Balanço das Eleições Autárquicas por Manuel Henriques (CDS/PP)

Nota de Redação : O nosso jornal solicitou a membros do PS, PSD, CDU,MRCCS e MCCD também o Balanço da recente eleição. 

Realizadas as autárquicas no passado dia 1 de outubro resultam algumas conclusões que importa partilhar. Conclusões estas não totalmente distanciadas do pleito e dos seus protagonistas, dado ter estado o autor desta linhas envolvido na “batalha eleitoral”:

  • CDS – PP – Concorrendo sozinho foi tão só…o melhor resultado deste partido no concelho de Nelas desde 1976! A candidatura de Manuel Marques foi a escolha de 2065 pessoas (24% dos votantes).  Destas eleições resultou o CDS como principal força de oposição ao atual Presidente da Câmara Municipal! Um reconhecimento popular do trabalho autárquico desenvolvido, há muitos anos, por Manuel Marques!
  • PSD – No polo oposto os sociais-democratas têm o pior resultado desde o 25 de Abril. Na data de hoje verifica-se que a sanha persecutória da concelhia laranja contra Manuel Marques, que inviabilizou um acordo com o CDS-PP, parece ter sido fatal! Nas páginas deste jornal já tinha antecipado também as dificuldades notórias da candidatura de Isaura Pedro em se impor, sobretudo pela imagem de “abandono do concelho” em 2013 quando recusou ser vereadora.  De igual forma, a estratégia de “fingir” que todos os problemas do período 2005-2013 deveriam ser imputados a Manuel Marques e não a Isaura Pedro……. foi uma tese peregrina desta candidatura que o eleitorado não comprou, sobretudo quando foi esclarecido a quem pertenceram no período anterior, os pelouros financeiros na autarquia. Com o terceiro lugar obtido (menos de 1200 votos – 14%) a única surpresa é a Comissão Politica Concelhia do PSD não ter apresentado, imediata e incondicionalmente, a demissão depois deste desastre em que a própria se enfiou. Para Isaura Pedro, depois deste vendaval, parece esgotado o tempo politico autárquico.
  • Movimento Cívico Coração do Dão – Apresentou-se com um projeto inovador, com candidaturas mobilizadoras para várias juntas de freguesia, mas não conseguiu atrair os descontentes de Borges da Silva como seria o objetivo inicial. O movimento liderado por Carlos Mota Veiga consegue o prémio de ter eleito 2 elementos para a Assembleia Municipal e mandatos nas juntas de Canas de Senhorim e Nelas.
  • CDU – Esta eleição acaba por ser negativa para a CDU na medida em que embora elegendo 1 mandato para a Assembleia de Freguesia da Lapa do Lobo, perde, contudo, o mandato que tinha na Assembleia Municipal.
  • PS/Borges da Silva – Contra muitos prognósticos acaba por ver reforçada a sua votação. Protagonizou uma campanha milionária (nunca vista entre nós), com muito distribuição de vinho e festas à mistura. O expressivo resultado obtido (4000 votos – 48%) também se explica pelo facto de a oposição (talvez com a exceção do CDS) não o ter confrontado de forma mais enfática com algumas situações melindrosas do seu mandato nomeadamente as que estão em investigação pela justiça. De igual forma o incumbente capitalizou a   eventual descida da Taxa do IMI para o mínimo, arriscando este anúncio sem saber se seria reeleito. Inicia o mandato com uma vereação pouco experiente. Mas sem desculpas pois já não será aceitável atirar aos adversários a conversa da herança recebida.
  • Juntas de Freguesia – Maiorias absolutas em Santar e Vilar Seco (ambas do PS). Nas restantes freguesias terá de haver procura de consensos para uma administração eficaz. Das 7 Juntas de Freguesias apenas 2 escaparam ao PS (Canas de Senhorim e Senhorim).

Em conclusão, as condições politicas para o exercício do mandato pelo atual Presidente, depois da expressiva votação obtida, parecem sólidas. Contudo deve merecer acompanhamento a situação financeira do município (onde há indícios de milhões de euros em despesas não cabimentadas) e também dos inquéritos judiciais em curso (até ao seu arquivamento), dos quais pode resultar a perda de mandato para os envolvidos. Estes temas, potencialmente explosivos, podem fragilizar Borges da Silva, tornando irrelevante a vitória eleitoral obtida.

Manuel Alexandre Henriques