Bombeiros de Canas contraem empréstimo de 80 mil euros para financiar obras do quartel

– Obras de ampliação do quartel dos Bombeiros de Canas avançam a bom ritmo, mas corporação tem que recorrer a um empréstimo para o seu financiamento

A última Assembleia Geral da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Canas de Senhorim tinha como ponto importante a ser discutido, a contracção de um empréstimo de 80 mil euros, destinado a financiar a parte não comparticipada das obras de ampliação do seu quartel, que corresponde a 30% do investimento inicial orçamentado, de cerca de 500 mil euros. Este empréstimo, que a Assembleia Geral acabou por aprovar, aparece numa altura em que os fundos de “reserva” da corporação Canense, estão “praticamente esgotados”, como explicou ao nosso jornal, o presidente da direcção, Fernando Pinto, que nos adiantou também que “devido a diversas alterações ao projeto inicial e alguns extras, o custo total da obra irá rondar 600 mil euros”. “Devido à falta de disponibilidade, neste momento, por parte da autarquia, vimo-nos obrigados a contratar uma conta corrente caucionada, no valor de 80 mil euros, para podermos ir pagando as facturas ao construtor”, adiantou-nos Fernando Pinto. Lembramos que a autarquia se comprometeu a suportar a parte não comparticipada pelo QREN, neste projeto, ou seja 30% do investimento total. Foram diversas as vozes na referida Assembleia Geral, a criticarem a atitude assumida pela Câmara neste processo, alguns defendendo inclusive a possível paragem da obra “perante o incumprimento da Câmara, apenas existe uma de duas opções. Ou não se contrai o empréstimo e a obra pára, ainda que momentaneamente, ou se contrai o empréstimo e a obra segue o seu curso normal, tendo todos os presentes ficado devidamente esclarecidos quanto à pouca margem de manobra da direcção e da própria associação”, ou seja, “maioritariamente” os associados consideraram “incorrecta” a postura da Câmara.Ainda assim, o presidente da direção dos bombeiros confia que “a Câmara comece a pagar-nos, pois já nos foi dito pela Sra. Presidente que agora em Julho já existirá alguma disponibilidade para o efeito”. Assim sendo, este empréstimo surge “como uma salvaguarda, dado que se a Câmara efetuar os pagamentos acordados, poderemos nem ter necessidade de o utilizar, pelo menos na sua totalidade”, assegura-nos. Certo é que as obras do quartel estão a avançar em bom ritmo e espera-se que “estejam concluídas durante o primeiro trimestre do próximo ano, a tempo de mais um período de maior risco em termos de incêndios”. Este ano, nesta fase “charlie”, que se iniciou no passado dia 1 de Julho, o quartel de Canas, está autenticamente “virado do avesso”, devido às obras, o que poderá dificultar as operações nesta época, embora todas as “peças” se estejam a encaixar para tudo dar certo, enquanto decorrem as obras. Lembramos que esta obra envolve a construção de uma nova garagem que irá albergar todas as viaturas e ainda camaratas, balneários e outros espaços, resultando num quartel com elevado nível de operacionalidade e condições globais, em termos de espaço e qualidade, há muito desejadas pelos bombeiros Canenses.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies