IPV: “Solstícios, Equinócios e Património” é o tema para o próximo encontro do “Transversal”

O Politécnico de Viseu promove no próximo dia 21 de março um evento multifacetado e pluridisciplinar, no qual a ciência, as artes, a etnografia, a história e o património se harmonizam em perfeita sintonia na celebração do primeiro dia que assinala o recomeço de um novo ciclo: o Equinócio da primavera. O evento, subordinado ao tema “Solstícios, Equinócios e Património”, faz parte de um ciclo de encontros promovidos pela Pró-Presidência do IPV para a Comunicação de Ciência e Promoção da Cultura Científica intitulado “Transversal”.

O programa tem o seu início agendado para as 14:00h. Pelas 14:15h, a excelência performativa da Orquestra Metropolitana de Lisboa (OML) junta em deleitosa harmonia Música e Ciência em formato concerto-conferência sob o tema “O Tempo e os Tempos da Sagração. A Sagração da primavera, do génio criativo de Igor Stravinsky, interpretada pelas Percussões da Metropolitana, numa transcrição para orquestra de percussão de Miguel Sobral Curado, e com direção musical de Reinaldo Guerreiro, suscita a reflexão científica do professor Carlos Fiolhais, emérito físico, ensaísta e docente universitário.

Após o concerto-conferência, o público presente é convidado a visitar a exposição temática “Relógios de Sol de herança Árabe. Património material e imaterial”, que se encontra patente no foyer da Aula Magna”. Após se terem deleitado com a mostra, os participantes regressam à Aula Magna para assistir a quatro comunicações imperdíveis: “O Relógio de Sol e a Herança Árabe”, por Pedro Gomes de Almeida; “Legado e influência árabe em Viseu”, a cargo de Luís Fernandes; “Solstícios e Património”, da autoria de Liliana Castillo; e “Em torno do Sol”, com a assinatura de Alexandre Aibéo. O motivo são os relógios de sol e a sua evolução até ao início da idade média. Centrado no legado árabe para estes objetos, viajar-se-á também pelas influências do período Românico. Explorando os hábitos culturais associados à construção dos relógios de Sol e explorando a íntima relação com o calendário e a marcação de solstícios e equinócios – o início das estações. A sua importância para a sedentarização e para a agricultura deixaram marcas indeléveis nas sociedades, ainda hoje reconhecíveis. Uma visão multidimensional de um objeto tantas vezes esquecido e negligenciado, que nos reportará às nossas origens e fará repensar a forma como olhamos para o que nos rodeia.

Após a sessão de encerramento, os presentes são convidados a assistir ao “Pôr do Sol” do primeiro dia completo de primavera.

Um vasto e diversificado programa cultural direcionado à comunidade académica e ao público em geral, no dia em que, entre outras efemérides – como os dias mundiais da árvore ou da poesia e os dias internacionais de luta contra a discriminação racial ou da Síndrome de Down –, se celebra o Dia Europeu da Criatividade Artística. Este é também o Ano Europeu do Património.

Sejam todos bem-vindos ao Politécnico de Viseu para celebrar o início da primavera.

Viseu, 12 de março de 2018

Alexandre Aibéo • Pró-Presidente do IPV para a Comunicação de Ciência e Promoção da Cultura Científica

aaibeo@estgv.ipv.pt

Joaquim Amaral • Comunicação e Relações Públicas IPV

jamaral@pres.ipv.pt

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies