes da Borgstena

– A Associação de defesa do ambiente, emitiu hoje uma nota de imprensa em que critica fortemente o executivo liderado por Borges da Silva
NOTA DE IMPRENSA  :
A AZU tem efetuado ao longo dos últimos 7 anos, a denúncia, acompanhamento e pressão, na tentativa de resolução sempre adiada, da Poluição da Ribeira da Pantanha ( Concelho de Nelas, Freguesia de Canas de Senhorim) e  por conseguinte da bacia hidrográfica do Mondego, pelos efluentes industriais da empresa Borgstena.
Das queixas diversas que efetuámos em 2013 ao Ministério do Ambiente, Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e restantes entidades fiscalizadoras, obtivemos como resposta, por parte do referido Ministério, que foram instaurados diversos processos de contra ordenação à Borgstena, não tendo estes surtido efeito. Fomos também informados que em conexo com as situações anteriores, e face à ligação dos efluentes da Borgstena ao coletor Municipal, foram instaurados processos, em Abril e Maio de 2013, da Fiscalização da ARH de Viseu ao Município de Nelas, por rejeição de Águas residuais sem título, do Sistema de Saneamento Público à ETAR de Canas de Senhorim. A AZU continuará a insistir junto destas entidades no sentido da resolução rápida do problema.
Ainda no âmbito das inúmeras ações de acompanhamento e pressão da AZU para a resolução deste crime ambiental e dos problemas das ETARS, solicitámos e efetuámos reuniões no passado dia 2/10 com a CMN e Borgstena onde aproveitámos para analisar o ponto da situação das ETARS do concelho de Nelas. Foi-nos informado que até ao próximo dia 15 de Outubro estarão em funcionamento pleno 6 ETARs, tendo o Ministério do Ambiente anunciado que irá financiar uma nova ETAR, a ser construída em Canas de Senhorim, que poderá estar concluída e em funcionamento no final de 2015.
A AZU estará atenta aos trabalhos e espera que a resolução deste problema ambiental grave no concelho de Nelas se venha a concretizar tal como previsto com uma efetiva e definitiva solução, esperando-se com isso que os esforços realizados até agora pela AZU sejam finalmente recompensados.
No que diz respeito ao problema ambiental da poluição da Ribeira da Pantanha foi feita, em Julho último, uma tubagem de ligação dos efluentes da Borgstena para a ETAR n. 2, como tentativa de resolução deste foco de poluição. No entanto, e devido ao subdimensionamento da ETAR para o recebimento destes efluentes, foi feito o desvio dos efluentes para a Ribeira de Travassos ( Beijós), com consequências gravíssimas para o ambiente e saúde das populações, considerando os campos de hortícolas que utilizam a água da Ribeira para a rega das culturas Por esta razão o Município de Nelas decidiu a reposição da situação anterior com o redireccionamento do efluente para a Ribeira da Pantanha.
A AZU lamenta que depois de ter sido anunciado pelo Presidente da CMN à Comunicação Social, que iria gastar 150000 euros neste projecto e tendo a AZU pedido para efetuar o  acompanhamento do processo, junto dos técnicos da Câmara, ao mesmo tempo que alertámos para o facto desta não ser a resolução para o problema, não fomos ouvidos.  Lamentamos esta política que em nada abona em prol do Ambiente e para uma efetiva resolução dos seus problemas essenciais e primeiros.
Foi-nos também informado pelo Presidente da Câmara, que devido à dificuldade económica existente na CMN foi feito um pedido de moratória de 6 meses à APA (a contar de Julho),  numa tentativa de resolução urgente deste problema ambiental, visto que em Junho a CMN foi notificada pelo Ministério do Ambiente, para tamponar definitivamente a saída do efluente da Borgstena.
Pretende também que o novo quadro comunitário permita a candidatura para a resolução do problema dos efluentes industriais da Borgstena, esperando-se resposta no final deste ano ou princípio de 2015.
Da reunião com a Empresa Borgstena foi-nos transmitido que têm feito melhorias técnicas e investimentos diários, estando em fase de consulta e recolha de orçamentos para novos investimentos de melhoria, situação essa que estará clarificada até Dezembro.
Face a estes factos e por proposta da AZU, terá lugar em Dezembro uma nova reunião entre esta Associação, CMN e Borgstena, onde se espera que sejam finalmente apresentadas soluções para o maior foco de poluição ambiental da região, com todos os prejuízos para o ecossistema e populações, colocando inclusive em risco a própria Barragem de Aguieira.
Caso não sejam apresentadas propostas e soluções viáveis a AZU tomará novamente as medidas necessárias em função da situação saída dessa reunião, dada a gravidade do problema.
Desde já apelamos ao dever cívico de tod@s para que, em conjunto com a AZU, saibamos reforçar um movimento que impeça todos os atentados ambientais.
A Direção da AZU
14 de Outubro de 2014

6 comentários a "AZU volta a criticar a autarquia de Nelas por incapacidade de resolução das descargas poluentes da Borgstena"

  1. Viva o presidente Borges da Silva e as soluções apresentadas, bem com os gastos de 150.000,00€ para nada.
    Isto é o que se chama a reestruturação da divida.

  2. O Sr. Presidente não foi advogado da Borgstnena?

  3. O investimento foi decidido e inicialmente realizado pelo anterior executivo,mas a verdade é que o problema não se consegue resolver assim.
    A Borgstena deveria ter noção do mal que tem feito á região em termos ambientais e investir numa etar adequada ás suas necessidades em vez de ter usado a "xico esperteza" de ter feito uma etar para "ingles(sueco) ver",alguem imagina esta situação na Suecia?
    Se a AZU nao consegue resultados com as autoridades Portuguesas,aconselho a tentarem as autoridades Suecas e divulgarem o acontecido por lá e também a enviarem os dados dramaticos aos socios Suecos da Borgstena,eles de certeza que não conhecem a situação.

  4. Em parte concordo consigo, mas na minha humilde opinião, acho que se deveria resolver a situação localmente, afinal somos pessoas responsáveis e temos pessoas no poder que podem e DEVEM resolver a situação, se vamos apelar aos sócios da Suécia, como diz no seu comentário, sabe o que pode acontecer? Deslocalizar a firma, fechar as portas, é melhor não mexer muito no assunto com os suecos, senão não sei se seria pior a emenda que o soneto…..

  5. Senhor Presidente até junto do senhor Minhoto está a perder o estado de graça!

  6. A Borgstena tém o dever de tratar as suas águas antes de as enviar para fora das suas instalações, não pode ser só a CMN a suportar toda a despesa.
    Aos anos que a empresa já está instalada cá já teve tempo para investir numa etar.

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies