Um dia no mais tradicional Carnaval do Brasil, seguindo o maior bloco do mundo (Galo da Madrugada)

– O Carnaval de Olinda – cidade de muitas lendas, calçadas e igrejas do Brasil colonial – é recheado de tradição e misticismo. Mergulhámos nas profundezas do FREVO e fervemos com muitos traços Lusitanos.
  Em Recife e Olinda, cidades vizinhas situadas no estado de Pernambuco – nordeste do Brasil – encontra-se uma das maiores festas populares do planeta. O Carnaval é a festa que mais orgulho dá ao Pernambucano. A cultura e a alegria brincam juntas e em perfeita sintonia com a tradição. 
A música mais tocada é o FREVO, nome que vem de ferver, atribuído ao ritmo por causar efervescência e agitação entre os dançantes. Executado no meio da multidão, por diversas orquestras de metais, difícil é encontrar quem não comece a mexer o corpo quando escuta o ritmo. Os frevos clássicos são cantados pela multidão repetidas vezes. A atmosfera de felicidade é contagiante e chega a emocionar muitos foliões.
A festa é eminentemente democrática e popular. É época para se fantasiar e sair à rua para brincar. Seguindo os blocos quase que involuntariamente, levado pelo ritmo da multidão, com muito bom humor, os foliões aparecem com muitas fantasias criativas, encarnando personagens inspirados tanto nos noticiários do dia a dia, como nos mais tradicionais costumes, todos retratando a irreverência e a crítica social, tradicionalmente presentes no carnaval. Passistas dançam com sombrinhas na mão. Os jatos de água, vindos  de pistolas de plástico, lançados nos foliões pelas crianças, parecem tentar de maneira inocente e modesta amenizar o calor que é intenso. 
Um diferencial da folia Olindense são os bonecos gigantes, dos quais todo ano são criados novos tipos, e hoje já são mais de uma centena desfilando – a fazerem-nos lembrar os cabeçudos em Cabanas de Viriato. Esses bonecos são uma herança Portuguesa, desfilando inicialmente em procissões e festividades religiosas. Todos os anos,passam centenas de agremiações carnavalescas e tipos populares, que mantêm vivas as genuínas raízes da mais popular festa do Brasil, base da formação do nosso povo e de nossa cultura.
Hoje mais de um milhão de pessoas vindas de todo o mundo lotam as ruas e ladeiras destas cidades em busca da efervescência e da alegria desta festa. Uma folia alimentada por alegria, cultura e tradição, que tornam este Carnaval inesquecível e imperdível. 
Por fim, uma sugestão arrojada : seguir o maior bloco carnavalesco do mundo – o Galo da Madrugada – que em 1995 obteve esse reconhecimento pelo livro de recordes, Guiness Book.
José Miguel Silva com Daniela Brandão

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies