Jomar (Grupo FINSA) poderá deslocalizar-se de Matosinhos para Nelas

    É uma notícia que foi avançada pelo Jornal de Notícias e poderá concretizar-se até 2016. O terreno onde se se situam as instalações da Jomar – pertencente ao grupo Espanhol Finsa – é arrendado e o contrato termina nesse ano, o que poderá levar a administração do Grupo Espanhol a transferir toda a produção para a unidade que tem em Nelas – Lusofinsa – dado que os atuais proprietários já deram indicações de uma possível não renovação do contrato, pois as negociações não estão a chegar a bom porto. De referir que os terrenos situam-se numa área muito valorizada em termos imobiliários – junto ao Mar Shopping. O presidente da Câmara de Matosinhos, Guilherme Pinto, já fez saber, no entanto, que aqueles terrenos têm vocação industrial e assim irão continuar. Certo é que como os próprios responsáveis do grupo Finsa já revelaram “a Câmara Municipal de Nelas está a dar todo o apoio aos nossos projetos de expansão, o que tem sido determinante”. 
     De acordo com a mesma fonte, o possível encerramento da Jomar, não está diretamente relacionado com o investimento na nova linha em Nelas, ou seja, a concretizar.-se o fecho da unidade de Perafita, a médio prazo poderemos vir a assistir a um reforço do investimento da Lusofinsa em Nelas, e assim trazer para o concelho mais empregos, pois a Jomar tem atualmente 230 trabalhadores.      

   Lembramos que o investimento na nova linha de Nelas ascenderá a cerca de 35 milhões de euros e irá criar pelo menos 35 novos empregos, tendo a autarquia liderada por Borges da Silva, cedido 45 mil metros quadrados de terreno para expansão da atividade da Lusofinsa.

2 comentários a "Jomar (Grupo FINSA) poderá deslocalizar-se de Matosinhos para Nelas"

  1. Senhor Jornalista!
    Sejamos verdadeiros, todo este projeto vem do executivo anterior.
    Para o efeito, consulte as atas da Câmara Municipal de Nelas, onde constam as áreas cedidas pelo anterior executivo e o contrato promessa assinado em 2009.
    E acredite que a administração da LUSOFINSA não está a gostar muito desta propaganda.
    Este executivo, apenas contribuirá com o pagamento de 1/3 dos terrenos a adquirir.

    • Dor de cotovelo é lixado, curiosamente nenhum destes projectos foram apresentados pelo anterior executivo quando se fosse verdade deveria ter sido, pelo menos por conforto à uma população cansada de ver a sua terra a desvanecer dia a dia.

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies