PS Nelas reúne 100 pessoas no seu habitual jantar de ano novo


– Adelino Amaral sugere que Isaura Pedro poderá deixar o executivo se tivermos eleições legislativas antecipadas, deixando o concelho entregue “a uma dupla de oportunistas, outrora inimigos figadais”

O Jantar de Ano Novo do PS é já uma tradição no calendário das actividades da concelhia de Nelas do Partido Socialista.
Desta vez o local escolhido para o evento, que se realizou no Sábado passado, foi o Hotel Pantanha, nas Caldas da Felgueira, sábado passado.
Mais de uma centena de militantes e simpatizantes, confraternizaram, num ambiente quente, num noite tipicamente de Inverno. Pelo meio ficaram as intervenções políticas, marcadas pela campanha para as eleições presidenciais.
Presentes no jantar estiveram destacados dirigentes distritais do partido, como José Junqueiro (Secretário de Estado), Helena Rebelo (Deputada) e Rafael Guimarães (líder da JS), para além dos Presidentes das Concelhias de Mangualde (Marco Almeida) e de Santa Comba Dão (Leonel Gouveia).
O candidato do PS à Assembleia Municipal, Armando Carvalho, em momento de grande emoção, evocou a memória de Rui Neves, referência de militância pelos ideais socialistas e do Concelho de Nelas.
Justificou o voto do PS contra o Orçamento Municipal e as GOPs (Plano de Actividades), recentemente aprovados e teceu algumas críticas, sempre duras, à actual gestão autárquica.
De seguida o líder da JS, Rafael Guimarães, enquadrou os anseios da juventude naquilo que são os valores da esquerda moderna: A estabilidade do emprego, a educação pública, a igualdade de oportunidades, a solidariedade e a justiça social.
Salientou o papel da juventude e da JS na defesa desses valores e outros ideais progressistas, que foram objecto de recentes iniciativas legislativas, como igualdade de género, despenalização da Interrupção Voluntária da Grevidez, direitos de minorias e casamento de pessoas do mesmo sexo.
A propósito de eleições presidenciais, lembrou o desprezo manifestado pelo candidato Cavaco Silva, pela juventude, a quem chamou, no passado, “geração rasca”. Não rasca mas “à rasca”, disse Rafael Guimarães, com as medidas que Cavaco tomou enquanto primeiro-ministro, como as propinas, que são sua invenção.
Declarou-se um apoiante incondicional de Manuel Alegre e apelou ao voto no candidato apoiado pelo PS, irreverente como a juventude, justo e solidário, que representa os valores e ideais da juventude e da esquerda.
O líder da Concelhia, Adelino Amaral, marcou também a sua intervenção por críticas ao candidato presidencial apoiado pela direita. Acusou os partidos de direita, PSD em particular, de quererem transformar as eleições presidenciais num ajuste de contas e num julgamento ao Governo PS. Salientou a importância das eleições presidenciais nesta conjuntura de crise internacional e de intensa actividade especulativa dos mercados financeiros, que têm vindo a pôr em causa a credibilidade do nosso país. Acusou o candidato e os partidos da direita, de promoveram essa desconfiança, de estarem interessados em criar dificuldades ao Governo e ao país, para assim provocarem uma crise política que os possa levar ao poder.
Mas o acento tónico da sua intervenção foi a importância que estas eleições poderão ter na vida da autarquia. O Executivo municipal tem também a esperança de poder ir à boleia de uma hipotética vitória da direita e, por essa via provocar eleições legislativas antecipadas, onde se possa “encaixar” alguém do Executivo, podendo ser a Presidente a primeira candidata a sair, deixando para trás uma autarquia ingovernável, pelas dívidas e despesas que tem. O Concelho ficaria assim entregue a uma dupla de oportunistas, outrora inimigos figadais, mas agora grandes amigos e aliados por interesse.
José Junqueiro, ex-líder da Federação, actualmente membro do Governo, após enaltecer o trabalho da Concelhia de Nelas, referiu-se também às eleições presidenciais, apelando ao voto no candidato apoiado pelo PS, enquanto acusava o candidato Cavaco Silva de ter a mesma agenda política dos partidos de direita, com objectivos claros de destruir o Estado Social, a escola pública, a segurança social e o Serviço Nacional de Saúde.
Fez um balanço do que tem sido a actuação do Governo PS, contabilizou as vitórias recentemente alcançadas na colocação de títulos da dívida pública, contrariando os ataques que os mercados e os especuladores têm feito ao Governo e ao País, com a colaboração directa da oposição, do PSD e do seu candidato à presidência. Disse haver motivos para estarmos contentes com os resultados obtidos, bem assim como os dados disponíveis da execução orçamental de 2010, com redução do défice abaixo dos valores previstos e com os resultados económicos francamente positivos. O crescimento económico foi o dobro das previsões e as exportações cresceram mais do que o triplo do valor previsto, em consequência das medidas que o Governo considerou prioritárias de incentivo à economia, com impacto negativo na evolução de défice.

2 comentários em “PS Nelas reúne 100 pessoas no seu habitual jantar de ano novo”

  1. UNS CÓMICOS ESTES MENINOS SOCIALISTAS. UM PRIMEIRO-MINISTRO QUE MENTE À DESCARADA, UM MINISTRO DAS FINANÇAS QUE NÃO ACERTA UMA, UM PAÍS NA RUÍNA. SEM PERSPECTIVAS DE FUTURO. UM POVO DESCRENTE. COM UMA CARGA FISCAL BRUTAL. UM PAÍS POR ELES GOVERNADOS QUASE HÁ 15 ANOS NOS ÚLTIMOS DEZASSETE. TENHAM VERGONHA NA CARA.

  2. O Adelino já devia ter ido embora do PS há muito tempo! Há muita gente descontente! Temos pessoas com valor que começam a aparecer!

Os comentários estão encerrados.