Obras na casa de Aristides de Sousa Mendes arrancam na última semana do mês

A empreitada incluí a consolidação das estruturas de pilares
do interior do edifício, a recuperação da mansarda de lousas, a cobertura e
ainda as pinturas exteriores.
As obras de recuperação da casa do cônsul Aristides de Sousa
Mendes, situada em Cabanas de Viriato, Carregal do Sal, arrancam na última
semana deste mês, garantiu à Lusa a directora regional de Cultura do Centro.
As obras de substituição da cobertura, reforço e
estabilização estrutural da Casa do Passal foram adjudicadas por
aproximadamente 271 mil euros, esperando a responsável que possam estar
concluídas “em Dezembro ou, o mais tardar, princípio de Janeiro”.
“A empresa que ganhou o concurso já lá foi esta semana ver onde colocará o
estaleiro”, contou Celeste Amaro, sublinhando que será cumprido o que
tinha anunciado no início de Abril, durante um cordão humano em defesa da Casa
do Passal, que se encontra em ruínas.
Celeste Amaro explicou que será feita a consolidação de
“toda a estrutura de pilares do interior do edifício” e, ao mesmo
tempo, vai avançando a recuperação da mansarda de lousas, “sendo umas
recuperadas e outras substituídas”, e também da cobertura. “O que eu
disse à empresa quando ela ganhou foi que gostaria muito que a cobertura
estivesse pronta e já reposta antes das chuvas”, frisou, apontando que tal
possa acontecer “em Setembro ou Outubro”.
A empreitada inclui também as pinturas exteriores e a
colocação das janelas do último andar. “Como sobrou algum dinheiro,
gostava que fosse possível por o resto das janelas para a casa ficar fechada,
com porta, janelas e telhado”, afirmou, explicando que o montante aprovado
(cerca de 395 mil euros) foi superior ao adjudicado (cerca de 271 mil euros).

A directora regional de Cultura do Centro está convencida de
que, concluída esta primeira fase das obras, haverá muitas pessoas interessadas
em avançar para uma segunda, destinada a criar na Casa do Passal um espaço
relacionado com o feito de Aristides de Sousa Mendes, que salvou milhares de
pessoas do Holocausto. “Aristides de Sousa Mendes tem muitos fãs, não só
em Portugal, mas também no estrangeiro, com vontade de ajudar. Mas, primeiro,
está a nossa capacidade de demonstrar que a casa está pronta estruturalmente,
para depois se ver o que é que se vai fazer por dentro”, referiu,
acrescentando que recebe mensalmente pedidos de informação dos Estados Unidos
da América sobre o estado da casa.
Lusa