Depressão: Excesso de Passado e Escassez de Futuro

A depressão é uma doença que, segundo dados da Direção Geral de Saúde (2013), afeta cerca de 7,9% da população. Este é um número preocupante, apenas estando atrás das perturbações da ansiedade (16,5%). 
A depressão é considerada uma doença silenciosa e como tal o seu diagnóstico torna-se dificultado se a pessoa não procurar ajuda.
O leitor deve estar atento aos seguintes sintomas: alterações do sono; perda/aumento de apetite; alterações da cognição; lentificação/agitação de movimentos; cansaço/fadiga; sentimento de desvalorização pessoal e culpa; pensamentos sobre a morte (ideação suicida); humor depressivo; e anedonia (falta de prazer nas atividades que antes via como prazerosas). Destaco que de entre estes 9 sintomas, 5 deles devem estar presentes (sendo que humor depressivo e/ou anedonia devem estar sempre presentes) para se diagnosticar a depressão. Neste sentido, se o leitor estiver a passar por estes sintomas ou conhece alguém que possa estar nesta situação, deve sinalizar o caso e procurar ajuda especializada.
A perturbação depressiva afeta em maior número as mulheres, sendo que a mesma poderá iniciar-se em qualquer idade, contudo existe maior probabilidade de desenvolvimento de depressão durante a adolescência – muito provavelmente deve-se aos desafios e crises específicos que são caraterísticos desta faixa etária.
É importante também (e aqui está um perigo da depressão e o motivo da mesma ser silenciosa) não deixar evoluir a doença e procurar ajuda rapidamente, pois é muito caraterístico os doentes de depressão apresentarem tentativas de suicídio e comportamentos para-suicidas, que consequentemente fará com que a sua integridade física seja posta em causa.
Para além disto, é igualmente importante saber distinguir corretamente a perturbação depressiva de sentimentos de tristeza (estes sentimentos só passam a ser considerados episódios depressivos se estiverem presentes pelo menos 5 dos 9 sintomas supramencionados) e de isolamento social.
Assim, o caro leitor deve procurar estar atento a todos os sinais desta doença. A depressão resulta de um excesso de passado e de uma falta considerável de futuro.
Marcelo Costa
marcelocosta10@live.com.pt

(Licenciado em Psicologia)