Consumo de vinho reduz probabilidade de pedras nos rins

   É mais um efeito benéfico do consumo do “néctar dos Deuses”, recentemente descoberto. A função diurética que desempenha leva o rim a um correto e frequente funcionamento. O estudo elaborado por especialistas das Universidades de Boston e Roma, veiculado pela prestigiada revista Wine Spectator, dá conta que “o consumo moderado de vinho está associado a um risco reduzido de formação de pedras nos rins”. A experiência incidiu sobre 2 mil indivíduos. Também a cerveja, o café, o chá e o sumo de laranja, foram outras bebidas que apresentaram efeito positivo nesta doença.
   Um estudo realizado na Universidade de Alberta, Canadá, revelou que um copo de vinho tinto acompanhando o jantar diariamente, além de fazer bem ao coração e à saúde no geral, equivale a 30 minutos de exercícios físicos.
   De acordo com o responsável pelo estudo, Gerald Weissmann, o efeito é causado pela substância chamada Resveratrol, conhecida por beneficiar o sistema circulatório, podendo também ajudar na prevenção de doenças como o Alzheimer.
Este estudo releva ainda que o efeito ajuda a prevenir o envelhecimento precoce dos músculos, e aumenta a densidade óssea assim como melhora a circulação sanguínea.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies