Empresa Espanhola vai criar 150 novos empregos em Nelas


Fábrica de grandes dimensões poderá
instalar-se em Nelas
– PGG é um grupo Espanhol dedicado ao
tratamento de resíduos oriundos de matadouros para posterior transformação em
rações para animais e óleos para a indústria cosmética
– A nova empresa poderá vir a criar em
Nelas 150 novos postos de trabalho
– O protocolo, que prevê a cedência por
parte da autarquia de 10 hectares de terreno, já foi assinado na Câmara
Municipal no início de Dezembro
          É
uma notícia que poderá travar a escalada do desemprego no concelho de Nelas nos
últimos meses. A PGG é uma companhia Espanhola, sediada em Barcelona, que se
dedica ao tratamento dos resíduos de matadouros, designadamente patas, tripas e
penas de aves, que depois são transformados em RAÇÕES e ÓLEOS (maioritariamente
destinados à indústria alimentar).
          Estes
resíduos, oriundos de várias empresas situadas no distrito de Viseu (onde o
setor tem uma forte representatividade a nível nacional), estarão a ser
enviados atualmente para Espanha. Daí que a empresa Catalã tenha aqui
identificado uma excelente oportunidade de negócio. Depois de um contacto mal
sucedido com a Câmara de Mangualde, alegadamente devido à indisponibilidade de
terreno com as dimensões desejadas – o único disponível estaria situado numa
área de Reserva Ecológica Nacional, seguiu-se um contacto com a autarquia de
Nelas, que fez deslocar a Barcelona o vereador responsável pelo pelouro das
obras e Vice-Presidente da Câmara, Manuel Marques, e dois técnicos da
autarquia, no sentido de avaliarem a credibilidade do investidor e os possíveis
impactos ambientais do projeto. A avaliação efetuada não poderia ter sido
melhor, pois como nos explicaram os técnicos da autarquia “a capacidade da
empresa é de uma grande dimensão, com uma grande qualidade técnica e de gestão,
usando uma tecnologia de ponta no tratamento de resíduos sólidos que são incinerados
a 900 graus de temperatura”. “O único impacto ambiental são os
odores, mas somente no momento das descargas dos resíduos, que são efetuadas
com muita rapidez e entram logo num circuito interno automatizado e fechado em
vácuo”, relataram-nos os funcionários da autarquia.
          A
empresa que, além de Nelas, pretende também expandir-se para o Brasil e
Venezuela, já assinou o protocolo com a Câmara Municipal, tendo como meta a
criação de 150 postos de trabalho, por via de laboração contínua, em 3 turnos
de 8 horas cada, com um investimento estimado de cerca de 30 milhões de euros,
numa área de implantação de 100 mil metros quadrados. Ou seja, estamos em
presença de um investimento de grande envergadura que, a concretizar-se, terá
um grande impacto na economia local. Aos promotores terão sido apresentadas por
parte da autarquia, duas opções – uma na zona industrial, por detrás da Topack,
e o outro junto ao Eco-Centro, em frente à Borgstena. Ambos os terrenos dispõem
já das infra estruturas básicas, sendo que, ao que apurámos, poderá vir a ser
escolhida esta última opção.
          A
construção de uma ETAR de grandes dimensões, num possível projeto conjunto
entre a autarquia e a PGG, que terá que ter contudo a aprovação por parte das
entidades competentes, poderia vir a resolver também a grave questão ambiental
que atualmente se vive naquela área industrial do concelho, devido às descargas
de diversas empresas ali situadas, que continuam a contaminar terrenos e a área
de lazer dos Valinhos. Fonte por nós contactada, deu-nos conta ainda que a
companhia já terá entregue o pedido de licenciamento, e poderá em breve
arrancar com a obra, que tem um prazo de execução de cerca de 4 meses. Assim,
se tudo decorrer como está programado, no 2º semestre de 2013, poderemos vir a
ter em Nelas um investimento com grande sustentabilidade futura.
Todo o desenvolvimento na edição de Dezembro do seu/nosso Jornal Centro Noticias Nelas Carregal do Sal.

2 comentários a "Empresa Espanhola vai criar 150 novos empregos em Nelas"

  1. fiquem com a empresa em nelas, no parque industrial I, é toda vossa.

  2. Aconselho a que seja seja feito um estudo preliminar e cuidadoso,porque este tipo de indústria deita um cheiro nauseabundo.

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies