Alexandre Borges participou em sessão visando a defesa dos IC´s da Serra da Estrela e outras infra estruturas

– O autarca sustenta que se deveria colocar novamente em discussão o processo de regionalização.
   O vice presidente da Câmara de Nelas, Alexandre Borges, participou num sessão no passado fim de semana em Seia, mais uma vez com o objetivo de discutir e constituir um grupo de pressão, de vários autarcas da região, junto da Administração Central, para defender as infra estruturas no interior, mais concretamente na região da Beira Serra. O tema da coesão territorial foi central, tendo o autarca de Nelas saído em defesa “das infra estruturas existente e da manutenção da presença do estado no interior do país”, dando como exemplos “os postos da GNR, Bombeiros, Centros de Saúde, Finanças, CTT e Tribunal”. De acordo com a posição que assumiu, “a manutenção destes serviços é mais importante que as novas vias de comunicação, embora estas também devam ser uma preocupação : para nós a conclusão do IC12 e a construção de um IC37 que sirva Viseu, Nelas, Carregal do Sal, Oliveira do Hospital, Seia e Convilhã, são essenciais, mas tendo que se ter em conta a sua sustentabilidade financeira e exploração futura, para não andarmos a construir mais estradas portajadas”. O autarca considerou ainda que “ao invés da região centro se queixar da falta de uma só voz, deveria debater a pertinência da regionalização, para que, com legitimidade democrática, pudesse falar a uma só voz”.

6 comentários a "Alexandre Borges participou em sessão visando a defesa dos IC´s da Serra da Estrela e outras infra estruturas"

  1. Que fez este politico pela manutenção do TRIBUNAL DE NELAS?

    • O TRIBUNAL QUE FECHE, AS FINANÇAS É QUE NÃO PODEM FECHAR, SÃO MAIS IMPORTANTES. O TRIBUNAL SÓ SERVE PARA ENTRETER MEIA DÚZIA.

  2. o IC37 com o itinerário defendido pela câmara de Nelas é melhor que fique para as calendas gregas.

  3. É incrivel que depois de tantas mortes e dificuldades em transitar nessa via alguém tenha a coragem de atirar com a toalha ao chão.
    Só quem não conhece os verdadeiros motivos da luta por esse itenerário pode dizer isto.
    Lembro que tanto o IC12 como o IC37 são obras importantes e estruturais para o concelho, além de serem necessárias para a segurança de todos quantos circulam por essas vias de comunicação, remeter isso para segundo plano é no minimo não conhecer a realidade. É nestes momentos que se vê que lideranças temos.

    • Sobre as mortes, devem-se mais à imprudência com que MUITAS pessoas circulam. É incrível ver que na estrada de Nelas a Viseu (que se faz em cerca de 20 minutos a uma velocidade segura) há condutores a circular a velocidades de 120 Km / hora em certos troços e em velocidade excessiva em todo o percurso. São esses inconscientes os responsáveis pelas mortes, muito mais que a estrada em que circulam…e para quê? Para mostrarem os BMW's e chegarem 5 minutos mais cedo a Viseu…quando chegam.

  4. A regionalização que precisávamos era a que desse às empresas melhores condições. Porque não a criação de uma região económica especial, com os impostos a metade ? Toda a infra-estrutura actual se manteria, porque seria necessária. Estradas novas seriam construídas por pressão das dezenas de empresas que aí trabalhariam. E emprego não faltaria.

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies