Sporting de Santar vive situação dramática

Numa Assembleia Geral muito concorrida, com a presença de
cerca de 50 sócios, as contas dos últimos 3 anos foram rejeitadas, por “falta
de transparência” Clube está sem qualquer equipa inscrita e sem atividade.
Foi no passado dia 3, e após a
sede do clube ter sido assaltada (na noite anterior), que a direção do Sporting
Clube de Santar, coletividade com 35 anos de existência, apresentou aos seus
associados, as contas das últimas 3 épocas desportivas. Desde logo, alguns dos
cerca de 50 sócios presentes, levantaram várias dúvidas e reservas sobre as
mesmas, designadamente a contradição entre o valor do saldo anterior, inscrito
nas contas e o inscrito nas contas de 2009-2010, e a completa ausência de
suporte documental para os movimentos financeiros do clube, durante aquele
período. Depois de uma acesa discussão, e após serem submetidas à votação, as contas
foram reprovadas, estando atualmente a direção do clube apenas em situação de
“gestão corrente”. Ao que apurámos, há mesmo alguns sócios da coletividade a
ponderaram mover uma ação judicial contra a atual direção, por “gestão danosa”.
Houve mesmo um associado, que em plena Assembleia terá dito que “emprestei
cerca de 5 mil euros ao clube, estava para perdoar a dívida, mas perante o que
aqui vi e ouvi, já não vou perdoar”. Outra das situações que levanta muitas dúvidas
a vários sócios, por nós contactados, diz respeito a um valor inscrito nas
contas, como dívida ao clube, por parte da empresa TONDRAGO (que construiu a
cobertura do Estádio), no valor de 8 mil euros. Alegadamente os responsáveis da
empresa dizem que não devem este dinheiro ao clube. Ainda mais grave parece ser
a divergência entre os valores inscritos nas contas do Clube, como subsídios
Camarários, e os valores efetivamente pagos pela autarquia, que ascenderam a mais
de 324 mil euros nas últimas 8 épocas. O presidente do clube, há 12 anos,
Manuel Mena, terá alegado no final da época passada, falta de pagamento por
parte da Câmara para justificar a não inscrição de equipas, nos diversos
campeonatos, mas o facto é que a autarquia, liquidou todo o subsídio até final de
Agosto deste ano. Embora considerando que Mena fez um bom trabalho nas
primeiras épocas em que esteve à frente dos destinos do clube, levando-o à 1ª
divisão distrital, a verdade é que alguns sócios, consideram não existirem as
mínimas condições para que se mantenha como presidente da direção. Assim e para
evitar a pura e simples extinção do Sporting de Santar, são muitos os
associados que pretendem a marcação urgente de uma Assembleia Geral que possa vir
a salvar o clube e conclui a última, que acabou, como referimos, por não
aprovar as contas apresentadas pela direção.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies