O Medo e a Intimidação em Canas, em dia de desfile dedicado à LIBERDADE DE IMPRENSA

É uma verdade o que o nosso leitor on line acaba de publicar no nosso Blogue … o medo existe em Canas. Fomos hoje intimidados nesta vila, por um personalidade com grandes responsabilidades locais. O estilo trauliteiro, intimidatório, caciqueiro e rude de estar na vida, típicos de senhores feudais, ou ditadores de repúblicas de bananas, tem os dias contados. Vivemos em democracia e dela não sairemos … desenganem-se aqueles que pensam que todos são cobardes como eles. Portugal criou a democracia e a coragem para enfrentar a cobardia e a tentativa de limitação a uma das grandes conquistas de Abril – a liberdade de expressão e de imprensa.

José Miguel Silva

MAIS TARDE imagens do grande desfile de carnaval de crianças, do Agrupamento de Escolas de Canas, dedicado curiosamente à Comunicação Social e à liberdade de imprensa … um bom exemplo que vai ser documentado nesta edição on line.

10 comentários em “O Medo e a Intimidação em Canas, em dia de desfile dedicado à LIBERDADE DE IMPRENSA”

  1. Não me espanta que o tenham "intimidado", mas nada de dramatizar. Quem tem medo compra um cão.

    Sempre disse o que pensava e o máximo que me aconteceu foi chamarem-me traidor e camelo. Nada de muito grave.

    Mas não me diga que não teve conhecimento das agressões aos integrantes das listas dos "aviadores" e Só Canas. Não me diga que nunca viu ou leu nada sobre traidores, camelos e outros personagens Canenses? Nunca lhe despertaram curiosidade as vigílias ou os insultos feitos no mercado da Vila? Será que as negociatas mais ou menos escamoteadas nunca lhe atiçaram o espírito?

    Curiosa e lamentavelmente nunca o vi insurgir-se contra isso nos trabalhos que escreve e é pena que não. Jornalismo independente é essencial a uma sociedade democrática e livre.

    Será que vamos passar a ter pelo menos uma amostra disso?

    Cumprimentos e bom trabalho.

  2. É verdade que o medo existe em Canas, mas é o medo de reportagens iguais ás do vosso "jornal", em que para além de a notícia não ser assinada, tudo o que ela contém não é verdadeiro.
    O senhor e os seus colegas deveriam ter um pouco de vergonha e pedir desculpa a ambas associações.

  3. Vergonha é o que as Associações responsáveis pelo Carnaval de Canas andam a fazer aos Canenses, vocês é que deviam de pedir desculpas por andarem a assassinar a essência do nosso Carnaval.

  4. a intimidade é real, contam-se pelos dedos as pessoas independentes e sem medo.

    Há muita matéria jornalistica, só que a maioria dos que querem falar, vão perguntar préviamente, quanto vão ganhar.

  5. Paço e Rossio venderam- se por meia duzia de tostões.

    Demitam-se é um favor que fazem aos canenses.

  6. certo, há que assumir a venda enganados pelo fazedor de problemas do costume=Lp presidente da Junta de canas

  7. Caro amigo pseudojornalista, o meu amigo haveria de num destes dias carnavalescos, explicar ás pessoas e leitores da sua peça na passada edição do jornal de Nelas, onde está inserida a verdade das suas palavras, pois para as pessoas que de facto se envolvem no Carnaval de Canas de Senhorim de verdadeiro as suas palavras nada têm. É ainda de lamentar a sua falta de categoria jornalística, dado o facto de não assinar as noticias que escreve. Quanto ao medo em Canas de Senhorim, meu caro amigo, quem tem medo compra um cão, mas como se costuma dizer "Quem anda a chuva molha-se" (…)

  8. nada de novo no comportamento do "caudilho" de Canas, tudo fará para afastar as atenções dos Canenses, sobre os acordos que fez com a câmara para destruir Canas desde as eleições de 2005.

    Está a perder as estribeiras porque a câmara não lhe dá o que ele quer, dinheiro para festas e muros com fartura,
    tudo fará para que em situações de concentração de pessoas, incentivar ardilosamente ao insulto e intimidação, só que a câmara já não vai na onda

  9. o presidente da junta fez um comunicado a apelar que não comprem o jornal, FEZ O MESMO em tempos idos com o jornal Canas de Senhorim, por este ter um artigo com opinião diferente da sua, dizia isto em público e logo a seguir telefonava ao director do jornal para ir jantar.

    É o mesmo acrobata de sempre

    "saquem-lhe" os beneficios e ele foge.

Os comentários estão encerrados.