Câmara de Nelas adia por mais dois anos pagamento do empréstimo de 7,5 milhões

A autarquia de Nelas deliberou, na passada terça- feira, alterar as condições do contrato de saneamento financeiro do Município contraído junto o BCP, ainda em 2010, no montante de 7,5 milhões de euros. A proposta , aprovada pela maioria PSD/CDS no executivo, com os votos contra dos dois vereadores do PS, na última reunião de Câmara, prevê nomeadamente o alargamento do período de carência do empréstimo por mais dois anos, o que significa que a Câmara só deverá começar a pagar as prestações do empréstimo em 2013. Quem não deixou de lamentar estas alterações foi o vereador do Partido Socialista, Adelino Amaral, que considerou a deliberação “muito grave” para as finanças do Município, tendo em conta o “agravamento da taxa de juro ” do empréstimo “em meio ponto percentual, o que é dinheiro” afirmou o vereador da oposição, em tom critico. A réplica por parte da maioria no executivo não se fez esperar, com o vice presidente da Câmara, Manuel Marques, a lamentar uma vez mais a “politica do bota abaixo” praticada pelos eleitos do PS, que no passado recente já tinham votado contra o empréstimo, porque “não querem obras” no concelho. “Todos já percebemos que politicamente é mais fácil e menos o penaliza se o senhor vetar a gestão da Câmara Municipal, o povo já percebeu isso e já o julgou por isso, o senhor utilizou essa política no mandato anterior, e não colheu” contra atacou o número dois de Isaura Pedro, acusando Adelino Amaral de não querer o financiamento para não haver desenvolvimento em Nelas. O vereador do PS reagiu, lembrando Manuel Marques que “esse discurso dos resultados eleitorais” começa a estar “gasto e esfarrapado” , e desafiou o vice presidente a discutir a proposta de alteração às condições em que foi feito o empréstimo à Câmara Municipal. Um contrato que, de resto, já tinha merecido o voto contra do PS, que diz não concordar com um empréstimo para pagar certos “gastos escusados e desproporcionados” da autarquia. Adelino Amaral entende, além disso, que as alterações ao plano de saneamento financeiro do Municipio “são uma fuga à responsabilidade por parte deste executivo”, onerando ainda os “executivos vindouros”. Isaura Pedro “tranquilizou” porém a oposição, dizendo a Adelino Amaral para não se preocupar porque não será ele a pagar a factura nem neste mandato, “nem nos próximos quatro anos”, porque “nós vamos ganhar”, disse, confiante, a presidente da Câmara, fazendo questão de lembrar que também herdou um empréstimo de 400 mil contos do seu antecessor e “já o pagámos”. Também Manuel Marques arrasou Adelino Amaral, garantindo que “não vai ser ele, nem o PS a pagar isto nos próximos 12 anos”, que é o tempo de duração do empréstimo.

Um comentário em “Câmara de Nelas adia por mais dois anos pagamento do empréstimo de 7,5 milhões”

  1. Em democracia qualquer politico com maioria se acha com o direito de fazer o que lhe apetece, mesmo que não seja o mais correto.
    O atual executivo, como teve maioria acha que tem autoridade para fazer o que lhe apetece e ainda gozar com quem não tem a mesma opinião.
    É uma pena que em democracia o poder possa ser exercido por pessoas desqualificadas.

Os comentários estão encerrados.