Carnaval 2018 : “O Turismo do Centro tem aqui uma grande oportunidade para criar um novo roteiro turístico na região”

Entrevista com a Vice Presidente da Câmara Municipal de Nelas,Sofia Relvas

O concelho de Nelas não deixa passar em claro esta época do ano. Quatro bairros ‘oferecem” dois carnavais distintos, com dinâmicas diferentes, mas sempre com o mesmo espírito. Da folia de Nelas, com uma oferta carnavalesca mais “internacional”, os Bairros da Igreja e do Cimo do Povo ‘esgrimem’ argumentos para disputar o título de melhor desfile e melhor Rainha e atrair visitantes.

Por sua vez, em Canas de Senhorim aposta-se numa tradição secular. Duas associações, Paço e Rossio, procuram a genuinidade para diferenciar o carnaval na Vila. O auge é o despique final, entre os dois bairros, algo que Sofia Relvas definiu como “extraordinário e memorável para todos os que participam nele ou assistem apenas”.

A vice-presidente da Câmara de Nelas, Sofia Relvas, realça a importância do cartaz turístico “Carnaval do Concelho de Nelas” e a sua importância na região. Sofia Relvas deixou um desafio à Turismo do Centro para a criação de um roteiro carnavalesco na região, baseado na diversidade de cada um dos carnavais.

O Carnaval no concelho de Nelas vai manter a tradição?

Sim, como sempre. O Município de Nelas, naquilo que é a sua diversidade na oferta turística, sempre marcou pontos nesta quadra do carnaval, que no concelho se vive de uma forma vibrante, pois não passa despercebida a ninguém esta data do calendário.
E vive-se com duas dinâmicas muitos próprias e diferentes, como é em Nelas e Canas de Senhorim. Em Nelas é organizado pelas duas associações, Cimo do Povo e Bairro da Igreja, enquanto em Canas a responsabilidade cabe às Associações dos bairros do Rossio e do Paço e a população adere, de forma orientada, a essas dinâmicas.

Em Canas de Senhorim, os trajes são feitos pelas pessoas e grupos que se organizam, enquanto as associações fazem os carros alegóricos. Em Nelas é diferente, pois as associações acabam por fazer um pouco de tudo e as pessoas inscrevem-se para fazer parte do corso alegórico. São as associações que fazem os carros e os trajes.

A Câmara tem apoiado sempre o Carnaval no concelho, de forma igual em Nelas e Canas de Senhorim, com os subsídios que atribui às quatro associações, bem como todo o apoio logístico que é solicitado, para além do apoio de comunicação e promoção que fazemos à marca “Carnaval do Concelho de Nelas”. Ainda recentemente tivemos a RTP em Canas de Senhorim e não deixámos de falar do carnaval no concelho.

A região Viseu Dão Lafões e todos os turistas que nesta altura do ano visitam a Serra da Estrela têm a certeza de que há um fim-de-semana garantido com muita animação, de domingo Gordo até terça-feira de Carnaval, com festas e bailaricos durante os quatro dias.

O Carnaval é uma quadra com inúmeros eventos na região e com um grande fluxo de pessoas que demandam a serra da Estrela. Tem ideia do número de visitantes que por aqui passam nesta altura do ano?

Não temos um número. O que posso dizer é que as unidades hoteleiras de Viseu à serra da Estrela costumam estar, de um modo geral, com níveis de ocupação muito elevados. Isso não acontece por um factor isolado, mas sim por um conjunto de eventos, mas também porque a região se tornou num destino turístico muito procurado, com um conjunto de produtos turísticos integrados, que, todos juntos, fazem da emoção chamariz.

Quem vem à nossa região neste fim-de-semana sabe que há boa comida, excelentes vinhos do Dão, que fazem uma harmonização fantástica com o queijo Serra da Estrela, bem como com toda a gastronomia regional.

Existe cada vez mais uma agenda de eventos e uma agenda de dinâmica cultural que é reconhecida a nível nacional, o que faz com que nestas mini férias, pessoais, em grupo ou familiares, esta seja uma região forte, na resposta que dá a quem a visita.

Além da folia da quadra, as pessoas que vêm à região têm várias ofertas, da Serra da Estrela, ao património arquitectónico e cultural e ao enoturismo, mas estão perto de vários carnavais que poderão visitar ao longo da sua estadia. Podem fazer um roteiro carnavalesco na região Centro, vertendo sempre para a qualidade do alojamento e do bem-estar que as unidades hoteleiras da região oferecem.

Quem, por exemplo, fica instalado nas Casas do Lupo pode divertir-se com o nosso carnaval, mas não terá dificuldade em ir à Serra da Estrela ou ver um outro no litoral, sendo o concelho de Nelas o ponto central do seu destino turístico nesta altura do ano.

Disse que o Carnaval do concelho está ao nível de outros, que se fazem no litoral. Olhando para o interior norte do País a oferta é menor, mas diferenciada, desde os caretos em Trás-os-Montes e Lazarim, no concelho de Lamego, desaguando, passe a expressão, no Carnaval de Canas de Senhorim,Nelas e Cabanas de Viriato, para além e outros de menor expressão. Tudo isto pode ser um cartaz a aproveitar?

Sem dúvida. Ainda não existe um roteiro integrado dos carnavais do Centro, mas porque não? Fica o desafio. Criamos tantas rotas de turismo destinado na região Centro e, de facto, está aqui uma que não está sinalizada como tal.

A região Centro é muito forte na diversidade de ofertas de carnaval que tem, umas com uma inspiração mais brasileira, outras seculares, como é o caso de Canas de Senhorim, que tem uma dinâmica muito própria de competitividade de dois bairros. As músicas que são tocadas e cantadas em toda a marcha durantes os três dias são muito próprias, concebidas pela comunidade. No final há um despique entre os dois bairros que é qualquer coisa de mágico e memorável, para quem gosta daquela ‘confusão’.

Por sua vez o Carnaval de Nelas tem uma dinâmica interessante, com os dois bairros a apresentarem, cada um, o seu carro onde vai a rainha, que se cruzam no último dia de carnaval num despique, onde as duas rainhas se cumprimentam e trocam de carro. Os membros das associações fazem o mesmo, num momento de união. Há aqui uma referência grande à figura da rainha do Carnaval. São tradições que, ano após ano, se vão repetindo, mas sempre com uma emoção renovada e a vontade de a repetir no ano seguinte.

Como disse, na região Centro, se pegarmos em cada um dos carnavais fortes que há, e identificarmos as suas singularidades, a Entidade de Turismo do Centro tem aqui uma grande oportunidade para criar um novo roteiro turístico na região. Não tenho dúvida nenhuma.

Com Gazeta Rural