Pelourinho. Opinião de Manuel Henriques

CENTRALISMO DOENTIO

Bem pode o governo da República decretar o “amor ao interior” quando a realidade da prática politica é outra. Da aprovação na especialidade do Orçamento de Estado para 2018 resulta um duro golpe no municipalismo. O governo socialista suprimiu a possibilidade de os Municípios ajustarem as taxas mínimas e máximas de IMI em matéria de reabilitação urbana, como faziam até aqui. Para futuro passa a ser ditame governamental.

Por outro lado, e revelando uma enorme insensibilidade com a dor alheia, foi recusada pela maioria de esquerda a proposta de isenção de IMI para 2017 e 2018 nas casas que arderam no grande incêndio do passado dia 15 de outubro. Quem perdeu os seus imóveis vai continuar a pagar IMI.

Por último a assumida vontade do Ministro Pedro Marques em retirar 1000 milhões de euros dos fundos comunitários destinados às regiões do Alentejo, Norte e Centro para poder investir no alargamento da rede de metropolitano em Lisboa e no Porto. No essencial quem nos governa é “assumido” centralista.

D. ILIDIO LEANDRO

Não tínhamos ainda dado nota neste espaço de uma noticia que, infelizmente, nos entristeceu. O nosso Bispo D. Ilídio Leandro renunciou ao cargo depois de 11 anos em funções (2006-2017). Renuncia já aceite pelo Romano Pontífice. Razões de saúde foram o motivo. Não posso deixar de sublinhar, como paroquiano e batizado na Paróquia de Canas de Senhorim, o meu reconhecimento e gratidão pela sua passagem no Concelho de Nelas (servindo nas freguesias de Canas e Lapa do Lobo). Esta passagem foi marcante, não só pelos tempos conturbados que o Concelho vivia, como também pela difícil missão de substituir uma referência local que era o Abade Domingos Dinis de Sousa.

Do ponto de vista social e politico a nomeação de um Bispo vindo de uma paróquia do Concelho foi muito prestigiante e de elevado reconhecimento. Agora que termina as suas funções julgamos que seria da mais elementar justiça agraciá-lo com o Mérito Municipal. Na sede própria os eleitos do CDS-PP, certamente acompanhados pelas demais forças politicas, farão recomendação à Câmara Municipal neste sentido.

Por último, aproveito para desejar aos leitores do jornal um Santo Natal!

Manuel Alexandre Henriques