Estrada da morte tira a vida à vereadora Natália Coelho

– Acidente trágico na E.N. 231 em Oliveira de Barreiros vitimou a mandatária de Isaura Pedro e vereadora do PS, Natália Coelho e Maria Clara Moreira, empresária da Agronelas
Óleo e combustível derramados na estrada e um piso molhado pelas primeiras chuvas, parecem ter estado na origem do despiste do Renault Clio, em Oliveira de Barreiros, na E.N. 231 – sentido Viseu-Nelas, onde circulavam Natália Coelho (45 anos) e Clara Moreira (52 anos). Eram cerca das 12h30m, do passado dia 8, quando numa das curvas acentuadas deste troço, onde têm acontecido muitos acidentes mortais (não muito longe deste local morreram no ano passado a provedora da Santar Casa de Santar, Lucília Paiva e o marido Marcelino Paiva), o carro acabou por deslizar e embater frontalmente num camião que transportava areia e pedra, e circulava em sentido contrário. A viatura ficou completamente destruída e as ocupantes tiveram morte imediata, enquanto o condutor do veículo pesado – José Matos, de 30 anos, saiu ileso e terá tentado ainda, sem sucesso, desviar-se do ligeiro, tendo entrado em estado de “pânico” após o acidente. Deslocaram-se ao local nove bombeiros e quatro viaturas, que encontraram um cenário “dantesco”, com as vítimas esmagadas na chapa, o que fez com que se tivesse que recorrer a uma grua para levantar o pesado de mercadorias, para se poder proceder ao desencarceramento do Renault Clio. Uma equipa de Núcleo de Investigação de Acidentes do Destacamento de Trânsito das GNR de Viseu está já a investigar as causas do acidente, tendo recolhido algumas amostras das gorduras que se encontram no piso.
Natália Coelho era uma das mais conceituadas advogadas de Nelas, ocupando actualmente o lugar de vereadora pelo Partido Socialista, mas sendo a mandatária de Isaura Pedro e candidata à Assembleia Municipal pela coligação PSD/CDS-PP. A sua intervenção cívica ia muito para além da política, pois sempre esteve ligada à maior colectividade do concelho – o ABC de Nelas, onde era actualmente vice-presidente do conselho fiscal. Por seu turno, a outra vítima mortal do acidente, era uma prima de Natália Coelho, a conhecida empresária da Agronelas, Clara Moreira, mãe do actual presidente da JSD de Nelas e reeleito deputado municipal, Pedro Moreira, sendo ainda membro da comissão de protecção de jovens e crianças de Nelas. O marido de Clara Moreira é proprietário de uma das maiores empresas avícolas do país – Norteaves, sedeada em Viseu. As duas vítimas eram naturais de Vale de Madeiros e ambas deixam dois filhos. A missa de corpo presente de ambas, teve lugar na igreja matriz de Nelas, no passado dia 9, perante milhares de pessoas, que deram assim o último adeus a duas Nelenses muito conhecidas e queridas pela comunidade. Clara Moreira foi a enterrar no cemitério do Folhadal, enquanto Natália Coelho foi sepultada Canas de Senhorim.
A Câmara Municipal de Nelas, em reunião extraordinária, decretou dois dias de luto municipal, dispensou o pessoal durante um dia, e colocou a bandeira a meia haste, ao mesmo tempo que todas as forças partidárias, concorrentes às autárquicas, decidiram suspender a campanha eleitoral.

Fernando Ruas quer rapidez na construção do IC37, que será alternativo à EN231
O presidente da Câmara de Viseu apelou entretanto à Estradas de Portugal SA a avançar rapidamente com a construção do IC37, entre Viseu e Seia, que será alternativo à EN231.A autarquia pretende, no prazo de um ano, ter requalificados os 2.750 metros da EN231 que são da sua responsabilidade, desde a rotunda do Palácio do Gelo até à rotunda de Teixas (por baixo da auto A25). A obra está orçada em 6,73 milhões de euros e pretende modernizar esta estrada, que é uma das entradas na cidade que tem mais movimento.No entanto, o presidente da autarquia, Fernando Ruas, lembrou aos jornalistas que continua por se concretizar o IC37, entre Viseu (IP5/A25) e Seia (IC7), passando por Nelas, que está integrado na rede rodoviária prevista para o redor da Serra da Estrela. “Já fui a reuniões com o actual secretário de Estado onde era feita toda a explanação de como seria a malha viária naquele ‘interland’ que vai daqui de Viseu até Oliveira do Hospital, Serra da Estrela, e não vemos nada avançar”, lamentou.Na opinião do autarca social-democrata, esta estrada, que terá quatro vias, “é fundamental para uma ligação moderna à Serra da Estrela”.Um despacho datado de 28 de Agosto de 2009, assinado pelos ministros das Finanças e das Obras Públicas, determina que a Estradas de Portugal «prepare e promova o lançamento, para ocorrer até ao final do primeiro semestre de 2010, dos concursos públicos internacionais» para várias concessões, nomeadamente a da Serra da Estrela, que integra diversos itinerários, entre eles o IC37 entre Viseu e Seia.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies