Combate a incêndios : Nível IV conta com 800 operacionais e seis meios aéreos no DECIR

Imagem de Arquivo

Perto de 800 operacionais vão estar envolvidos no combate aos incêndios florestais na fase mais crítica dos fogos de verão. De acordo com informações recolhidas pelo Jornal do Centro, o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) do distrito prevê que estejam empenhados no nível IV, o de maior risco, que decorre entre os dias 1 de julho e 30 de setembro, 792 homens. A maior parte destes elementos integra os corpos de bombeiros da região (409).

Quando comparado com os meios humanos disponíveis do ano passado, há mais 57 combatentes na fase com maior risco, anteriormente designado de Charlie e que atualmente corresponde ao nível IV de empenhamento.

Os operacionais no terreno terão o auxílio, entre os meses de julho e setembro, de três helicópteros ligeiros, dois aviões anfíbios médios (fire boss) e um avião de reconhecimento e avaliação. Estes seis meios aéreos estarão prontos a “atacar” o fogo de junho a setembro. O ano passado Viseu também tinha afetos seis aeronaves. Até ao final deste mês de maio (fase II), Viseu tem operacionais apenas os dois aviões e um helicóptero. Entre os dias 1 e 15 de outubro (fase III), soma-se mais o avião de reconhecimento.

Mais bombeiros
Na fase II que arrancou a 15 de maio e que se prolonga até ao final do mês, são 162 os soldados da paz envolvidos no combate às chamas. Já no período compreendido entre 1 e 30 de junho (nível III) serão 307. Nos primeiros 15 de dias do mês de outubro estarão mobilizados 192 bombeiros. O quadro dos restantes homens é fixo e mantém-se entre maio e outubro. A GNR tem afetos 213 militares, do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS) e do Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente (SEPNA). A PSP destacou apenas quatro agentes. Há ainda 155 sapadores florestais envolvidos e cinco elementos do Instituto de Conservação de Natureza e das Florestas (ICNF).

Aviões até 2019
Fonte da Proteção Civil, sublinhou ao Jornal do Centro que este ano “há mais meios”, sendo que estes “estão distribuídos de forma diferente”. A mesma fonte destacou que pela primeira vez e até dezembro de 2019, estará estacionado no aeródromo de Viseu um helicóptero ligeiro a que estará adstrita uma equipa de GIPS da GNR. Os dois aviões “fire boss” estarão também estacionados no centro de meios aéreos até ao final de 2019.

Fonte : https://www.jornaldocentro.pt/online/infografia/800-operacionais-e-seis-meios-aereos-no-periodo-critico-de-incendios-florestais/

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies