Homenagem a Clara Alexandre marcou a celebração dos 15 anos da AZU

Na abertura do evento comemorativo dos 15 anos da AZU (Associação Ambiente Zonas Uraníferas),o presidente António Minhoto fez uma abordagem temporal ao trabalho desenvolvido nos últimos anos, tendo no final da Conferência sido homenageada Clara Alexandre, colega falecida no ano passado, pelo trabalho exemplar desenvolvido na luta pelo ambiente.
A conferência, moderada pela jornalista Liliana Garcia, foi marcada pela presença de técnicos convidados do Departamento do Ambiente do Politécnico de Viseu, presidente da Quercus e Presidente da Comissão Parlamentar de Ambiente, Ordenamento do território e Poder Local, o que permitiu uma visão alargada à temática das Alterações Climáticas e da Água.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Numa abordagem explicativa, Teixeira de Lemos abordou o efeito de estufa e a forma como nas ultimas décadas este processo natural foi alterado drasticamente, com especial incidência sobra a região CIM Dâo Lafões, na qual está a ser realizada um estudo cientifico de análise de risco.
Pedro Baila Antunes, abordou as questões relativas à gestão da água mais especificamente na barragem de Fagilde, cuja cota vai ser elevada com um “pequeno” investimento de cerca de 100.000€ permitindo o armazenamento para um periodo de seca de 140 dias, em detrimento dos 90 dias actuais.
Pedro Soares, alertou para a revisão da Convenção de Albufeira, atualmente em discussão, que pretende a responsabilização de Espanha na garantia de caudais ecológicos e não apenas caudais médios em todas as bacias hidrográficas, além da monitorização constante das águas. Isto permitirá assegurar que a biodiversidade animal e vegetal destas bacias que partilhamos com Espanha tenham asseguradas em permanência um caudal de água que seja um garante para a sobrevivência das espécies aqui existentes.
João Branco, Presidente da Quercus, ressalvou a importância da responsabilização de todos os níveis políticos para a problemática da água.
No final houve lugar para as questões do público, com uma participação ativa e que incluiu a intervenção da responsável do movimento CuidaDão para a problemática da água e sua gestão pós incêndios.
Homenagem a Clara Alexandre por Joana Travessas

Ninguém quer chegar ao momento em que homenagear um amigo, se deve às razões que a vida também traz.

Não esperamos ser surpreendidos pela ausência inesperada, e pelo dia, em que aquele pedaço de vida que temos em comum com alguém, tudo muda.

Saudades da Clara que era amiga, companheira, lutadora incansável pelas causas que lhe davam os valores que a moviam, mesmo nos momentos em que o cansaço a queria travar, a Clara gritava mais alto: pela democracia, pelos direitos humanos, contra a privatização da água através do MUAP (Movimento Utentes Águas do Planalto), pelos nossos rios com o Movimento PROTejo, a CuidaDão, contra o nuclear e contra Almaraz, pela recuperação ambiental das Minas de Urânio da nossa região, por todas as lutas a que se uniu através da AZU!

No reboliço dos sentimentos que nos assolam, sobram-nos os poemas, que na beleza das palavras que se unem, dão aos menos inspirados as palavras que procuramos encontrar quando queremos apenas dizer que temos saudades.

Obrigada Clara

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies