O Lobo da Lapa, Salomão Fonseca, conta-nos a epopeia de uma vida dedicada à Lapa …

Como o prometido é devido, desta vez nós, José Miguel Silva e Fernando Neto, decidimos ir tertuliar com o Presidente da Junta de Freguesia da Lapa do Lobo, Salomão Almeida Fonseca. Ainda pensámos em nos deslocar à Lapa de comboio, mas não estivemos para apanhar frio no apeadeiro de Canas de Senhorim e resolvemos ir de automóvel. Mas não fomos sozinhos – levámos boa companhia – um belo exemplar de queijo serra da Estrela e um Quinta das Estremuas de 2007, da Vinícola de Nelas. Entre os voos dos seus pombos, pois é um ás da columbofilia, paixão que nasceu cedo, e confissões de perda da sua dignidade política, quando se filiou num partido, para trazer dinheiro para a Lapa, Salomão Fonseca emocionou-se diversas vezes, nesta conversa intimista.
Quais os momentos mais marcantes ao longo destes 20 anos da sua vida política?
Um dos momentos mais importantes na minha ligação à Lapa, deu-se antes da criação da freguesia, quando estive envolvido na construção do edifício sede da Associação Desportiva e Cultural Lapense. Encheu-me de orgulho esta obra, que ainda hoje é emblemática na nossa freguesia.
Esta obra foi construída com materiais e mão-de-obra da população, e com dinheiro de uma viagem de angariação de fundos que fez ao Brasil. Conte-nos lá como tudo isto se passou …
Decorria o ano de 1977, desloquei-me 2 meses ao Brasil, Argentina e Paraguai, para pedir donativos à comunidade Lapense residente no Brasil, tendo trazido 125 contos, o que na época era muito dinheiro. Acabei por perder e depois recuperar no avião e aeroporto, uma grande quantia de dinheiro que vários emigrantes me pediram para trazer aos seus familiares. Foi uma viagem muito atribulada, mas que valeu a pena.
Pode dizer-se que foi uma epopeia …
Sim, mas que resultou em pleno. O campo de futebol com o meu nome, foi também o reconhecimento de todo o trabalho que desenvolvi para que esta obra fosse uma realidade. O edifício sede da Associação foi inaugurado em 1978 e logo com um dimensão para o futuro – por exemplo, tem 7 casas de banho. Posso dizer-vos que fazer aquela obra, que ainda hoje é um símbolo na freguesia, depois do 25 de Abril não foi fácil. É com grande emoção (e as lágrimas de Salomão Fonseca vêem-lhe aos olhos) que digo que vendi na época a minha dignidade política, em 1977, pois filiei-me num partido político, a troco de 200 contos – foi o pedido que me foi feito para me darem o subsídio. E digo isto porque eu tinha feito uma jura de nunca me filiar em nenhum partido político.
Outro grande momento foi a criação da freguesia da Lapa do Lobo, que foi decretada em 9 de Julho de 1985. Estava eu na Austrália, o que foi um grande desgosto para mim. Só consegui ouvir numa rádio Portuguesa, em Sidney, a notícia. Das boas recordações que tenho dos

primeiros anos de democracia em Portugal, é o facto do próprio PSD e o seu líder, Sá Carneiro (que considero o maior político da nossa história), confiarem em mim nesta região, como um dos garantes da sua segurança. Isto em grande parte devido à minha atividade profissional, como representante da CIMPOR, em que conhecia todos os empreiteiros da região, por exemplo, que quando me viam desistiam de qualquer tentativa de agitação.
Quantos anos esteve na Austrália e quando assumiu o leme da Junta?
Estive 8 anos em Sidney e em 1 de Janeiro de 1994,tomei posse como presidente da Junta, com larga maioria.
Vamos situar-nos agora no período conturbado da luta de Canas pela elevação a concelho – sabemos que o Sr. e os autarcas da Lapa nunca foram bem vistos pelas gentes de Canas …
É evidente. Eu gostaria que Canas fosse concelho, até porque está aqui mais próximo de nós. Contudo, eu e os meus colegas não nos podíamos envolver naquelas lutas, porque isso iria prejudicar a nossa freguesia. Eu estou aqui não para governar as outras freguesias, mas para governar a freguesia da Lapa do Lobo. É tão simples como isto e os Canenses nunca aceitaram isto.
Então as relações com Canas foram sempre complicadas …
E continuam a ser … embora eu até tivesse sido diretor do GD de Canas e ter sempre tido boas relações com pessoas de Canas, até na minha vida profissional, tendo ajudado muita gente no tempo das vacas magras, facilitando pagamentos para fazerem as suas casas.
E nestes praticamente 20 anos de vida política e cívica em prol da sua freguesia, sente-se o Lobo mor da Lapa?
Eu sinto-me simplesmente um Lobo da Lapa e vocês sabem o que isso quer dizer.
E como o Lobo da Lapa vê a iminência do desaparecimento da sua freguesia, 27 anos depois de ter sido criada, numa vida ainda muito jovem?
A verdade é que a freguesia da Lapa do Lobo conheceu um desenvolvimento ao longo destes 27 anos, que nenhuma outra do país conseguiu. Neste período conseguimos dar um passo à frente no atraso que tínhamos. Nós não temos culpa que outros não tenham tido a nossa visão de longo prazo. Não é por acaso que eu ganho eleições aqui, seja por que partido for.
Ou seja as pessoas reconhecem o trabalho que aqui tem sido feito …
Claro que sim. É isso que têm demonstrado pelo seu voto.
Mas o governo não reconhece isso e usa um critério “matemático” para extinguir freguesias , não olhando precisamente para as pessoas …
Se o problema é a compensação monetária que dão aos autarcas, tirem-na. Não acabem é com as freguesias. Posso dizer-vos que nunca tive coragem de meter nas contas da Junta uma única fatura de gasóleo. Nas autarquias é que é mesmo amor à camisola. Estivemos recentemente na manifestação em Lisboa, em frente à Assembleia da República, em defesa da manutenção da nossa freguesia e não nos cansaremos que lutar por ela.
A Fundação Lapa do Lobo é uma autêntica “lança na Lapa” … até onde pode chegar a freguesia com a dinâmica que lhe está a ser imprimida por esta instituição, que já é uma referência em toda a região?
Sim, a Fundação, na pessoa do Dr. Cunha Torres, tem desempenhado um papel central no desenvolvimento da freguesia. Mas tudo isto acontece, porque verificou desde cedo toda a nossa capacidade para, em parceria, executarmos projetos para a melhoria da qualidade de vida na freguesia. Aliás, posso dizer-vos que tudo isto surgiu um pouco “por acaso”, pois eu estava um dia a pintar umas portas em minha casa, quando ele se dirigiu a mim, dizendo que me queria dar um abraço e os parabéns …Perguntei eu ….então porquê? Porque você tem as ruas mais limpas de todo o concelho. Eu apenas lhe disse que fazemos o que podemos. Diz-me o atual presidente da Fundação …então e o que eu posso fazer para ajudar ? Eu disse que podia ajudar com um trator, por exemplo, para limpezas na freguesia. Perante o custo elevado, disse que o que poderia fazer era ajudar com 10 mil euros de imediato. Eu acabei por pensar que o ideal seria comprar um aspirador urbano, pois era o dinheiro praticamente necessário para isso e assim poderíamos dizer que foi ele que ofereceu à freguesia aquele equipamento. E assim se concretizou esta aquisição muito importante para a nossa freguesia. A partir daí não parámos mais. Ainda há dias me disse que o forno comunitário é um monumento – e é mesmo. Outra obra que estamos a contar com o apoio da Fundação, é a casa mortuária, que está em construção e que ele diz que é “uma catedral”. E é mesmo, como vocês podem verificar. De salientar que estamos a contar nesta obra, também com o apoio da Câmara Municipal, que nos tem facultado o pessoal.
Quando pensa inaugurar então a Casa Mortuária ?
Penso que até ao fim do ano, mas como sabem os imprevistos muitas vezes acontecem.
O papel que a Fundação Lapa do Lobo está a desempenhar, acha que está para durar?
Eu sinceramente acho que ainda está a começar …
O Lar da Lapa é o maior do distrito … sente-se orgulhoso por este equipamento na sua freguesia e pelo trabalho que a Fundação Lopes da Fonseca tem vindo a desenvolver?
É evidente que sim. Como Lapense e também como ex diretor daquela Fundação, durante 4 anos, é para todos nós um grande orgulho o trabalho que tem sido feito. A obra do lar nasceu de um donativo de uma senhora que vivia nos Estados Unidos, de apelido Lopes da Fonseca. Depois disso, e com o “pelo do próprio cão” tem crescido muito e sem quaisquer apoios para todo o investimento que tem ali sido feito, o que é notabilíssimo, nos tempos que correm.

Suponho que a sua relação com o atual executivo camarário também continue a ser muito boa …
A minha relação com a Câmara Municipal foi sempre boa, fosse quem fosse que lá estivesse, porque o meu partido é o Partido da Lapa do Lobo.
Além da sua paixão pela Lapa também é um dos mais importantes columbófilos da região? Como apareceu esta paixão?
Quando eu tinha 14, 15 anos comecei a ter uma admiração por pombos correios e comecei a concursar. Quando fui para a Austrália, decidi tornar essa atividade no meu passatempo favorito. Na verdade, foi a minha mulher, que me incentivou muito para isto, pois eu trabalhava como fiel de armazém e o meu tempo livre era pouco, embora o dedicasse em grande parte aos pombos. Trouxe de lá cerca de 70 pombos, que faziam parte da “mobília”.Hoje em dia devo ter 120 pombos, mais ou menos … e digo-vos que não consigo viver sem eles. Um dia perdi um pombo numa prova e 10 anos depois apareceu em minha casa – esta é uma das estórias mais marcantes que tenho na vida.
E um bom arroz de pombo … o que nos diz?
Ainda hoje me está a dar vómitos de um dia, este mesmo pombo que referi, ter sido morto, pois estava muito mal e a minha mulher o ter colocado na panela para cozinhar. Não consigo sequer pensar que podem chegar a uma mesa.
Para onde voaria se fosse um pombo?
Para a Austrália (diz-nos mais uma vez emocionado, com as lágrimas nos olhos)
Aquela era a terra que me deveria comer. Ali eu fui respeitado.
Mas na Lapa não se sente respeitado?
Depende …por muito gente não. Aqui as pessoas não são muitas vezes reconhecidas pelo que fazem. Quando aterrei em Portugal disse à minha mulher, que se pudesse voltar, voltaria.
Voltando aos pombos …acha que os políticos Portugueses deveriam ter o mesmo “pedigree” que os seus pombos?
Isso não existe. O único que se salvou na história da democracia Portuguesa foi Sá Carneiro.
Dado que não se pode voltar a candidatar, pelo menos na Lapa do Lobo, pensa ainda vir a candidatar-se a algum lugar político, ou simplesmente vai “andar por aí”?
Fora de causa essa situação.

Vamos lá então à nossa habitual “rapidinha” … o que nos tem a dizer destas personalidades do concelho :
Isaura Pedro e Manuel Marques : Os dois maiores políticos do concelho. O Dr. Manuel Marques dá a cara por tudo e a Dra. Isaura, sendo mais regrada, mantém a postura de presidente em qualquer situação.
Luís Pinheiro : Não tenho nada contra ele, nem a favor. Não tenho opinião, ou melhor, terei a mesma que ele tem de mim. É como eu costumo dizer aos Benfiquistas … sou a favor do teu clube, o mesmo que tu és a favor do meu.
Ora para terminar em beleza … outra grande paixão – o Sporting Clube de Portugal …ainda pensa vir a ver o seu clube a ser de novo campeão, passe a provocação?
Eu ainda sou do tempo em que a questão era somente saber por quantos ganhávamos (5 violinos), porque ganhávamos sempre. O que vos posso dizer é que independentemente dos títulos e mesmo que o Sporting algum dia acabe, serei sempre do meu clube até morrer.

6 comentários a "O Lobo da Lapa, Salomão Fonseca, conta-nos a epopeia de uma vida dedicada à Lapa …"

  1. AQUI ESTÁ UM HOMEM
    QUE TEM OBRA NA LAPA

    FICARÁ NA HISTÓRIA DA LAPA

    UM VENCEDOR
    APESAR DE TÃO ATACADO
    FORA DA TERRA
    POR AQUELES QUE MESMO
    SENDO DE OUTRAS TERRAS
    QUERIAM MANDAR
    NA LAPA

    MAS ELE COLOCOU A LAPA
    ACIMA DE TUDO

    BRAVO SALOMÃO

  2. Anos e anos dedicados à Lapa do Lobo têm cada vez mais resultados palpáveis! Muitos parabéns a um homem que colocou sempre as pessoas à frente de tudo! Um forte abraço ao meu tio favorito,

    Sérgio de Almeida

  3. Embora não o referisse, talvez por esquecimento, foi dos maiores entusiastas na luta de Canas a concelho, em 1975.

  4. ISTO É O QUE SALOMÃO FONSECA APROVA E ESCONDE:

    IVESTIMENTO POR FREGUESIA

    NELAS:-1.048,00%

    LAPA:-0.36%

    INVESTIMENTO POR MUNICIPE

    NELAS:-1.048,00

    LAPA:-23,24

    FAÇAM UM GRÁFICO E COMPAREM QUANTO VALE UM HABITANTE DE NELAS E QUANTO VALE SALOMÃO FONSECA.

    TALVEZ CHEGUEM À CONCLUSÃO,QUE COMPARANDO ELE FICA REPRESENTADO NUMA POSIÇÃO FIDEDIGNA DO SEU COMPORTMENTO.

  5. Não fossem as Fundações e a Lapa continuaría no CHARCO!

    Essa é que é essa.

    A câmara e a Junta ,pouco ou NADA FAZEM na Lapa

  6. ISTO É O QUE SALOMÃO FONSECA APROVA E ESCONDE:

    IVESTIMENTO POR FREGUESIA

    NELAS:-84,14%*****

    LAPA:-0.36%

    INVESTIMENTO POR MUNICIPE

    NELAS:-1.048,00

    LAPA:-23,24

    FAÇAM UM GRÁFICO E COMPAREM QUANTO VALE UM HABITANTE DE NELAS E QUANTO VALE SALOMÃO FONSECA.

    TALVEZ CHEGUEM À CONCLUSÃO,QUE COMPARANDO ELE FICA REPRESENTADO NUMA POSIÇÃO FIDEDIGNA DO SEU COMPORTMENTO.

    com as devidas desculpas uma pequena correção*****

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies