“O Segredo dos Deuses” : Parabéns ao jornalismo português!. Opinião pela Jornalista Brasileira Rosangela Araújo

Nota 10 para as jornalistas Alexandra Borges e Judite França, da TVI de Portugal, pela coragem em denunciar um dos mais graves escândalos envolvendo a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), desde a sua fundação em 1977, no Brasil.

A série “O Segredo dos Deuses”, ao contrário do que defende a instituição religiosa, foi embasada em fatos, relatos verídicos e resultado de uma investigação séria, comprometida com a verdade. Infelizmente, a reportagem não ganhou a mesma dimensão em terras brasileiras, como repercutiu em solo português, apesar de ocupar, timidamente, espaços em alguns jornais, revistas, portais e sites.

Nas ruas, porém, nada se fala. O momento pelo qual passa o Brasil nas esferas política, econômica e social pode ter contribuído para silenciar o assunto e manter a população alheia aos acontecimentos em Portugal. A denúncia de tráfico de crianças, levadas ilegalmente de um abrigo criado pela própria Universal para contemplar seus pastores, vasectomizados por exigência da igreja, não é só grave. É caso de polícia. É problema para a justiça resolver. Tanto aqui como lá. O Ministério Público português já deu o primeiro passo. Que bom! Essa história tem realmente que ser explicada. Rapto de menores é crime em qualquer parte do mundo e não importa quem esteja por trás do escândalo. Poderoso ou não, precisa responder pelos atos.

Não bastasse a denúncia feita pela reportagem, corroborada nos depoimentos dos entrevistados, a IURD expõe ainda mais seu poder de manipulação ao tentar cercear os veículos de comunicação em falar a verdade e frear a liberdade de expressão. Mais absurdo ainda, como circula no país, é impedir seus fiéis em Portugal de assistirem a TVI ou quaisquer outros órgãos de imprensa que tratem do assunto. Neste caso, todos! “O Segredo dos Deuses” é um dos temas de maior repercussão atualmente na mídia portuguesa. Não há como evitar ouvir ou saber de qualquer fato relacionado ao escândalo. A sociedade local está estarrecida diante da denúncia e espera a atuação dos órgãos competentes. Os brasileiros não alheios à reportagem, compartilham sentimento igual.

Os fiéis demonstram incredulidade. Não querem ou não conseguem enxergar o óbvio. Mas a cegueira parece ser um dos requisitos para seguir a Universal. Que me perdoem os inocentes. Aqueles que aceitaram a “Jesus” com a promessa de “Salvação” garantida pelo líder maior da IURD. Um salvamento atrelado ao dízimo. ‘Se não pagar vai pro inferno’, já falou o próprio Edir em um vídeo gravado por um ex-pastor da Igreja. Suas falas afinal, sempre repercutem. A maioria, negativamente. Polêmicas e escândalos figuram nas páginas que compõem a história da Igreja. Em 1992, Edir Macedo foi preso em São Paulo acusado de charlatanismo, estelionato e curandeirismo. Episódios envolvendo seus pastores, condenando outras religiões, provocaram indignação no povo brasileiro, assim como a filmagem dos bispos comemorando o dinheiro arrecadado num templo em Nova York.

Cenas que causam mal estar em muita gente e despertam inúmeras palavras desaforadas nas redes sociais contra a Igreja. A IURD ao que vemos, fugiu do seu papel espiritual para dedicar-se exclusivamente ao material. Sem respeito às leis para alcançar seus objetivos, como é o caso confirmado na denúncia da TVI. Para uma instituição com milhões de seguidores em mais de 100 países, sua obrigação deveria ser exemplificar os fiéis com atos honestos e ensinamentos religiosos. Seguir o exemplo de humildade do Cristo seria imprescindível para se considerar uma instituição séria. Infelizmente, o teor denunciado na série “O Segredo dos Deuses” mostra o contrário. É uma revelação triste sobre atos ilegais que causaram mal a muitas famílias e crianças, jogadas de um lado para outro como se fossem objetos descartáveis. Malefícios que jamais serão reparados.

Pela coragem de denunciar esta história e pela magnífica reportagem, volto a repetir: parabéns às jornalistas responsáveis e ao jornalismo português!

Rosangela Araújo

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies