“A Viagem do Elefante”, no próximo dia 14 de junho 2014, pelas 21h30 em Canas de Senhorim

No âmbito das Comemorações dos 500 Anos do Foral de Canas de Senhorim, a rua da Igreja (frente ao Solar Abreu Madeira), é palco do
espetáculo comunitário de teatro de rua “A Viagem do Elefante”, no próximo dia 14 de junho 2014, pelas 21h30, que revisita o
caminho de Salomão celebrando territórios e as suas gentes nas urgências
sentimentais e literárias da vida de um criador de livros e de sonhos: José
Saramago. Trilhando (e recriando) o “caminho” de Salomão, o elefante
asiático que no século XVI teve de percorrer mais de metade da Europa por
capricho e curiosidade da realeza, os Trigo Limpo, de Tondela, adaptam à linguagem
do teatro, uma das últimas obras do escritor. Para este espetáculo de rua, aos
atores e aos músicos, junta-se a população local, tornando-as muito mais que
espetadores, “viventes além de videntes”. Contando com o contributo de Luis
Pastor, cantautor que musicou os poemas do Nobel português, e com a parceria
musical dos Flor de Jara, A Viagem do Elefante é, nas palavras
de Pilar del Río (Fundação José Saramago) uma singular celebração do “teatro da
palavra com os melhores artifícios disponíveis – muita vontade, irreverência,
espírito crítico, paixão pela arte e por romper os modos medievais que seguem
imperando”.
Produção
da ACERT, em parceria com a Flor de Jara e a Fundação José Saramago, a Viagem
do Elefante, em Canas de Senhorim, conta com uma grande participação de
voluntariado e associações locais, que se juntaram à equipa de atores e
técnicos do Trigo Limpo Teatro ACERT, e que se encontram já em ensaios desde o
passado dia 10 de junho. Um projecto que não se esgota na
apresentação do espetáculo, complementando-se com iniciativas de celebração da
obra do escritor e com acontecimentos específicos para cada um dos municípios
onde se apresenta. O espetáculo, que percorrerá a rota O Caminho de
Salomão
 entre 2013 e 2014, procura celebrar um desejo de José
Saramago, enaltecer a vontade afetiva do escritor quando percorreu, em 2009, as
localidades portuguesas do caminho de Salomão.
José Saramago deixou um legado literário amplamente divulgado e
reconhecido em todas as partes do mundo, pelo que presidiu sempre a esta
criação artística contribuir, tal como o escritor sempre desejou, para
divulgação da cultura e das comunidades de Portugal, sendo que a sua obra
literária A Viagem do Elefante espelha um conceito de multiculturalidade
agregadora de múltiplas geografias dos outros países integrantes da Rota de
Salomão (Espanha, Itália e Áustria), criando laços e cooperação entre povos.

A
partir da obra de José Saramago. José Rui Martins e Pompeu José, adaptação
dramatúrgica e encenação; António Rebelo, Hugo Gonzalez, Ilda Teixeira,
João Silva, José Rui Martins, Pedro Sousa, Pompeu José, Sandra Santos,
interpretação; Carlos Peninha, Lourdes Guerra, Luísa Vieira, Lydia Pinho,
Miguel Cardoso, Rui Lúcio, André Cardoso, Carlos Borges, Flávio Martins,
músicos. 

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies