9 leitores opinam sobre o encerramento das escolas no Concelho de Nelas

O que pensa sobre o anunciado
encerramento de 4 escolas (Aguieira, Lapa do Lobo, Vale de Madeiros e Povoa
Sto. António) no Concelho de Nelas?
Rui Marques – É um problema com várias vertentes. Parece-me que a
anterior regra é a mais justa: enquanto não houver centro escolar em Canas não
se fecha nenhuma escola que tenha mais de 10 alunos. Se é verdade que um
docente a leccionar 4 anos pode influenciar negativamente a qualidade de
ensino, também está por provar se a junção de alunos de tenra idade em
“aviários” escolares não influencia ainda mais negativamente. No caso
específico de Canas, e porque não temos Centro Escolar (porquê?), a junção de
Carvalhal e Aguieira numa Escola pertencente ao Agrupamento de Canas parece-me
o mais lógico. Contudo, há muitos anos que a lógica não impera!… Depois, como
parece não haver condições na escola da Lapa do Lobo, juntar-se-iam em Vale de
Madeiros. Por fim diria que com a baixa natalidade, com a migração para o
litoral em busca de melhor qualidade de vida ou emigração de gente jovem, as
crianças serão cada vez menos e as escolas vão ter sempre de fechar. É como a
“pescadinha de rabo na boca”!

Cândido Polónio – Admito que algumas Escola tenham de encerrar,
derivado ao reduzido numero de alunos nelas existentes, no entanto, antes
deveriam construir o Centro Escolar de Canas, pois as actuais Escolas de Canas
não tem condições para suportar os alunos durante todo o dia .
Teresa Silva – Eu não conheço a realidade das outras escolas, mas,
a escola primária de Aguieira tem 24 alunos inscritos, tem sucesso escolar a
cima da média e tem qualidade no pessoal docente e não docente. Com o fecho da
escola estão a contribuir ainda mais para a desertificação da freguesia.

João Manuel – na minha opiniào, esta medida economicista  tem como consequencia  um maior despovoamento  destas 
localidades. de positivo 
registo  apenas  a possibilidade  das crianças terem outras  condiçòes.

Dores Fernandes – Está medida do governo terá maior impacto na
desertificação do interior e ena sua estagnação. O único aspecto positivo é o
facto. os alunos terem acesso a outros recursos para a aprendizagem e. à maior
interação social.

Rui Polónio – Naturalmente não concordo com o encerramento das
escolas  estas já funcionam com poucos
alunos há varios anos e nada mudou para que agora o Governo pretenda o seu
encerramento . Ao mesmo tempo não encontramos 
em Canas de Senhorim  melhores
condições  para acolher os alunos , do
que as já existentes em cada escola , alías 
não temos mesmo condições para colocar os alunos em Canas, este é um
dado  adiquirido e manifestado pelo
Agrupamento de Escolas , assim não consigo compreender a decisão  , as autarquias o agrupamentos os pais os
professores ninguem concorda , apenas o governo.
Rita Neves – O encerramento das escolas é mais uma medida meramente
economicista deste governo, que desvirtua por completo a concepção do que
deveria ser o ensino público. É importante salientar que esta é mais uma medida
que em muito contribui para a desertificação do interior. No caso concreto das
escolas a encerrar, convém referir que estas reúnem melhores condições do que
as escolas de acolhimento, o que só por si já é um enorme contra senso. Devemos,
pois, todos juntos, e de forma objectiva e inequívoca lutar contra o
encerramento destas escolas, colocando de lado interesses e lutas político
partidárias, em nome das nossas crianças e a bem do futuro do nosso concelho.
Rita Neves


Marco Costa – Boa tarde, A decisão de encerrar as escolas é uma
idiotice. Quando se quer defender o interior da desertificação, retiram-se as
crianças das suas aldeias, contribuindo para o abandono das mesmas, mas acima
de tudo querem obrigar as nossas crianças a levantar de madrugada para poderem
ir estudar em muito piores condições das que usufruem atualmente. Querem fechar
as escolas e nem se deram ao trabalho de verificar que não há condições em
outros locais para as acolher, só isto diz tudo sobre quem tomou esta decisão.
Triste país em que seus governantes se preocupam mais com os tostões (se querem
poupar verdadeiramente devem ir aos verdadeiros sítios onde se enterra dinheiro
sem fim e não nas escolas do interior) do que com o bem estar das nossas
crianças, que serão o futuro deste país.

Jorge Henriques – O possível encerramento das 4 escolas (Aguieira,
Lapa do Lobo, Vale de Madeiros e Povoa Sto. António), leva-nos ao
desaparecimento das aldeias. É uma ajuda à desertificação das nossas aldeias é
o acabar com alguma vida, com alguma brincadeira que uma terra pode ter. Falo
concretamente da Aguieira. Como é possível uma escola estar prevista encerrar
se tem o requisitos necessários para poder funcionar? Tem o numero de alunos
exigíveis, 24 alunos. Ou melhor tem mais e com possibilidade a aumentar. O
excelente nivel de ensino ali praticado, o pessoal docente e não docente, as
condições físicas existentes na escola, fazem da escola primária de Aguieira
uma escola de referência a nível concelhio. Outra das razões pelo qual estou
contra um possível encerramento da de Aguieira, é o facto das possíveis escolas
de acolhimento (Escola Feira e Fojo de Canas de Senhorim), não recolherem as
condições minimas exigidas para acolher estas crianças. Sim, porque a Escola
primária de Aguieira pertence ao Agrupamento de Escolas de Canas de Senhorim. Não
posso concordar, de forma alguma, com o encerramento das Escolas Primárias.
Meus amigos, decisores destas medidas (Ministério da Educação e Ciência, DGEST,
Etc.) tenham um pouco de calma e não afundem mais o interior do País. Aqui
existe qualidade de vida. Será que sabem o que é isto? Nós aqui sabemos!!!