“O Cônsul de Bordeus” estreia em Boston na próxima Sexta Feira

O filme “O Cônsul de Bordeus”, baseado na vida de Aristides de Sousa Mendes, tem a 25 de março a sua estreia comercial nos Estados Unidos, no Centro Paramount, em Boston.
O filme realizado por Francisco Manso e João Corrêa será exibido seis vezes, durante três dias, através de uma produtora especializada em cinema independente, a SPIA Media Productions Inc.
“Já tendo apresentado o anterior filme de Manso – a produção portuguesa, brasileira e cabo-verdiana `Testamento`, vencedora de vários prémios -, é com muito orgulho que apresentamos agora o seu último trabalho”, disse em comunicado a presidente e fundadora da produtora, Claire Andrade-Watkins.
“O Cônsul de Bordéus” é protagonizado por Vítor Norte, no papel de Aris

tides de Sousa Mendes, o diplomata português que, à revelia de Oliveira Salazar, o presidente do governo da ditadura, atribuiu cerca de trinta mil vistos a refugiados perseguidos pelo regime nazi, em 1940.

O filme centra-se precisamente neste período, nos dias de junho de 1940, durante os quais o antigo cônsul ajudou milhares de judeus e refugiados a viajarem para Portugal e, daí, para diferentes países, sobretudo Estados Unidos.
O filme conjuga ainda o percurso de Sousa Mendes com a história ficcionada de um refugiado que se transformou num maestro de sucesso.
“Se temos algum herói moderno é Aristides de Sousa Mendes, uma personalidade fascinante, que foi esquecido por razões políticas e por laxismo nacional”, disse à Lusa o realizador Francisco Manso, quando iniciou a rodagem do filme, em Viana do Castelo.
O argumento é assinado pelo escritor António Torrado e por João Nunes. O orçamento rondou três milhões de euros e a produção é partilhada por Portugal, Espanha e Bélgica.
Do elenco fazem parte ainda atores como Carlos Paulo, no papel do rabino Chaim Kruger, que dirigia uma sinagoga em Bordéus, Leonor Seixas, Laura Roveral e Pedro Cunha.
Em 2012 e nos anos seguintes, o filme foi exibido na Semana de Cinema Português de Israel (Telavive), competiu no Festival de Lucerna, na Suíça, e foi o filme de abertura do festival Internacional de Cinema de Goa, na Índia, e do Festival Internacional de Cinema de Muscat, em Omã.

Estreado comercialmente em Portugal em novembro de 2012, somou 55.083 espetadores, em 2.813 sessões, de acordo com os dados estatísticos do Instituto do Cinema e do Audiovisual.