AZU critica mais um corte de cedros por parte da Câmara Municipal na Av. João XXIII

NOTA DE IMPRENSA : 
Câmara de Nelas não gosta de Cedros!

Desta vez o ataque da Câmara de Nelas aos cedros existentes na Vila de Nelas foi junto à Avenida João XXIII, onde coabitavam cedros e tílias, há muitos e longos anos, tendo sido recentemente os mesmos vitimas por parte do Executivo Camarário, de mais uma devastação total.
De recordar que já em Fevereiro último, procedeu este Executivo a uma total destruição dos cedros existentes no Largo do Município, nesta Vila de Nelas. Na altura e face aos argumentos “lacónicos” da Câmara Municipal, de que estariam “ podres” , tendo assim optado por uma politica do “ cortar a direito”, eliminando todos, os que estariam a oferecer risco e os outros todos que estavam em boas condições, a AZU pronunciou-se contra este atentado, face à inconsistência da argumentação da Câmara para justificar esta atuação.
Este novo abate de cedros, na Av. João XXIII, veio demonstrar que se havia algum argumento consistente na justificação da Câmara, este afinal “ era o executivo camarário não gostar de Cedros”!
A AZU, vem mais uma vez lamentar este novo atentado ao meio ambiente, denunciar esta prepotência camarária, demonstrando que afinal as árvores não são um bem da natureza e de nós todos, mas sim “ património exclusivo “ dos senhores autarcas que decidem ao seu belo prazer e por isso ao arrepio da população, quando e como devem cortar as árvores.
Lamenta-se e repudia-se, tanto mais que ainda recentemente o concelho de Nelas viu as suas matas destruídas com incêndios, verifica-se que mesmo neste contexto, a Câmara de Nelas se “dá ao luxo” de destruir ainda mais árvores, contribuindo assim juntamente com a destruição destes fogos para a diminuição da qualidade do ambiente, necessária para a sobrevivência da humanidade.
A AZU apela à população de Nelas e a todos amantes das arvores e do ambiente no sentido de se insurgirem contra mais este atentado ambiental.  Com a continuação desta política por parte do executivo camarário, dificilmente alguma árvore deixa de estar em perigo, visto que a qualquer alteração na gestão camarária, terão a sua vida comprometida, ou seja o ambiente de todos nós será comprometido.
A Direção da AZU
Viseu, 29 de Agosto de 2014

18 comentários a "AZU critica mais um corte de cedros por parte da Câmara Municipal na Av. João XXIII"

  1. Os cedros ajudam a diminuir o índice de radioactividade nesta rua de Nelas?

    • Essa era para ser uma pergunta séria ou a palhaçada serve para tudo?
      "Diminuição da qualidade do ambiente". Sabe para que servem as árvores?
      O comunicado é bem claro, por uma associação ambiental, e eu subscrevo-o.

    • São de uma terra(nelas) privilegiada.Dão-se ao luxo de discutir coisas de pouca relevância (cortaram algumas árvores mas,ficaram lá outras e a zona em questão não ficou 1 deserto)!

      Quanto à AZU,devia era de preocupar-se com problemas sérios e com coisas que estão na génese da sua criação.

      O que faz o caríssimo em prol da natureza? Usa a política dos três R`s?Já algum dia plantou uma árvore?Acha que são os cedros que produzem mais oxigénio?

  2. De facto, será que o presente executivo sofrerá de uma "síndrome do Cedro"! Onde há cedros, cortam-se…
    Cortaram-se na Praça do Município, cortaram-se em frente ao Teatro Municipal , cortaram-se na Avenida João XXIII. Certamente, este executivo camarário sofrerá de alguma patologia. Será fobia à aquele tipo de árvore!?
    Seria, no mínimo de bom tom e respeito pelo munícipes desta Vila de Nelas, que o atual presidente da Câmara ou o seu Departamento Ambiental , caso exista, desse a todos nós através dos meios de comunicação de que dispõe , uma razão e de forma exclarecedora ,do motivo que o levou a tomar tal atitude que tornou aquelas zonas com um aspeto árido e triste.

    • Já deu para perceber que em questões ambientais este executivo camarário não é muito dialogante. Verdade seja dita, que diálogo igual o travado nas sessões camarárias é dispensável , mas esperemos que seja servido um chá nestas reuniões e as coisas melhorem.

  3. A Azu deveria era andar preocupada com os crimes ambientais diariamente cometidos pela Borgstena.e deixar-se de politiquices.

  4. Este abate dos cedros é tão só um crime ambiental, onde está o Borges da Silva que fez um alarido quando o anterior executivo tão só e apenas podou as tilias da AV.João XXIII

  5. Já solicitei ao Sr. Presidente da Câmara uma esclarecimento sobre este assunto. Esperamos em breve dar conta nessa diário digital dos motivos que levaram ao abate dos cedros.

  6. Para erradicar com os cedros em Nelas só faltam mesmo os da Rua Sacadura Cabral, Rotunda da Igreja Paroquial e os do "triângulo" na estrada para Seia. Aqui não seria um crime, antes um atentado á vila de Nelas. Entretenham-se com outras coisas mais importantes, deixem as pobres das árvores em paz e sossego.

  7. a AZU tem sede em Viseu? para quando a transferência da mesma para Lisboa, junto ao poder?

    • Interrogações como estas, não merecem quaisquer respostas. No entanto numa tentativa pedagógica, sempre lhe digo que o problema não deve ser visto de forma partidária, e independentemente de ser a AZU ou outra instituição qualquer a levantar a questão e ser esta Câmara ou outra a cometer tal atentado ambiental, se assim for considerado, deve o problema ser equacionado e discutido e saber das razões que levaram a tal atitude.

    • Qual a relevância disso para o assunto em questão? Será que confunde o bem estar público com partidarismo?

    • Claro que este assunto é importante, entendeu?

    • Não, não entendi. Não vejo qual a importância de a AZU ter sede ou não junto do poder instituido.
      Ainda que como quer insinuar essa Associação seja da cor do atual Governo, é-me completamente indiferente. O que importa aqui é saber se a questão levantada é ou não pertinente.Se é de aplaudir o corte dos cedros ou de reprovar.Na minha opinião é altamente reprovável, a menos que algum motivo de força mair assim o justifique. Subscrevo assim o comentário feito pelo comentador do dia 30/08 das 19:34.

  8. Um executivo que se mostra preocupado com o ambiente gosta de cortar cedros e pior do que isso deixa secar as árvores que tem pela vila e pelas freguesias.

  9. Deixa secar as arvores que custaram o preço dos nossos impostos, IMI e preço da água, quase 10.000,00€

  10. Onde está o esclarecimento do Presidente da Câmara?
    E qual deles ficou em prestar tal esclarecimento, Borges da Silva ou Sofia Relvas?

  11. Está a chegar o novo ano escolar e é necessária lenha para as escolas…

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies