Peregrinação de Santar à Nª Srª da Lapa – pelos caminhos esquecidos da vida

O homem é um perpétuo peregrino.
Para peregrinar há que ter em conta que não se trata apenas do acto de caminhar ou executar um trajecto, é reconhecido que peregrinar, pressupõe caminhar motivado “por” ou “para algo”. Por esta razão, a Santa Casa da Misericórdia de Santar, no ano em que comemora o seu 375.º aniversário, entendeu participar neste projecto, que visa recriar e recuperar uma velha tradição, que segundo testemunhos orais de alguns anciãos de Santar e Moreira, esta Santa Casa, fundada em 1636, por Dom Lopo da Cunha, terá apoiado os peregrinos que daqui saíam em peregrinação, até cerca dos anos 20 do século passado, para percorrerem os seus caminhos de fé.
Este projecto obrigou a um exaustivo trabalho de pesquisa, nomeadamente o reconhecimento de caminhos, pontes em uso nos séculos XVI e XVII, as “alminhas” (marcos que sinalizavam as encruzilhadas, descritos pelos peregrinos de então) …
Após este reconhecimento, foi definida a rota de peregrinação, marcada com setas azuis, cor associada ao culto Mariano. Esta escolha passa maioritariamente por caminhos em terra batida, com a preocupação de garantir a segurança e integridade da pessoa do peregrino. Este projecto teve o envolvimento, a determinação e o trabalho do Dr. Maia Rodrigues, bem como o de outras entidades que se associaram a esta iniciativa.
A cada peregrino, foi entregue um documento que dá pelo nome de “ Credencial do Peregrino” para que possa ser assinado e carimbado nos locais definidos para tal.
O peregrino teve oportunidade de percorrer o seu caminho de fé em 3 dias, com saída de Santar no passado dia 15 de Julho e chegada ao Santuário da N.ª Sr.ª da Lapa no dia 17, onde se reuniram, no miradouro da Sr.ª da Piedade, com os outros peregrinos, para partirem em procissão até ao Santuário, empunhando Bandeiras e Estandartes das Associações, Irmandades e Entidades que se associarem a esta Peregrinação.
Porquê peregrinar de Santar até à N.ª Sr.ª da Lapa?
Porque, segundo a lenda que remonta ao ano de 1498, a pastora Joana, muda de nascença, encontrou uma linda imagem da Virgem, quando entrou por entre fendas numa gruta com uma grande lapa.
A mãe desta pastora, cansada de a ver perder tempo com aquela “boneca”, lançou-a à fogueira e Joana, apesar de muda gritou: Tá! Minha mãe! É Nossa Sr.ª da Lapa”.
Este milagre rapidamente passou de boca em boca e muitas foram as peregrinações, a partir daí, a esse local.
Esperamos que este ambiente de fé tenha retorno, de acordo com as pretensões de quem vai fazer a peregrinação e que esta, tenha um sentido e um valor acrescentado que são necessários descobrir a cada pessoa que a realiza.

1 comentário a "Peregrinação de Santar à Nª Srª da Lapa – pelos caminhos esquecidos da vida"

  1. Olá,

    Pretendo com uns amigos fazer esses peregrinação em btt com uns amigos, tem o track gps do percurso, ou sabe de alguém que o disponha. pf responda para carlosaraujo44@gmail.com, obrigado

Os comentários estão fechados.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies