Cemitérios entram na refrega eleitoral

Amadeu Araújo

Os cemitérios entraram na campanha eleitoral autárquica com o PSD a pedir “respeito” pelas pessoas. E isto porque em Senhorim foi colocado um cartaz a dar conta da ampliação do cemitério mas “8 meses depois não há obra”, desabafa a candidatura de Isaura Pedro. Para os social-democratas “o placard publicitário colocado junto ao cemitério, tem a frase chapada da campanha eleitoral de Borges da Silva. E sim, provavelmente são ambos feitos pela mesma entidade”, acusam.

O suficiente para que o PSD peça “respeito pelas pessoas, decência e decoro na presidência da Câmara Municipal do nosso concelho. Vive-se da imagem a qualquer custo, ou melhor, à nossa custa”.

A postura desagradou a Borges da Silva que lembra que em só Dezembro “foi assinado o contrato-promessa de compra e venda dos terrenos necessários à ampliação do Cemitério de Senhorim e respetivo parque de estacionamento, terrenos estes que totalizam uma área de 4191m² e que foram adquiridos pelo valor de 110.000€; terrenos e habitação existente”. Borges lembra que “a Junta comprou um terreno mas houve uma acção em tribunal e o processo voltou à estaca zero. Depois foi preciso pedir parecer à Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro e toda esta tramitação atrasou o processo”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mas o autarca, que se recandidata e que esta terça-feira inaugura a sede de campanha, aconselha o PSD a “estar calado em matéria de cemitérios. Quando chegámos à Câmara tínhamos a capacidade esgotada, nem em Vilar Seco havia um talhão disponível e hoje temos as condições para que haja capacidade disponível”. E lembra que “já está a decorrer o concurso, que pode ser consultado na plataforma da contratação pública, para o alargamento e construção de muros nos cemitérios de Senhorim mas também em Vilar Seco, Folhadal e Canas de Senhorim num investimento substancial e capaz de resolver, para futuro, esta questão”.

O processo, que corre na plataforma pública, tem o registo AD 11/2017-E e só depois de concluído poder-se-ão iniciar os trabalhos, cujo projeto e condições também já estão definidos.

 

 

1 comentário a "Cemitérios entram na refrega eleitoral"

  1. Vitor Matias - Nelas | 19 Junho, 2017 às 12:58 |

    Por amor de Deus, com todas as desgraças que o pais está a viver, com o luto decretado pelo Governo e de acordo com a grande reportagem que deu este jornal, o senhor presidente da câmara municipal de Nelas, devia ter mais respeito pelos os que já partiram, nao se brinca com os mais nobres sentimentos das pessoas de Senhorim! Na política deste senhor vale tudo, o PS, CDS, CDU e outros partidos e movimentos de cidadãos que repudiem de imediato contra esta forma ignóbil de fazer política. Agradeco ao senhor jornalista sempre a informar o que a colectividade e o povo devem saber, sem medo vamos caminhando sempre com a verdade, só basta BS ir fazer campanha no interior do Cemitério, olhem que vontade não lhe deve faltar! Aposto que a culpa deve ser do encarregado do pessoal!

Os comentários estão fechados.